Por Em Em 2 agosto, 2017

E-business: entenda tudo sobre negócios eletrônicos

Você sabe o que é e-business? Assim como nos diz a tradução do conceito, se trata de um negócio eletrônico – ou, seja, em termos simples, é uma empresa na internet.

Quando falamos de e-business, estamos abrindo um leque que abrange tanto empresas que já atuavam no mundo físico e migraram para o ambiente virtual, quanto aquelas que já nasceram exclusivamente online. Ambas tendências vêm crescendo rapidamente e consolidando um mercado forte, mudando o que conhecemos de economia, sociedade e política, uma vez que dizem “adeus” às barreiras geográficas e “olá” a um mundo de possibilidades jamais vistas.

Apesar disso, ainda existem dúvidas acerca desse novo modelo de negócios e seus conceitos, além de confusões entre nomenclaturas que podem surgir ao longo do caminho. Pensando nisso, neste artigo vamos passar por todo o processo necessário para que seu e-business saia do papel. Vamos, lá?

Mas antes de começar, que tal entender mais sobre como adequar o seu negócio ao público certo? É só clicar aqui para ter acesso ao nosso material gratuito sobre nichos de mercado!

nichos de mercado para e-business

E-Business, E-Commerce e sua diferença fundamental

Imagine um iceberg: assim como sabemos, a parte visível representa apenas um pequena fração da massa de gelo quando comparada ao tamanho real. Nessa analogia, Franco Júnior, autor do livro “E-business na infoera”, determina o e-business como o iceberg e o e-commerce como a pontinha que nos é visível da superfície. Ou seja, apesar de muita gente confundir os termos, ou até mesmo usá-los como sinônimos por vezes, e-business e e-commerce são conceitos que se divergem.

Assim como podemos inferir pela nomenclatura, o comércio eletrônico (e-commerce) diz respeito a atividades comerciais de bens e serviços que acontecem por intermédio da internet, seja entre empresas ou entre uma empresa e seus clientes. Esse conceito nos diz da estratégia de venda, marketing, logística e atendimento ao cliente e, basicamente, é a parte que o público pode ter contato quando fazem compras online: a loja virtual.

E quando dizemos que o e-commerce é apenas a ponta do iceberg chamado e-business é porque um e-business engloba muito mais do que apenas a venda online. Imagine tudo que deve acontecer até o momento de um produto estar disponível na tela do seu computador e, mais tarde, para que o devido produto chegue em sua casa, por exemplo – todo esse processo é o que se denomina e-business.

Diferentemente do e-commerce, o e-business não envolve necessariamente uma transação comercial: diz respeito à todo o processo de negociação que uma empresa faz por meio da rede online – planejamento, integração com fornecedores, contato com clientes, relacionamento com empresas parceiras, entre outros. Essa conexão online proporciona que os setores estejam mais integrados e trabalhem com mais agilidade do que em um cenário offline.

Ou seja, em resumo, podemos dizer que o e-business trata do gerenciamento e execução, por meio da internet, de atividades organizacionais que já seriam atribuídas a uma empresa e que o e-commerce é um de seus possíveis subprodutos.

A estrutura de um e-business

Agora que já conseguimos entender que o e-commerce na verdade é uma extensão do e-business, e não um sinônimo dele, podemos passar para a parte de entender mais a fundo como é moldada a estrutura completa do nosso iceberg. Vamos lá?

como se sustenta um e-business

Assim como você já deve ter percebido, o acréscimo da letra “e” em frente as palavras tem o objetivo de indicar que aquela ação ou projeto acontece na web. Portanto, é exatamente esse o motivo das etapas do e-business serem acrescidas dessa indicação, já que o processo se dá sempre de modo online.

E-Commerce

Como já explicamos sobre o e-commerce, vamos resumir o conceito apenas como forma de refrescar a memória: se trata da camada visível do e-business aos consumidores. É aqui que as transações comerciais acontecem de fato.

E-BI

Quando falamos em E-BI falamos em Business Intelligence (ou inteligência de negócios). Em termos simples, esse conceito diz respeito à coleta, organização e análise de dados que serão posteriormente apresentados aos diretores e colaboradores de uma empresa com o fim de gerar insights para o seu futuro.

Dentro da estrutura de um e-business, essa estratégia é orquestrada por meio de um sistema de informação.

E-Procurement

Chamamos de E-Procurement o sistema que permite o contato entre uma empresa e seus fornecedores de produtos e/ou serviços e vice e versa. Essas plataformas são responsáveis por otimizar e automatizar o processo da área de compras de uma empresa, tornando mais rápido o sistema de avaliar diferentes fornecedores, seus preços e produtos.

Existem três principais tipos de softwares responsáveis pelo e-procurement:

  • Enterprise Resource Planning (ERP): garante a otimização de planejamento dos recursos de uma empresa e agendamento de compras.
  • e-Sourcing ou leilão reverso: aqui a empresa consegue entrar em contato com um número maior de fornecedores, que, então, detalham seu serviço e fazem seus devidos lances – assim, a empresa consegue escolher a proposta que achar mais vantajosa.
  • e-Informing: se você deseja apenas uma troca de informações a respeito de possíveis compras, o e-Informing é o lugar certo para se estar. Aqui você consegue juntar referências e criar um banco de dados de fornecedores que sejam interessantes para sua empresa.

E-SCM

Se com o e-Procurement você consegue contato com os fornecedores, agora você consegue administrar toda a cadeia de suprimentos da sua empresa. Com o Supply Chain Management você consegue ter controle sobre todos os processos que acontecem desde a entrada do pedido por um cliente até a entrega do produto.

O E-SCM é o plataforma responsável por garantir uma comunicação saudável e alinhada entre os membros presentes em todo o seu processo de cadeia de suprimentos, fazendo com que ela tenha uma integração mais eficaz. Assim, você garante a redução dos custos de produção, um melhor atendimento ao cliente e, consequentemente, um aumento do lucro do seu e-business.

E-ERP

A próxima sigla da nossa estrutura de iceberg é a ERP: Enterprise Resource Planning – ou, no bom e velho português: Planejamento de Recursos da Empresa.

Com o software de ERP, uma empresa consegue gerenciar de maneira muito mais fácil todas as operações diárias, como faturamento, contas a pagar, fluxo de caixa, inventário de estoque, folhas de pagamentos de colaboradores entre outros. A jogada é que, juntando todas essas informações em apenas uma plataforma, você diminui o tempo necessário para a análise geral e a possibilidade de erros, facilita a comunicação entre diversas áreas atuantes no seu e-business e  aumenta a produtividade da empresa, uma vez que esse recurso padroniza e, consequentemente, agiliza o processo de registros, que antes aconteciam de forma manual.

E falando em planejamento, que tal saber mais sobre como planejar as ações e os processos da sua empresa?

E-CRM

Já imaginou ter um lugar para armazenar informações sobre os clientes da sua empresa, visando alcançar um atendimentos mais personalizados com cada um deles futuramente? Pois é exatamente esse o objetivo principal do Customer Relationship Management (ou Gestão de Relacionamento com o Cliente): o enfoque na experiência do cliente que leva a um maior número de fidelizações.

Com um software de CRM para o seu e-business, você consegue automatizar processos que antes te gastariam tempo precioso de trabalho e fazer uma análise mais ampla sobre cada cliente – que inclusive pode ser atualizada e visualizada por diversas áreas da empresa, ajudando nos momentos de contato que você pode chegar a ter com o público do seu negócio.

Outra bom aliado na hora do e-business é o marketing digital! Quer saber tudo sobre ele? Clica aqui que a gente te conta! 😉

marketing digital no e-business

Modalidades de relacionamentos

Outra parte importante na hora de montar seu e-business é entender quais as modalidades de relacionamento ele engloba. Vamos passar pelas principais formas de interação presente nesse processo agora!

B2B: Business to Business

O modelo B2B se baseia em uma relação entre empresas, ou seja, se você mantém algum tipo de transação de bens ou serviços com outra empresa – como um fornecedor, por exemplo – existe aí uma relação de Business to Business.

B2C: Business to Client

Já o modelo B2C determina que sua empresa mantém relação com um cliente ou consumidor – ou seja, você vende bens ou serviços diretamente em sua plataforma ou site. Esse tipo de relação é um dos mais comuns de se encontrar na internet, uma vez que engloba exatamente o e-commerce, a parte visível de todo os processo presentes no e-business.

B2E: Business to Employee

A modalidade B2E diz respeito à relação mantida entre a empresa e seus funcionários com auxílio da internet. Iniciativas como treinamentos online e portais de departamentos se caracterizam como B2E.

E se você quer saber tudo sobre porque e como elaborar atividades de treinamento e desenvolvimento para colaboradores é só clicar aqui 😉

C2B: Customer to Business

Ao contrário do B2C, na modalidade C2B um indivíduo utiliza a internet como meio de vender seus serviços a uma empresa. Aqui temos como exemplos o cadastro de currículos em plataformas de empresas ou até mesmo o envio de sugestões e/ou reclamações ao site da corporação.

C2C: Customer to Customer

A relação estabelecida no C2C é entre consumidores, ou seja: as transações comerciais acontecem indivíduos na internet, sem a necessidade do intermédio de uma empresa. Essa modalidade pode ser exemplificada por sites de leilão e classificados.

B2B2C: Business to Business to Customer

Outra modalidade importante do e-business é a que caracteriza a relação em que um atacadista vende para o distribuidor que, então, vende o produto para o consumidor final, sendo todas as etapas dessa transação feitas com auxílio da internet. Algumas vantagens desse modelo é a escalabilidade e o aumento do brand awareness (exposição da marca).

E-Learning

Outro meio de explorar um e-business é investir no e-Learning, isto é, usar a internet como forma de oferecer cursos, aulas e treinamentos para os usuários. Dentro deste cenário, o EAD e os Cursos Livres, por exemplo, têm se tornado um fenômeno cada vez maior.

Benefícios de investir em um e-business

Agora você já sabe como se estrutura um e-business, mas, afinal, quais os benefícios de transformar seu negócio em um empreendimento online ou já criar sua empresa diretamente na web? Bom, as vantagens de investir nessa estratégia se refletem, principalmente em dois âmbitos: o da empresa e o do consumidor do seu produto ou serviço.

O e-business e sua empresa

Vamos começar com os pontos positivos que o e-business pode trazer para o seu negócio. Quando pensamos no mundo web, pensamos em globalização – afinal, as barreiras geográficas conhecidas por complicar processos de uma empresa deixam de existir. Portanto, ao investir em um ambiente de trabalho virtual, além da possibilidade de montar uma equipe mais globalizada, você também consegue uma maior visibilidade do seu negócio, uma vez que o mercado online faz com que o contato com sua empresa se expanda.

Além disso, você garante que seus produtos ou serviços estejam disponíveis para compra ou consulta em qualquer horário e dia, podendo, assim, atender um número maior de clientes. E, por falar em clientes, o e-business te permite um conhecimento mais vasto sobre o perfil de seu público, uma segmentação mais eficaz das suas personas e relatórios mais apurados a respeito do padrão de consumo deles.

Por fim, migrar para o mundo web te garante rapidez em negociações e transações, no teste e na implementação de estratégias novas e na chance de aproveitar oportunidades ou se proteger de riscos.

O e-business e o consumidor

E se o e-business é cômodo para a empresa, também traz a comodidade que o consumidor está cada vez mais procurando na hora de fazer uma compra.

Com a facilidade da comparação preços e ofertas na palma da mão, as pessoas podem realizar transações comerciais sem sair de casa. Com isso, elas têm a possibilidade de contato maior com novos mercados e/ou empresas que antes não teria.

Além disso, com o trabalho e estudos consumindo cada vez uma parte maior do dia, os consumidores passam a ter a chance de fazer suas compras a qualquer momento, com redução do tempo e custo nas transações.


O e-business tem crescido no mercado de negócios e, agora que ele deixou de ser um mistério, você pode ter essa estratégia em mente na hora de tirar a sua ideia do papel e dar início à sua empresa.

Para te ajudar nesse processo, montamos um infográfico que te mostra o passo a passo para que você possa iniciar, crescer e expandir sua startup! Vamos nessa?

jogo da vida startups de e-business

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.