Por Em Em 9 maio, 2017

Pirataria digital: o que é e como evitar seus prejuízos

Quem trabalha com conteúdo, seja audiovisual, sonoro, escrito ou educacional, sabe que a pirataria é um problema sério e que pode impactar gravemente os ganhos com o negócio. Principalmente com a popularização do acesso à internet e sua melhoria em termos de velocidade e entrega de conteúdo, esse tipo de atividade ganhou ainda mais força e recebeu também um outro nome bastante adequado: pirataria digital.

Hoje, basta buscar pelo título de alguma obra que, entre os primeiros resultados, é possível encontrar sites que disponibilizem seu material para download ou reprodução gratuita. E não são apenas grandes produções que sofrem com esse tipo de problema: pequenos produtores de cursos, livros e outros conteúdos, se não tomam medidas pesadas de segurança, podem acabar tendo seus materiais comercializados sem autorização por preços absurdos em sites de livre negociação ou distribuído de forma ilegal pela internet.

Não é raro, portanto, termos grandes casos de vazamento de conteúdo, como aconteceu na última semana de abril (2017) quando um hacker ameaçou divulgar episódios de uma série da Netflix depois de ter invadido o sistema do estúdio responsável por sua produção.

E aqui no Brasil, devido à pouquíssima fiscalização e educação da população sobre as normas de direitos autorais, esse problema é ainda  mais grave. Segundo uma pesquisa da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI), em território brasileiro, de todos os CDs, DVDs e softwares comercializados, 52% são piratas – a média mundial é de mais ou menos 34%. Nosso país é o segundo que mais pratica a pirataria, perdendo apenas para a Espanha.

Mas na prática, como ocorre a pirataria digital? Quem ela afeta? É possível combatê-la e proteger seus conteúdos? Continue lendo nosso artigo para entender mais sobre o assunto.

Antes, dê uma olhadinha em nosso guia de monetização e entenda também as melhores formas de ganhar dinheiro com vídeos.

como ganhar dinheiro com vídeos evitando a pirataria digital

O que é pirataria digital e quais os tipos de pirataria?

Pirataria digital é o ato de distribuir ou comercializar na internet obras das quais você não possui os direitos. Hoje ela acontece de forma bastante expressiva, principalmente no Brasil, e seus prejuízos são sentidos de diversas formas. Além da mais conhecida pirataria de filmes e CDs, existe também a pirataria de softwares, de livros e de conteúdo educativo, como cursos e videoaulas.

A pirataria acontece quando qualquer pessoa, não detentora dos direitos de distribuição e comercialização de uma obra, oferece uma cópia digital dela por meio de downloads gratuitos ou da venda desses conteúdos a um preço muito mais baixo. Nesses casos, tanto quem oferece o material tanto quem o adquire, sabendo que ele era pirata, está cometendo um crime e pode responder judicialmente por suas ações.

Como a internet configura um meio muito eficiente para o compartilhamento de informações e dados de forma muito rápida, o controle dessas atividades ilegais é extremamente difícil. Por isso, cada vez mais os produtores de conteúdo estão investindo em ferramentas de segurança, para evitar prejuízos ao seu trabalho.

Quem é afetado pela pirataria digital e quais seus prejuízos?

Quando falamos de pirataria digital, a maioria das pessoas pensa que essa atividade afeta apenas os grandes produtores e pessoas que não precisam mais se preocupar com dinheiro. Porém, na prática, não é bem assim. Como já explicamos, a pirataria pode afetar produtores de conteúdo de diversos tipos e tamanhos e impacta diretamente não só em seu trabalho, mas também no de diversas outras pessoas envolvidas com a produção, divulgação e distribuição daquele material.

No caso de um livro, por exemplo, a pirataria digital impacta os ganhos do autor, do tradutor – se houver – da editora, do comerciante, e nem sempre estes são ricos e famosos. Eles dependem desse dinheiro, assim como outros profissionais. No caso de produtores de conteúdo, acontece o mesmo. Muitas vezes pequenos produtores começam a disponibilizar suas aulas e cursos na internet, mas tomam grandes prejuízos por causa da pirataria e distribuição ilegal de seus conteúdos, o que pode acabar arruinando todo o projeto.

O conteúdo, principalmente no caso de quem produz material educacional, é o ponto principal do negócio. Se ele é disponibilizado em outros locais por um preço menor ou com baixa qualidade, há uma desvalorização desse conteúdo e o produtor perde totalmente o sentido com seu empreendimento.

Além do mais, a pirataria digital também pode afetar o próprio usuário que consome esses produtos e conteúdos. Uma vez que esses materiais não tem uma fonte confiável ou estão armazenados de forma segura, eles podem acabar trazendo vírus para o aparelho ou deixando-o vulnerável a ataques e invasões. Por isso é importante evitar a pirataria e denunciar sites ou pessoas que incentivem essa prática.

Mitos e verdades sobre pirataria digital

Como um assunto que gera muita polêmica e que é pouco discutido – porque já se tornou normal e quase aceitável pelo público – a pirataria digital é cheia de mitos e tabus que precisam ser esclarecidos. Vamos a alguns deles:

Utilizar programas de torrent é ilegal

Mito. Esses programas são simples ferramentas criadas para facilitar o trânsito de dados entre um computador e outro. O problema é que hoje, na maioria das vezes, esses programas são utilizados para compartilhar obras sem autorização. E isso sim é ilegal!

Conteúdos e programas piratas podem estragar seu computador

Mito, de certa forma. Como explicamos, programas e conteúdos baixados da internet por meio de fontes desconhecidas, colocam seu computador em risco e te deixam vulnerável a vírus, invasões e ataques. Portanto, o que pode estragar seu computador são esses vírus, e não o programa ou conteúdo em si.

A pirataria digital prejudica negócios e a economia como um todo

Verdade. Quando uma obra é pirateada, como explicamos, isso prejudica não só seu autor, como todos os envolvidos em sua produção e comercialização. Além do mais, a pirataria pode arruinar negócios inteiros ao desvalorizar certos conteúdos que eram a especialidade do produtor.

A melhor forma de combater a pirataria é com a repressão dessa atividade

Mito, de certa forma. A pirataria digital ocorre por vários motivos, mas o principal alegado por quem consome esse tipo de material é relacionado à questões financeiras. Portanto, talvez a melhor alternativa para os produtores de conteúdo seja repensar seu modelo de distribuição de conteúdo, garantindo que as pessoas possam acessá-lo por um preço justo, e também investir mais em segurança de distribuição. Vamos falar mais sobre isso logo a seguir.

Como a pirataria tem sido superada

E se é tão complicado manter um conteúdo seguro hoje, quais medidas têm sido tomadas para evitar a pirataria?

Primeiramente, vale ressaltar que a segurança está sendo reforçada em todos os níveis. Os produtores estão cada vez mais preocupados com a tecnologia que utilizam para hospedar e distribuir seus vídeos. Diversas camadas de segurança têm sido implantadas nos conteúdos e em media centers para evitar que os conteúdos sejam clonados, copiados ou salvos sem autorização do autor. E isso faz toda a diferença para quem quer manter um negócio digital a base de vídeos, por exemplo.

Além do mais, diversas associações estão incentivando que as pessoas consumam apenas materiais originais e que denunciem a pirataria digital, seja ela de conteúdos ou softwares.

Iniciativas como a Netflix e o Spotify também são ótimos exemplos de como a pirataria pode ser combatida. Ambas plataformas funcionam no modelo de assinatura e cobram um pequeno valor mensal para que o usuário tenha acesso à milhares de conteúdos – audiovisuais, no caso do Netflix, e sonoros, no caso do Spotify. Isso faz com que o usuário se renda à comodidade e não se importe de pagar para ter acesso ilimitado à seus filmes e músicas preferidas. Afinal, assim ele não vai precisar perder horas procurando uma fonte pirata minimamente segura, de qualidade e que seja rápida. Nesses ambientes, todos os conteúdos são licenciados e, portanto, não há prejuízos nem para o produtor e nem para o usuário final.

E como você pode proteger o seu conteúdo

De acordo com uma pesquisa realizada recentemente pela Samba Tech, entre os produtores de vídeo que já sofreram com pirataria, 46% atribuem o problema à falhas da plataforma utilizada e 18% aos sites em que hospedam os vídeos. Portanto, utilizar uma boa estrutura tecnológica para hospedar e distribuir seus vídeos é essencial e pode evitar que você tenha problemas com a pirataria digital. Nesse sentido, dar preferência à soluções profissionais, em vez das gratuitas, pode ajudar bastante.

Nesse artigo aqui você também pode ver outro forte motivo para não utilizar plataformas gratuitas – e tem a ver com ganhos financeiros!

Com a tecnologia da Samba Tech, por exemplo, é possível proteger seu conteúdo de diversas formas e garantir que ele não vá parar em mãos erradas. Os vídeos em nossa plataforma são encriptados, possuem segurança por domínio – não podendo ser reproduzidos fora do seu site – e ainda é possível contar com a segurança por senha ou idade, por exemplo. Isso é essencial para todo negócio que funciona à base de conteúdos e não quer sofrer prejuízos com a cópia e distribuição ilegal de seus materiais.

E se o preço é um dos fatores que incentiva a pirataria, você pode fazer como o Spotify e Netflix, que já citamos. Eles oferecem o acesso a todo o seu conteúdo mediante o pagamento de uma assinatura mensal. E utilizando nossa solução, o Samba Play, você consegue criar o seu próprio canal de conteúdo completo e personalizado sem precisar contratar designers ou desenvolvedores. O site já vem totalmente pronto para que você comece a usar e vender seus conteúdos – já com plataforma de pagamento integrada e sem burocracias jurídicas.

Além do mais, todos podem ajudar não consumindo conteúdos e produtos piratas e denunciando iniciativas ilegais.


Agora que você já compreende um pouco mais sobre a pirataria digital e seus prejuízos para os produtores de conteúdo, já pode começar a pensar em formas de proteger o seu material e evitar que ele seja distribuído e comercializado sem autorização.

Se você trabalha com vídeos e quer ter um negócio eficiente e lucrativo, converse com a gente. Nós podemos te ajudar a evitar a pirataria e a ter excelentes resultados com o seu conteúdo. E se quiser conhecer melhor nossas soluções de segurança, dê uma olhada também no vídeo abaixo!

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.