Por Em Em 8 março, 2017

Empreendedorismo feminino: negócios que transformam

“Entenda o que é empreendedorismo feminino e qual a importância desse movimento para a sociedade.”

Topo_Empreendedorismo-Feminino (2)

Há muitos anos as mulheres vêm lutando para garantir uma condição e posição mais igualitária na sociedade e muito já foi alcançado nesse sentido, como a garantia do direito feminino ao voto, à educação, e a criação da Lei Maria da Penha, por exemplo. Porém, estamos longe de viver em um mundo ideal no que diz respeito à igualdade de gênero e isso fica bastante claro quando olhamos para determinados pontos e estimativas.

Segundo dados da ONU, uma a cada três mulheres no mundo inteiro já foi espancada ou vítima de violência sexual e o Brasil é o quinto país com o maior índice de casos de feminicídio no mundo. Estima-se também que em nosso país, uma denúncia de violência contra a mulher é realizada a cada 7 minutos e, destas, 70% são cometidas pelo parceiro da vítima.

E quando partimos para outros cenários, a situação também é complicada. Basta considerar o âmbito profissional, por exemplo. Quando pensamos que há pouco mais de 50 anos, mulheres casadas precisavam de autorização do marido para trabalhar, a situação que vivemos hoje parece fantástica. Porém, ela também está longe de ser a ideal. No mercado de trabalho brasileiro, de forma geral, apesar do maior nível de escolaridade e de desempenhar as mesmas funções que os homens, as mulheres ainda recebem salários que podem ser até 50% menores. E se isso, por si só, já é absurdo, vale acrescentar que de acordo com uma projeção feita pelo Fórum Econômico Mundial, só haverá igualdade salarial no Brasil em aproximadamente 100 anos se o progresso atual for mantido.

Porém, apesar desse quadro, de todos os preconceitos e dificuldades que uma mulher enfrenta para avançar com sua carreira, cada vez mais, elas têm assumido posições de destaque no mercado de trabalho. Nesse sentido, um movimento que vem ganhando destaque e bastante força é o empreendedorismo feminino.

Uma pesquisa do SEBRAE já mostra, por exemplo, que de 2001 a 2011, o número de mulheres empreendedoras cresceu 21%, enquanto o de homens cresceu apenas 9%. Além do mais, segundo outro estudo, da Serasa Experian, hoje, 43% de todos os negócios no país é comandado por mulheres e 73% de todas as mulheres no país é sócia de alguma pequena ou média empresa.

Portanto, é importante discutir sobre esse fenômeno e garantir que ele tenha visibilidade. Afinal, além de reafirmar a posição da mulher como essencial para a sociedade em todos os seus âmbitos, conhecer sobre o empreendedorismo feminino pode ser o primeiro passo para que mais mulheres se dediquem a essa atividade e transformem não só a sua realidade, mas também a de muitas pessoas a seu redor.

Continue lendo o texto para compreender mais sobre o assunto e conhecer os projetos inspiradores de mulheres incríveis no país inteiro – especialmente em BH.

O que é empreendedorismo feminino e qual a sua importância?

Empreendedorismo feminino pode ser considerado como qualquer ação empreendedora que é realizada especialmente por mulheres. Quando falamos de empreendedorismo, muitas vezes limitamos nosso pensamento às grandes empresas e projetos, mas é importante compreender que, principalmente o empreendedorismo feminino, vai muito além disso. Afinal, mais do que apenas ter o próprio negócio e lucrar insanamente com ele, o empreendedorismo feminino empodera, dá mais espaço e visibilidade para tratarmos sobre questões de gênero, impacta positivamente as comunidades e oferece uma nova perspectiva de vida para quem realmente precisa.

Portanto, a mulher que produz sabão com suas filhas para vender em seu bairro é uma empreendedora. Aquela que faz salgados e bolos por encomenda e é conhecida em toda a comunidade é uma empreendedora. E a que tem uma lojinha de artesanato virtual e faz bordados e pinturas, também! Assim como as que abrem grandes negócios e startups, que são extremamente importantes para esse movimento.

Mais do que como o simples ato de empreender, é importante entender o empreendedorismo feminino como um importante instrumento de transformação social. Muitas pessoas tendem a achar que ele é apenas uma variação do empreendedorismo geral, um termo chato e desnecessário. Mas não! Ele é necessário na medida em que vai além do tradicional e se traduz como um movimento importante para dar força e visibilidade a outras questões relacionadas ao universo feminino.

Através do empreendedorismo feminino, muitas mulheres encontram uma forma de se sustentar, de ganhar espaço na sociedade, de fazer a diferença em sua família ou comunidade e por isso o movimento é tão importante. Alguns estudos hoje já mostram que as mulheres, quando empreendem, além de buscarem por lucro, fazem isso para terem satisfação pessoal e, principalmente, para que possam trazer algo de bom para o mundo. Além do mais, elas também costumam investir prioritariamente na educação de sua família, o que é essencial para a sociedade como um todo.  

Os desafios que mulheres empreendedoras ainda enfrentam

Apesar dos visíveis avanços que temos em relação à conquista de espaço da mulher no ambiente empreendedor, ainda existem muitas dificuldades e desafios que impedem um crescimento ainda maior do empreendedorismo feminino. O principal deles é o preconceito. Durante muito tempo, acreditou-se que a mulher foi feita exclusivamente para cuidar de casa e dos filhos e que, então, ela não tinha capacidade para executar nenhuma outra tarefa que não fosse relacionada ao lar e a maternidade. Porém, com o tempo, e graças às reivindicações de grupos, essa situação foi se modificando e a mulher foi conquistando seu espaço em outros cenários. Ela estudou, entrou no mercado de trabalho, chegou a cargos de liderança e hoje tem seu próprio negócio.

Mesmo assim, até hoje, a mulher precisa lutar para mostrar à sociedade que “seu lugar” é onde ela quiser e que características biológicas não definem ou limitam sua competência e capacidade. Muitas mulheres, quando vão assumir seu negócio, ainda têm dificuldade de serem respeitadas e levadas a sério, principalmente quando lidam diretamente com homens. Esse é um obstáculo muito grande pelo qual as empreendedoras infelizmente ainda precisam passar e que pode comprometer o sucesso de um negócio ou a iniciativa de uma mulher.

Outro desafio é relacionado à questão da autoconfiança. Como as mulheres apenas muito recentemente, passaram a ter mais contato com o mundo dos negócios e o ambiente empreendedor, ao contrário dos homens, elas muitas vezes se sentem inseguras e despreparadas para tocar o próprio negócio. E isso, além de ser um problema para a própria empreendedora, reflete em suas atitudes, decisões e faz com que ela perca credibilidade perante outras pessoas e empreendedores.

É importante que as mulheres trabalhem esse ponto e encontrem formas de se tornarem mais confiantes em seu próprio trabalho e em seu conhecimento e experiência. Se manter sempre atualizada, fazer cursos e estudar sobre o seu mercado de atuação, por exemplo, é uma ótima forma de fazer isso.

Por fim, as iniciativas empreendedoras femininas ainda estão em um período de crescimento e o cenário empreendedor, assim como boa parte do mercado de trabalho, é predominantemente masculino. Com isso, muitas mulheres se sentem intimidadas na hora de fazer networking, de apresentar seu negócio, de falar com outros empreendedores e em muitas outras situações. Afinal, para os homens é mais natural assumir posições de destaque, liderar e ser proativo do que para as mulheres, que por muito tempo assumiram um lugar secundário na sociedade.

Nesse cenário, é importante, portanto, que as empreendedoras tenham noção desses desafios e  ajam de modo a superá-los, assumindo um papel de protagonismo e de liderança de forma igualitária aos homens. Além do mais, é extremamente relevante que essas mulheres busquem apoio umas com as outras, para compartilhar experiências, conhecimento e se apoiar.  

12 empreendedoras – de todos os tamanhos e setores – para se inspirar

Mesmo com todos os desafios, existem dezenas de projetos incríveis e super inspiradores com mulheres no comando e eles são a prova de que o empreendedorismo feminino é real e tem capacidade para crescer cada vez mais, transformando nossa realidade.

A seguir, listamos 12 empreendedoras – com projetos de diversos tipos e tamanhos – para que você se inspire e tenha insights para começar seu próprio negócio.

RobertaRoberta Vasconcelos

Roberta Vasconcelos é um excelente exemplo quando se fala de iniciativas empreendedoras femininas e tem feito sucesso com os aplicativos que criou.

Já ouviu falar no Beer or Coffee? Ele é um app através da qual empresários e usuários em geral podem encontrar outras pessoas com habilidades ou interesses em comum e combinar de tomar um cafézinho ou aquela cerveja! Ele já está sendo considerado como o Tinder dos negócios e foi criado pela Roberta!

Antes disso, ela já tinha criado um outro app, o Things You Should Do e tem grande experiência no ambiente empreendedor, de startups, tendo inclusive trabalhado aqui na Samba!

CamilaCamila Farani

A Camila, além de já ter atuado fortemente no empreendedorismo feminino, criando vários negócios e sendo sócia de outros, hoje se destaca por sua atividade como investidora anjo. Ela é presidente do Gávea Angels, um dos primeiros grupos de investimento anjo do país, e também co-fundadora da Lab 22, uma botique de Startups em São Paulo, e do MIA, Mulheres Investidoras Anjo, grupo pioneiro no investimento anjo feminino.

Camila também é uma grande apoiadora do movimento empreendedor feminino e já ofereceu mentoria a mais de 500 mulheres no mundo inteiro.

Hannah-e-LeticiaHannah Carvalho e Letícia Tomas

Buscando dar mais visibilidade para artistas femininas da cena musical independente, essas duas mulheres fundaram a PWR Records. A Power é uma gravadora que busca dar mais visibilidade para mulheres que participam de bandas indies ou que tem um projeto solo nesse sentido. Além de fazer a gravação dos CDs, a Power ajuda com a divulgação, criação de camisetas, faz outros merchans e ajuda com o apoio e suporte.

A ideia da Hannah e da Letícia com o projeto é mostrar que, ao contrário do que muita gente pensa, existem sim muitas mulheres na música e não só no cenário pop. As mulheres do rock e do indie são extremamente talentosas e merecem mais visibilidade.

CristinaCristina Junqueira

Ela é Co-fundadora de um dos serviços mais incríveis do país: o Nubank, cartão de crédito sem banco. O Nubank funciona como um serviço digital que é totalmente controlado pelo celular, sem o intermédio de bancos e então, também sem sua tradicional burocracia, falta de transparência e distância do cliente. O negócio está fazendo grande sucesso e hoje as pessoas conseguem amar um cartão de crédito – algo que antes não parecia possível.

Cristina Junqueira venceu o Prêmio Cláudia 2016 na categoria negócios e, na ocasião, falou às mulheres: “Obrigada a todas! A gente tem que se ajudar, o mundo já é difícil demais. Precisamos trocar as críticas por elogios”.

LeniseLenise Regina

A Lenise é uma empreendedora de Belo Horizonte e é Co-fundadora do Beagá Cool. O Beagá Cool é uma iniciativa que tem como objetivo incentivar os negócios locais com fins criativos através da criação de uma espécie de comunidade empreendedora – o Distrito Criativo.

Para o projeto, Cool é um acrônimo de Criativo, Original, Ousado e Local e negócios com esse tipo de perfil podem se inscrever para fazer parte da comunidade. Uma vez dentro, de forma colaborativa, eles receberão descontos, benefícios e incentivos de outras empresas e pessoas para ajudar com o desenvolvimento do projeto.

É uma iniciativa incrível que ajuda a acelerar outros negócios e deixa Belo Horizonte realmente mais Cool!

Fabi-e-MarinaFabi Soares e Marina Montenegro

Essas duas mulheres criaram um negócio incrível em BH: a Mooca. A Mooca é uma loja colaborativa (a primeira do Brasil) dedicada a incentivar a produção local de roupas, acessórios e outros objetos que sejam mais artesanais e criativos. O negócio é totalmente colaborativo e não só o lucro é dividido entre os produtores, mas também o próprio trabalho e os gastos com a loja.

E o bacana é que a Mooca não só vende os produtos, mas também oferece mentorias aos produtores, organiza encontros, incentiva a criação colaborativa e, assim, ajuda essas pessoas a também terem mais sucesso.

A Fabi e a Marina já foram essenciais para impulsionar projetos de muitas pessoas, o que gera uma rede de colaboração e incentivo aos negócios locais.

Ana-PaulaAna Paula Padrão

A Ana Paula Padrão é reconhecida por sua participação no jornalismo e na TV em geral (ela atualmente é a apresentadora do sucesso MasterChef), e tem uma iniciativa incrível de incentivo ao empreendedorismo feminino: o Escola de Você.

Através dessa plataforma, com aulas em vídeo, ela incentiva o empoderamento feminino, dá dicas sobre empreendedorismo e crescimento pessoal e fala muito sobre a importância de tratarmos de assuntos relacionados a esse universo.

Em suas redes sociais, aproveitando sua visibilidade, ela também sempre trata de assuntos relevantes como protagonismo feminino, sororidade e dá dicas e incentivos a mulheres que querem fazer a diferença no mercado de trabalho e no mundo dos negócios.  

PriscilaPriscila Gama

A Priscila Gama é fundadora do Malalai, um app incrível que ajuda a deixar a vida de outras mulheres mais segura e tranquila. Ele funciona de forma bem simples: através da classificação e comentários das próprias usuárias, é possível ver o quão segura é uma rota ou ponto da cidade (se tem policiamento constante, se tem bastante movimento, se tem iluminação) e, assim, se programar melhor para quando precisar passar por esse local.

Além do mais, o app pode ser configurado para enviar mensagens automáticas para pessoas pré-definidas, avisando sobre seu horário de chegada, localização e outras informações. Assim, você cria um alarme e deixa as pessoas informadas caso algo inesperado aconteça.

O app é excelente e também ajuda a empoderar outras mulheres, aumentando sua segurança e confiança <3

BeeBee Reis

Mulheres que não se encaixam no padrão de beleza magro imposto pela sociedade, costumam ter bastante dificuldade na hora de encontrar roupas e, principalmente peças íntimas, que sejam bonitas e confortáveis. Pensando nisso, a Bee criou a F.A.T, For All Types, que é uma marca de lingeries e biquínis para mulheres que vestem acima do tamanho 46.

Com a loja, além de oferecer opções para quem precisa de peças em tamanhos maiores, Bee ajuda a fazer com que essas mulheres se sintam mais à vontade com seu corpo e resgatem sua sensualidade e auto-estima.

Mais do que uma marca de roupas, Bee criou uma forma de empoderar mulheres e melhorar sua relação com o peso e a aparência.  

Qual é o futuro do empreendedorismo feminino?

A tendência é que o empreendedorismo feminino continue crescendo nos próximos anos e que as mulheres, cada vez mais, assumam papéis estratégicos nesse cenário. Graças às iniciativas de grupos sociais, empresas e outras mulheres, aos poucos, os preconceitos estão sendo quebrados, as empreendedoras estão ganhando mais voz e o mercado está se tornando mais receptivo à essas mulheres.

Ainda há um longo caminho a ser percorrido, mas a tendência é que ele fique cada vez menos tortuoso. E uma das formas de colaborar para isso, é reconhecer os trabalhos e iniciativas dessas diferentes mulheres que já estão fazendo história com o empreendedorismo. Divulgue, apoie, busque informação e sempre pense no trabalho dessas mulheres quando for buscar qualquer tipo de produto ou serviço.


O caminho que as mulheres precisam percorrer em busca de igualdade ainda é longo. Mas muito já foi conquistado e iniciativas como as que citamos ajudam a mostrar o poder feminino nos negócios e sua capacidade de inovar, criar, transformar e crescer.

No dia 08 de março, a Samba expressa toda sua admiração pelas mulheres e deseja força para que elas continuem lutando por igualdade, conquistem seu espaço e criem projetos incríveis. É dever de todas as pessoas e empresas contribuir para um mundo mais justo e isso deve ser feito todos os dias, não só no 08 de março.   

Aproveitamos a ocasião para agradecer e homenagear todas as nossas colaboradoras, que são a personificação da competência, cuidado e força e são essenciais para a empresa que construímos e temos tanto orgulho <3 

crie sua startup e fortaleca o investimento feminino

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.