Por Em , , Em 8 agosto, 2016

Videoaulas: passo a passo para criar e vender as suas

“Já pensou em criar seu próprio curso online e vender suas videoaulas de maneira eficiente? Confira dicas valiosas para a criação dos conteúdos, até a fase de divulgação e venda.”

Videoaulas passo a passo_imagem topo

O modo como as pessoas consomem informações hoje está mudando e se você trabalha com produção de conteúdo, seja para seu blog, por diversão, ou para manter um curso, com algo mais profissional, precisa estar preparado para essa nova realidade que é comandada especialmente por um formato de material e uma estratégia: os vídeos online e os canais de conteúdo.

Pesquisas já mostram que o brasileiro é o povo que passa mais tempo acessando a internet, com 51% das pessoas dizendo ficarem conectadas o dia inteiro, e entre essas pessoas, 98% diz que a atividade que mais realizam, mais do que interagir com parentes e amigos, é procurar por novos conteúdos.

Portanto, o momento não poderia ser mais propício para começar a investir no compartilhamento de informações e o mais indicado é que isso seja feito em vídeos. Por que? Bom, existem vários argumentos que podem te convencer, mas para isso nós vamos apenas mostrar mais alguns dados.

40% das pessoas conectadas hoje no Brasil já assistem vídeos online, e sabe o que é mais impressionante? 25% já assiste mais vídeos online do que TV, que até pouco tempo atrás parecia imbatível em termos de conteúdo. Além do mais, hoje, quando abrem uma página, 60% das pessoas vão diretamente ao vídeo, sem ler nenhuma palavra antes e, nas empresas, 75% das pessoas se sentem mais inclinada a ver um vídeo do que ler um documento, por exemplo.

Outros dados mostram que o tráfego de dados gerado pelos vídeos não para de crescer ano a ano, devido ao aumento constante no consumo desses materiais, e há previsões de que em 2019, 80% de todo o tráfego da rede seja gerado por vídeos online.

Investir na produção de videoaulas nesse cenário é então uma ótima opção para trabalhar com seus conteúdos, sejam eles quais forem.

Como criar suas videoaulas

Se você já tem um canal de vídeos, pretende montar um, ou vai criar seu próprio curso online e quer criar e vender suas videoaulas de maneira eficiente, temos algumas dicas valiosas que vão te ajudar desde o momento inicial do projeto, com a criação dos conteúdos, até a fase de divulgação e venda.

Fique a vontade para navegar pelo conteúdo e bom aprendizado!

01. O conteúdo para suas videoaulas

02. O ambiente virtual de aulas

03. A divulgação

04. Como vender videoaulas

ROI


01. O conteúdo para suas videoaulas

Pensar o que vai ser trabalhado em seu canal e de que forma isso será feito é o primeiro passo para ter sucesso com suas videoaulas. Portanto, capriche em seus conteúdos em vídeo, crie de forma planejada, organizada e bem estruturada e sempre pensando na satisfação do seu público.

Planeje e divida o conteúdo

Um dos pontos mais importantes para produzir um bom material é começar fazendo um planejamento das aulas e uma boa distribuição do que você tem em termos de conteúdo.

Pense em onde seu conteúdo será exibido, na duração de cada vídeo, no cenário, na abordagem que será utilizada em cada material, nas pessoas que vão apresentar ou fazer a locução e tenha sempre um roteiro para cada uma das suas aulas.

Lembre-se também que tudo isso deve ser definido levando em conta um ponto fundamental: seu público.

Manter seus materiais sempre adequados ao perfil das pessoas que irão assisti-los, em termos de linguagem, dificuldade e assuntos, vai ajudar a evitar que a audiência perca o interesse pelo conteúdo ou acabe se dispersando durante as videoaulas.

Outro ponto importante é pensar na forma como seus conteúdos serão divididos e agrupados. Os vídeos serão independentes ou feitos em série? Quantos materiais irão compor um curso ou módulo? Como eles se completarão? Afinal, nada é mais frustrante do que assistir aulas em uma série sem que elas tenham a menor ligação ou assistir a materiais sem um assunto pré-definido, em que o conteúdo pode mudar repentinamente de A para Z.

Essa falta de foco e organização das aulas pode acabar fazendo com que o aluno perca o interesse pelo material e abandone seu canal. Por isso, é extremamente recomendado que você tenha uma visão geral do seu conteúdo e planeje suas videoaulas seguindo uma ordem lógica e fácil de acompanhar.

Ensaie a atuação frente às câmeras e invista em um cenário

Definida organização e com um planejamento pronto, é hora de pensar em formas de deixar seus vídeos mais atrativos para o público e trabalhar suas mensagens de maneira eficiente. Um produtor de conteúdo, seja ele um vlogger, um professor ou um especialista em qualquer assunto, mais do que dominar o conteúdo, precisa gerar empatia no público e criar estratégias para que ele se mantenha interessado naquilo que está vendo.

Alguém que fala muito baixo e muito devagar, dando voltas demais no conteúdo, por exemplo, pode acabar deixando as pessoas com preguiça do material e dispersos durante o vídeo, ao mesmo tempo que alguém que fala rápido demais e ignora o nível de conhecimento da audiência, pode dificultar o entendimento da videoaula e fazer com que as pessoas bloqueiem o aprendizado dela.  

Além do mais, assim como se estivesse ensinando alguém de forma presencial, gravar em um local claro, limpo e com poucos objetos de distração, vai ajudar a manter o foco no assunto da videoaula e ampliar a absorção de conhecimento por parte do público.

Algumas dicas podem ajudar na hora de gravar seus conteúdos:

Tenha domínio do conteúdo e daquilo que você vai falar. Fazer um roteiro pode ajudar.

Tome cuidado para não passar informações erradas durante seus vídeos e invista na criação de um roteiro. Não é que você tenha que passar o conteúdo exatamente da forma como você escreveu, mas ele vai ajudar a te guiar durante a apresentação e evitar que você acabe “viajando” demais naquilo que não tem a ver com seu assunto principal.  

Use humor sem parecer forçado

Sabe-se que uma dose de humor pode salvar qualquer vídeo, porém, ela deve ser bem calculada e, mais uma vez, pensada em função do seu público. Use essa estratégia de forma leve e natural, através de storytelling e analogias, por exemplo, e não tente transformar tudo em piada. Além do mais, tome cuidado com o que vira humor nessas ocasiões. Machismo, racismo, homofobia e outros preconceitos não tem a menor graça.

Invista em equipamentos de qualidade

Não é que você precise contratar uma grande produtora a cada vídeo que for fazer, mas investir em equipamentos de qualidade pode ser um grande diferencial e ajuda a deixar seus materiais com um aspecto mais profissional.

Sabemos que hoje em dia, até com um smartphone você pode gravar vídeos incríveis, porém, dependendo de seus objetivos, somente esse aparelho não será suficiente. Pense em investir em um tripé, para manter sua imagem estática, em uma boa iluminação para seu ambiente, em um microfone e outros aparelhos básicos e baratos que irão fazer toda a diferença na hora de produzir seus vídeos.

Se preocupe também com fatores como estabilidade dos seus materiais, qualidade de reprodução e outros fatores relacionados a hospedagem e gerenciamento dos seus vídeos. Afinal, nada pior do que tentar assistir a um conteúdo e ele ficar tendo problemas de carregamento, travamento e tela preta. Isso pode arruinar a experiência dos seus usuários, te fazer perder em autoridade e ser péssimo para sua estratégia.

Utilize recursos audiovisuais auxiliares

Dependendo do objetivo do seu vídeo, investir em recursos auxiliares como screencasts e também animações e outros apoios visuais, pode ser uma ótima forma de atrair a atenção da audiência e ainda deixar seu conteúdo mais leve, dinâmico e fácil de ser compreendido.

Existem algumas ferramentas como o Camtasia, que são muito recomendadas para fazer screencasts e que acabam salvando aquele material em que você precisa explicar um conteúdo mais denso ou um processo dentro do próprio computador. Além do mais, em programas específicos como o Adobe After Efects, você consegue criar suas próprias animações e inserir outros efeitos visuais que vão deixar seu vídeo muito mais didático e memorável.

Usar trilhas sonoras também pode ser uma boa forma de chamar a atenção do espectador e fazer com que ele sinta mais empatia por seu vídeo. Porém, antes de usar qualquer música, ou efeito é importante pensar se ela não irá tirar o foco do conteúdo principal e se atentar a pontos como restrição de uso por direitos autorais.

Em alguns sites já é possível encontrar diversas músicas e efeitos para serem usados livremente, sem ser necessário o pagamento de direitos autorais, como o Free Music Archive, o Freesound.org e o SoundClick. Aproveite!

Por fim, capriche na edição de seus materiais. Insira intertítulos explicativos, organize as cenas de forma lógica, faça as correções necessárias de cor e áudio, invista em uma vinheta bacana e finalize seus conteúdos da melhor forma possível!

Lembre-se de utilizar programas de edição adequados às necessidades do seu projeto e, se necessário, peça ajuda a um profissional qualificado, para economizar tempo e ganhar em qualidade.

02. O ambiente virtual de aulas

Conteúdos prontos, organizados e com qualidade máxima, é hora de definir uma parte crucial do projeto: onde exibir esses materiais.

Se você está criando algo verdadeiramente profissional, quer obter retorno financeiro com seu projeto e que ele seja reconhecido e valorizado, a melhor opção é investir em um media center personalizado aliado a uma plataforma de vídeos profissional, que, além de garantir estabilidade para seus materiais e a melhor distribuição possível, vai permitir que você gerencie todos os seus conteúdos de forma prática e simples e ainda tenha total controle sobre os dados gerados por eles.

Além do mais, com esse tipo de estrutura, além de sua marca ganhar credibilidade e autoridade perante a audiência, as opções de monetização do conteúdo são muito maiores e você não fica preso às políticas praticadas pelas plataformas gratuitas.

Porém, se você ainda assim deseja utilizar uma plataforma gratuita, como o YouTube, ou já tem videoaulas nesse canal, a dica é ainda assim trabalhar com uma estrutura profissional auxiliar e usar essa rede apenas para aproveitar sua audiência e a capacidade de disseminação dos conteúdos. Por exemplo, se você produz videoaulas sobre maquiagem, pode fazer um “conteúdo isca” para seu canal do YouTube ensinando a fazer uma sombra para madrinhas de casamento e nesse mesmo vídeo, divulgar seu material completo sobre maquiagens para madrinhas de casamento disponível no canal profissional e que pode ser acessado mediante a compra.

Para além de te ajudar com sua estratégia de divulgação, investir em uma plataforma gratuita pede muito mais esforços do que te dá retorno – pois as opções de monetização de conteúdo nesses canais são mínimas – e deve-se sempre trabalhar com um ambiente personalizado, como um site ou blog, aliados a uma plataforma profissional de vídeos.

03. A divulgação

Canal no ar, você não deve se esquecer de investir fortemente da divulgação de seus conteúdos em vídeo. Trabalhe todas as estratégias possíveis, levando em conta o perfil do seu público, para fazer com que suas videoaulas tenham cada vez mais acessos e visibilidade.

Use suas redes sociais

Suas redes sociais serão essenciais para ajudar na divulgação dos seus conteúdos. As pessoas hoje já passam boa parte do seu tempo conectadas nesses canais e principalmente por causa das recomendações de outros usuários dão bastante relevância aos conteúdos que aparecem nesses locais.

Portanto, sempre use suas redes sociais em sua estratégia de divulgação e crie conteúdo especial para elas também.

Poste prévias de novos vídeos, artigos, caso você tenha um blog, fotos dos bastidores dos seus vídeos, tutoriais e dicas em fotos e tudo mais que você achar que pode ajudar a engajar as pessoas e trazê-las para seu canal.

Lembre-se apenas que cada rede social tem suas especificidades, seu público predominante e que, portanto, deve ser trabalhada de forma diferente em sua estratégia.

Tenha uma base de emails e crie relacionamentos

Estabelecer um contato mais próximo com sua audiência utilizando emails pode ser uma ótima opção.

Se você utiliza uma plataforma profissional de vídeos, por exemplo, pode inserir um coletor de leads ao final ou início de cada material e assim estabelecer uma base sólida de contatos com os quais você pode manter um relacionamento constante, enviando novas opções de aulas e materiais, dicas relacionadas a seu conteúdo e muito mais.

Essa estratégia vai ajudar muito a trazer mais visualizações para seus materiais, além de criar vínculos entre sua marca e o público.  

Estabeleça parcerias de conteúdo e divulgação

Fazer aulas especiais com convidados ou parceiros, além de ajudar a diversificar seu conteúdo e agregar valor às suas videoaulas vai ser um diferencial em sua estratégia de divulgação e para trazer mais pessoas para seu canal.

Quando parcerias acontecem, normalmente todos os envolvidos divulgam o conteúdo para seu público e isso representa um impulso enorme em termos de visibilidade do material e quantidade de acessos que ele pode ter. Além do mais, chegando ao seu canal por esse conteúdo, as pessoas podem conhecer o que você já produz, navegar por seus outros vídeos e até acabarem se fidelizando ao canal.

Procure pessoas que produzam conteúdo relacionado ao seu ou que possam acrescentar algo a suas videoaulas e faça parcerias!

04. Como vender videoaulas

Se você produz conteúdo relevante, que as pessoas precisam e procuram em seu dia a dia, não vai querer ficar refém das opções limitadas oferecidas pela monetização com anúncios, não é?

Claro que de forma bem estruturada essa pode ser uma boa estratégia, que vai render frutos, mas para quem trabalha com videoaulas o mais interessante é aderir a um modelo EAD e investir em suas várias opções de monetização.

Vale lembrar que para isso você vai precisar de uma plataforma de vídeos confiável e um canal que passe credibilidade e confiança a sua audiência, para evitar que suas aulas sejam acessadas por pessoas indevidas, reproduzidas em locais não permitidos ou que tenham qualquer problema de transmissão. Essas coisas podem minar sua estratégia!

Tudo encaminhado, é só escolher qual modelo de venda mais se adapta ao perfil dos seus materiais.

Venda de aula

Nesse modelo você vende seus vídeos de forma independente, por um valor fixo cobrado por aula.

É o modelo ideal para quem tem muitos vídeos ou trabalha com assuntos que podem facilmente ser explicados em alguns minutos de conteúdo.

Venda de cursos

Aqui você trabalha com a venda de cursos completos, compostos por mais de uma aula ou módulo.

Quando se tem conteúdos mais complexos, que precisam de mais tempo para serem absorvidos ou que possuem níveis ou seções de aprendizado, essa é a melhor opção.

Venda de assinatura

Com um modelo muito parecido com o de serviços populares, como o Netflix, através da venda de assinaturas você permite que o usuário tenha acesso à seus conteúdos por um preço fixo pago periodicamente.

Assim, ele pode acessar quantos materiais quiser, em quaisquer áreas, de forma ilimitada, e ter uma experiência mais completa com seus vídeos.


As videoaulas já são extremamente populares em toda a internet hoje e, independente do assunto que aborde, com a estratégia certa, você pode ganhar muito mais do que visualizações e popularidade com seu canal.

Pronto para criar seus conteúdos ou fazer ainda mais sucesso com aquilo que você já tem trabalhando em um modelo de EAD?

Capriche nos conteúdos, coloque sua audiência em primeiro lugar, invista em um canal profissional, estabeleça o melhor modelo de vendas, lembre-se de garantir uma boa divulgação e pronto!

Precisa de ajuda ou tem alguma dúvida nesse processo? Deixe seu comentário ou converse com a gente! Vamos adorar te auxiliar com suas videoaulas.

Fa Gate

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.