Por Em , Em 4 novembro, 2016

Gamification: o conceito, as vantagens e aplicação no contexto educacional

“Entenda tudo sobre gamification e veja dicas para aplicar o conceito no contexto educacional.”

gamification no ead

De acordo com uma pesquisa recente, juntando todas as pessoas do planeta, nós gastamos 3 bilhões de horas por semana jogando no computador ou em um vídeo game de forma espontânea, apenas por diversão ou obstinação em alcançar o objetivo do jogo ou garantir aqueles itens especiais e todas as recompensas disponíveis no game.

Os jogos atraem e motivam as pessoas há milênios e jogar já é algo natural em nossa cultura, independente do contexto. E isso é tão evidente que há mais de 40 anos atrás, as pessoas já começavam a pensar em formas de utilizar os games para auxiliar em tarefas cotidianas, como o trabalho no escritório ou o desenvolvimento de uma nova habilidade. Surgia aí então, mesmo sem se saber, o que chamamos hoje de gamification ou gamificação.

Desde então, a lógica dos games tem sido aplicada em diferentes contextos e gerado benefícios para as organizações e nos últimos anos ganhou ainda mais destaque e relevância, principalmente depois de 2010, quando a designer de games Jane McGonigal deu uma palestra histórica no TED Talks sobre o tema. Se você ainda não viu seu discurso, intitulado “Jogando por um mundo melhor”, vale muito a pena dar o play no vídeo abaixo – e se você já viu, vale a pena mesmo assim!

Dentre as muitas coisas que Jane cita em sua palestra, ela fala sobre a importância dos jogos e como apenas jogando mais, cerca de 21 bilhões de horas por semana, é que será possível encontrar soluções para problemas mundiais como a fome e a devastação do meio ambiente.

Parece chocante, mas faz muito sentido e você vai compreender um pouco do porquê se continuar lendo este artigo. Aqui você vai entender um pouco de como o gamification pode ser aplicado ao aprendizado no contexto de EAD, mas também vai poder entender esse conceito de forma geral, tendo insights para utilizá-lo em outros contextos.

Vamos lá?

O que é gamification ou gamificação?

Gamification, ou gamificação, consiste em usar técnicas, estratégias e o design de games em outros contextos que não sejam esses próprios games. É trazer o jogo para a realidade e com isso impactar pontos como engajamento, produtividade, foco, determinação e outros, tornando mais simples atingir metas e objetivos em qualquer contexto.

Por meio do gamification, é possível transformar rotinas de trabalho ou estudo e fazer com que as pessoas se sintam mais inclinadas a se dedicar às tarefas e desafios que cada situação exige.

Segundo uma estimativa da Gartner, até 2018, a gamificação será um mercado de mais de 5 bilhões de dólares no mundo todo e até 2020, 70% das maiores empresas do mundo terão pelo menos uma aplicação que utiliza esse conceito e ele será algo fundamental.

Tendo tudo isso em mente, uma pergunta começa a incomodar: Por que hoje se gasta tanto tempo com jogos de forma espontânea e determinada, mas se tem tanta dificuldade quando é necessário se dedicar a outras tarefas que, aparentemente exigem o mesmo esforço, como estudar ou buscar conhecimentos que serão importantes para a vida ou carreira?

A resposta para isso pode parecer óbvia, mas, incrivelmente, ela não se resume ao fator diversão.

Por que gamification é tão efetivo?

De acordo com especialistas, a experiência com os games vai muito além do fator entretenimento e passa por outros pontos básicos, como a necessidade de competição, que é inerente a todo ser humano, os feedbacks instantâneos, a possibilidade de evolução rápida, e também a busca por recompensas e prêmios tangíveis. A criação de comunidades e o senso de urgência trabalhado nos games também é algo que incentiva que se continue jogando e torna possível que os objetivos sejam atingidos.

Competitividade e recompensas

Dentro de um game, os desafios estão presentes o tempo todo e você quer, de todo jeito mostrar que é melhor do que a máquina ou seus amigos jogadores. E por que? Por mera competitividade. A busca por competição é algo natural do ser humano e a maioria das pessoas se sente extremamente realizada de poder se afirmar como a melhor ou mais poderosa em alguma coisa. E o melhor é que nos games essa competitividade rende prêmios, reconhecimento e itens valiosos que você sabe que estarão disponíveis e que vão facilitar sua caminhada durante o jogo.

Superação

Como colocado por Jane em sua palestra, em um jogo, você nunca recebe desafios que estejam além do que você pode superar com seu nível de jogador, e isso por si só já é um incentivo. Porém, ao mesmo tempo, para superar cada desafio, você precisa dar o máximo de si, pois eles exigirão o uso e domínio das habilidades mais extremas que você adquiriu em seu percurso e é isso que faz cada vitória ser tão prazerosa.

Em pontos estratégicos dos jogos, você acha que realmente não vai conseguir avançar e que determinada tarefa exige mais competências do que as que você já tem, como algo além da imaginação. Porém, com esforço é possível superar esses desafios e então os jogadores tem o que Jane chama de vitórias épicas, que contrariam todas as expectativas e, por isso, geram ainda mais satisfação.

Feedbacks e evolução rápidos

Além do mais, em um game, você recebe feedbacks o tempo todo e, com isso, vai aprendendo o que deve ou não fazer e consegue evoluir rapidamente. Se você faz algo certo, instantaneamente recebe as congratulações e recompensas, porém se faz algo errado, é “castigado” e perde vida, pontos, ou precisa voltar a um estágio anterior. Esse sistema facilita a evolução do jogador, o deixa mais atento aos obstáculos e determinado a conseguir superá-los, sabendo em que precisa melhorar ou quais são seus pontos fortes.

E no dia-a-dia…

Enquanto isso, nas tarefas da vida real, o avanço é quase sempre mais lento, as recompensas são intangíveis e geralmente vem em longo prazo, não há reconhecimento por cada fase que você passa, e a evolução, assim como os feedbacks recebidos, é lenta e, algumas vezes, nem sentida. No mundo real, normalmente é muito mais difícil saber quando você está no caminho certo para atingir um objetivo e não há nenhuma certeza que ele realmente será alcançado. Falta a sensação da vitória épica.

Por isso, investir em gamification ou gamificação, é tão eficiente em diferentes contextos. Mais do que uma ótima forma de fazer com que as pessoas se engajem com determinada situação, gamification oferece incentivos para que elas se sintam empolgadas para realizar uma ação ou progredir com uma tarefa.

Se você quer aumentar a produtividade em sua empresa, veja também como investir em educação corporativa pode ajudar.

Vantagens e benefícios de utilizar gamification no EAD

E no contexto educacional, principalmente do ensino à distância, investir em gamification pode trazer benefícios diversos, em relação ao aprendizado, à forma como os alunos enxergam seus objetivos e à sua motivação e determinação. E com alunos mais motivados e empenhados, seus resultados serão cada vez melhores e você com certeza será um destaque no mercado educacional. Confira abaixo algumas das vantagens mais evidentes de se investir em gamification no contexto educacional:

Maior engajamento dos alunos com o conteúdo

Trabalhando com uma lógica de gamification baseada em um sistema de desafios, acumulo de pontos ou desbloqueio de recompensas, por exemplo, você vai conseguir fazer com que seus alunos se sintam muito mais motivados a continuar aprendendo e correndo atrás de bons resultados. O sentimento de constante evolução e a noção de competição com os outros alunos também irão aumentar sua vontade de continuar aprendendo e fazer com que o estudante queira melhorar sempre mais.

Aprendizado facilitado

Os feedbacks serão essenciais para que essa vantagem seja alcançada de forma concreta. Sabendo sempre o resultado de cada uma de suas ações e as consequências de suas atitudes, o aluno poderá corrigir a forma como estuda e assim, atingir seus objetivos de forma mais rápida e assertiva. Além do mais, com todos os incentivos trazidos pela gamificação da educação, o estudante também poderá adquirir conhecimento de forma mais prazerosa e eficiente, absorvendo os conteúdos de forma mais simples, rápida e menos dolorosa.

Evolução mais rápida

Graças aos feedbacks novamente, os alunos poderão corrigir suas falhas rapidamente, trabalhar seus pontos fortes e estudar visando um objetivo, que é atingir a vitória épica de passar em um vestibular ou concurso público, por exemplo. Com o gamification o aluno não fica insistindo em seus erros: ele aprende a reconhecê-los e trabalha para melhorar, conseguindo evoluir muito mais rápido. Os incentivos já citados também contribuem para que o aluno se desenvolva mais rapidamente e de forma menos traumática.

Trabalho direcionado à um objetivo

Com a gamificação o aluno fica ciente o tempo todo do nível em que ele está e de qual serão seus desafios a cada etapa, que acabarão lhe proporcionando a vitória épica. Nos sistemas educacionais gamificados, assim como nos próprios jogos, os alunos nunca receberão um desafio que supere suas capacidades, mas serão cobrados ao limite, para que possam evoluir em direção à um objetivo maior.   

Como implantar gamification no EAD

E se você está pensando que implantar um sistema de gamification em seu EAD é algo caro, complicado ou que exige muitos recursos, está fortemente enganado. Com algumas medidas bem simples, você consegue aplicar noções de gamification a seu conteúdo e incentiva que os alunos tenham mais engajamento, motivação e possam evoluir de forma rápida e bem sucedida. Conheça algumas delas:

Criando um sistema de pontuação e evolução

Uma das formas mais simples de trabalhar com a gamificação em um EAD é através dos sistemas de pontuação e evolução. Atribua pontos a cada tarefa que o aluno realizar em seu curso, como terminar um módulo, realizar uma prova ou acertar uma percentagem de questões em um desafio, e faça com que ele tenha vontade de juntar esses pontos, seja para passar de nível, trocar por recompensas ou competir com outros jogadores.

Você já sabe como criar, vender e distribuir seus próprios cursos online? Vale dar uma olhada nesse artigo aqui!

Oferecendo recompensas

Oferecer recompensas é mais um incentivo para que seus alunos busquem o aprendizado de forma mais efetiva, rápida e organizada e os motiva a querer estudar e evoluir sempre mais. Ofereça recompensas quando o aluno concluir tarefas específicas que o aproximem de seu objetivo final, ou se você usa um sistema de pontuação e evolução, quando ele atingir um número de pontos ou trocar de nível.

Estimulando a competição

Fazer com que as pessoas entrem em uma competição saudável é algo que as estimulará a aprender cada vez mais e com mais qualidade, para que possam estar sempre na frente. Portanto, crie um sistema de competição em seu EAD, seja aliado a seu sistema de pontuação ou à recompensas – oferecendo um prêmio para os cinco melhores em um simulado, por exemplo – e veja como o engajamento e aprendizado dos alunos tenderá a crescer mais e mais.

Oferecendo feedbacks rápidos e constantes

Como já citamos, os feedbacks são uma parte essencial no universo dos games e na vida real irão garantir que seus alunos evoluam de forma mais rápida e assertiva. Implante um bom sistema de feedback em seu EAD e sempre deixe os alunos cientes dos resultados de seus esforços. Por exemplo, se uma pessoa está ficando ativa em um curso por um tempo menor do que deveria diariamente, envie uma notificação avisando como isso impactará em seu desempenho. Ou se alguém fez uma prova e foi mal em questões específicas de matemática, informe-a sobre essa deficiência e envie conteúdo extra sobre a matéria para ela. Se um aluno passou de módulo, parabenize sua evolução e envie algo especial para ele, que vá ajudar na próxima etapa. Assim, você deixa o aluno sempre ciente de seus resultados, faz com que ele evolua da forma certa e aumenta a eficiência do aprendizado.

Tecnologia e gamificação

A tecnologia contribuiu bastante para que houvesse essa popularização do gamification, pois facilitou o contato das pessoas com os jogos e permitiu que eles fossem criados para contextos específicos e com objetivos pré-determinados. Por exemplo, com o acesso a internet cada vez mais democrático, as empresas puderam criar jogos online para engajar seus colaboradores com suas tarefas, para oferecer recompensas ou para fazer com que todos pensem em soluções inovadoras para o negócio. Técnicas que antes também exigiam esforço manual, como a construção e atualização de quadros de pontos para estimular a competição, agora puderam ser feitas de forma digital e ficaram muito mais simples e dinâmicas.

No contexto do EAD, em que a tecnologia sempre esteve presente de diferentes formas, é ainda mais fácil fazer com que o gamification seja funcional e se torne um diferencial. Principalmente nos casos de quem utiliza a internet para transmitir conteúdo, fazer com que diferentes materiais se encaixem em uma lógica gamificada é ainda mais simples e efetivo e pode impactar pontos decisivos para o sucesso no mercado educacional, como as taxas de evasão.     

Gamification e storytelling

Outro conceito que anda muito conectado ao de gamification é o de storytelling. Storytelling nada mais é do que o ato de contar histórias para facilitar a compreensão de conteúdos específicos e é uma técnica que pode (ou deve!) ser utilizada para impulsionar sua estratégia de gamification. Pense só: se você fosse fazer um curso online ou algo do tipo, não se sentiria muito mais empolgado se em vez de módulos ele tivesse fases, se você fosse enfrentando alguns chefes em vez de provas e se você assumisse um personagem durante sua evolução? E é para tornar tudo isso possível que o storytelling entra! Aliado ao gamification, ele vai guiar as pessoas pela jornada do aprendizado e tornar tudo muito mais prazeroso, simples e memorável.

O storytelling vai dar sentido e direção à seus cursos e fazer com que os alunos aprendam de uma forma muito mais divertida. Estabeleça um contexto para o ensino – uma aventura de magia, medieval ou moderna, por exemplo – faça com que os alunos possam criar um personagem no início dos estudos e os guie de forma lógica e divertida pelas etapas do curso. Faça com que eles precisem superar desafios relacionados ao tema escolhido, ofereça itens especiais, e dê feedbacks e conteúdos de forma contextual e divertida também. Isso vai aumentar não só o engajamento dos alunos com seu EAD, mas também mudar a forma como eles lidam com cada material, além de aumentar a memorização e fixação de cada conteúdo.


E então? Convencido do poder dos games e pronto para aplicar sua lógica a seu EAD, ou outros contextos? Então mãos à obra!

Como você deve ter notado, criar uma realidade gamificada é mais simples do que parece a princípio e pode tornar tarefas cotidianas massantes em algo muito mais simples e prazeroso. Comece com algo fácil, como o que citamos nesse artigo, e repare como é possível modificar pontos como engajamento, motivação e retenção de conteúdo por parte das pessoas.

Caso ainda queira aprender mais sobre gamification, leia também nosso último infográfico sobre o assunto. Ah, e também temos um material especial para que você use humor de forma efetiva em seus conteúdos. Confira clicando na imagem abaixo!

Caso queira mais dicas sobre EAD, cursos online e como ter sucesso no mercado educacional, leia nossos materiais sobre o tema ou fale com a Samba! Temos um time especializado que poderá tirar todas as suas dúvidas e ajudar seu projeto a decolar. 😉

ensinar usando humor

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.