Por Em Em 28 agosto, 2017

Precificação: entenda como calcular o preço do seu produto ou serviço!

Você sabe o que é precificação? Esse processo te ajudar a maximizar a capacidade produtiva da sua empresa seguindo uma lógica lucrativa e, exatamente por isso, a precificação garante que o seu negócio deslanche com uma segurança maior de faturamento.

Apostar em uma precificação bem estruturada é super importante na hora de decidir qual será o valor econômico do seu produto ou serviço e vai te auxiliar a criar uma estratégia de vendas que seja efetiva e coerente com o mercado e sua segmentação escolhida.

Mas para que você crie sua estratégia de precificação, você deve, antes entender mais a fundo a importância dela e escolher o método que mais combina com o seu negócio. Vamos discutir tudo isso agora. Vamos lá?

Mas antes de começar, que tal entender um pouco mais sobre planejamento estratégico e sua importância fundamental no seu negócio? 😉

planejamento e precificação

Preço x Valor

Antes de partir para a parte de precificação propriamente dita, é importante passar por dois termos que você vai ver bastante neste texto – e, mais especificamente, por sua diferença de significado.

Apesar de muitas vezes usarmos preço e valor como sinônimos, a verdade é que os dois conceitos sustentam sentidos diferentes.

Quando falamos em preço, estamos falando de de um lado mais quantitativo do seu produto. De uma maneira mais direta, isso quer dizer que o preço é calculado tendo como ponto de partida os processos que envolvem a fabricação do seu produto e o lucro que você deseja obter ali.

Portanto, o preço pode ser calculado pela soma de algumas variáveis como os custos e despesas de produção e operação, a tributação imposta àquele produto e a margem de lucro que você quer ganhar.

O valor de um produto, por outro lado, não se relaciona ao dinheiro, mas sim, em um âmbito mais filosófico, à percepção do cliente acerca do que você oferece. Ou seja, o valor se caracteriza como um conjunto de fatores qualitativos dados ao produto pelo próprio consumidor – como status, qualidade, necessidade, inovação, e exclusividade.

Por exemplo, sabe quando você vai no supermercado e na hora de escolher o sabão em pó você acaba preferindo um mais caro? Isso acontece, muito provavelmente, porque você atribuiu valor àquela marca específica! Talvez seja porque ela deixe as roupas cheirosas por mais tempo ou torne as peças mais macias: alguma qualidade te chamou atenção ali e te faz pensar que, mesmo com o preço mais alto, aquele produto vale mais à pena que seus concorrentes.

Inclusive, uma das estratégias usadas pelas empresas para incentivar seus clientes a criar esse valor de marca nos seus produtos,é o branding. Quer saber como? Então clica aqui! 🙂

Pronto! Agora que esclarecemos que a diferença fundamental entre preço e valor se configura na sua origem – o preço é determinado pelo produtor, mas o valor de um produto só pode ser atribuído pelos consumidores -, podemos seguir em frente para o nosso próximo conceito: a precificação!

Entendendo a precificação

Entender os conceitos de preço e valor é super importante para conseguir aplicar uma boa estratégia de precificação, afinal precificar nada mais é do que atribuir um uma quantia econômica ao bem ou serviço que você oferece.

A estratégia de precificação deve estar presente em qualquer empresa, seja ela de grande ou pequeno porte, pois esse planejamento é o responsável, entre outras coisas, pela obtenção de lucro e pelo aumento do volume de vendas do seu negócio.

A verdade é que a precificação é importante por conta de diversos fatores. Por isso, vamos debatê-los agora.

Mantenha-se competitivo

A gente sabe que o mercado é um lugar competitivo para a grande maioria das empresas (se não todas) e, exatamente por isso, algumas vezes você tem de enfrentar a concorrência em questões de preço, certo? Pois esse é um dos pontos em que uma boa estratégia de precificação vai te ajudar.

Ao fazer as análises necessárias e entender os fatores que envolvem o custo e as demandas do seu produto ou projeto, você consegue ter uma ideia mais profunda de até onde pode ir na hora de abaixar seu preço e fazer promoções.

Em outras palavras: a precificação te dá uma margem mínima de preço e, com ela, você sabe como ser competitivo sem acabar em prejuízos.

Ajuste-se ao seu público

Um dos fatores importantes na hora de decidir o preço do seu bem ou produto é o público alvo.

A precificação te ajuda a entender como se equilibrar entre o preço que o seu cliente pagaria e o preço que gera lucro para a sua empresa. Com isso, você já consegue entrar no mercado mais preparado para defender o preço do seu produto e se blindar quando em frente a adversidades do mundo de vendas.

Tenha uma estratégia mais definida

Com um projeto de precificação você consegue estabelecer não apenas o preço atual do seu produto, mas passa a ter em mãos os valores máximos e mínimos que você pode oferecer, possíveis descontos e ofertas, projeções de valores futuros e muito mais. Com isso, você consegue criar estratégias e metas mais definidas e objetivas para o seu negócio, sempre visando os melhores resultados para sua empresa.

Pontos importantes: o que você deve analisar antes de começar a precificação

Antes de escolher o método de precificação certo para o seu negócio e pegar a calculadora, você deve se atentar para alguns pontos significativos que vão, inclusive, te orientar durante as próximas etapas.

Conheça seus custos e despesas

Antes de colocar o preço em um produto, você deve saber quanto você gasta para produzi-lo, certo? Pois é exatamente esse o primeiro cálculo que você deve colocar no papel!

Aqui, é importante que você leve em conta três instâncias:

  • Impostos: faça uma pesquisa e descubra a taxa de impostos que recai sobre o seu produto ou serviço;
  • Custo operacional: quais serviços seu produto demanda para estar disponível para o público? De funcionários ao aluguel de espaço e/ou equipamentos: contabilize todos os gatos que serão necessários;
  • Custo de produto: pense também em quais os gatos para a fabricação em si daquele bem ou serviço (contabilize aspectos como matéria prima e embalagem, por exemplo)

 Toda essa análise é importante para que você consiga determinar uma valor que seja capaz de cobrir seus custos e despesas e reverter em algum tipo de lucro – mesmo que pequeno, no início. Sem ela, é possível que você pode acabar definindo preços que leve sua empresa à falência.

O mundo online: lembre-se que produtos digitais também têm custos e despesas a serem avaliados!

É claro que existem, também, os produtos vendidos online, então se você trabalha com e-commerce, infoproduto, aulas online ou canal de vídeos, por exemplo, é preciso entender que, apesar de mais econômico, o mundo web também tem seus custos e despesas.

Aqui a ideia é passar pelo mesmo processo de raciocínio que já demarcamos – imposto, custo operacional e de produção. A diferença, no entanto, é que algumas das variáveis usadas para fazer esse cálculo vão ser diferentes. Podemos separar, aqui, quatro das mais importantes:

  • Plataforma: com a venda online, você vai precisar de plataformas que te auxiliem nessa ponte entre empresa e clientes. De e-commerce a um canal de vídeos: você precisa encontrar o parceiro certo para colocar o seu conteúdo ou produto no ar!

E se você trabalha com vídeos, por exemplo, aqui na Samba Tech você consegue encontrar as plataformas certa para garantir que seu produto final tenha a qualidade profissional que ele merece!

  • Disponibilidade do produto ou demanda: é preciso que você disponibilize o maior catálogo de produtos o possível, desde que consiga garantir que eles estejam sempre disponível em estoque. Esse aspecto afeta diretamente no preço do produto, principalmente quando pensamos na relação entre valor e disponibilidade no mercado;
  • Frete: se seu negócio online trabalha com despachamento de mercadorias, você deve entender que o valor do frete pode afetar seu preço final;
  • Marketing digital: e-mail marketing, redes sociais, anúncios online, links patrocinados e e por aí vai – o marketing digital vai ser um dos seus principais aliados nesse momento. Portanto, ele acaba se tornando um dos nomes na sua lista de custos e despesas.

E aí, quer saber tudo sobre marketing digital e entender porque ele é um investimento necessário dentro do seu projeto? Então vem dar uma olhada no nosso Guia! 😉

marketing digital e precificação

Defina a margem de lucro pretendida

Outro ponto importante é calcular a margem de lucro líquido da sua empresa.

Depois de calcular as despesas e os gastos necessários para que seu projeto consiga ter força o suficiente para nascer e sobreviver, chega o momento de projetar o lucro que será revertido do seu negócio.

Mas o que é lucro líquido?

Quando dizemos de lucro líquido basicamente estamos dizendo do cálculo [faturamento total – custo de execução – despesas fixas e variáveis = lucro líquido].

Para ficar mais fácil, vamos a um exemplo: você tem um canal de vídeos onde você e mais três sócios dão aulas online de culinária. Vocês já têm 120 alunos que assinam o canal e pagam uma mensalidade (M), um custo de marketing digital (MD) mensal e o gasto com ingredientes para gravar as aulas (I). Como o canal tem seus vídeos gravados em casa, com seus próprios equipamentos vocês não gastam com aluguel de espaço, equipe técnica.

Nesse caso, portanto, o seu lucro líquido seria dado por [M – (MD + I)].

Com esse cálculo, você pode chegar a sua margem de lucro líquido, que nada mais é do que a porcentagem que seu lucro líquido desempenha no faturamento total.

E porque é importante calcular a margem de lucro?

A margem de lucro líquido vai te ajudar a entender quanto você realmente ganha com o seu empreendimento. Umas vez que olhar o faturamento total pode te enganar, com a porcentagem proveniente desse cálculo você consegue ter uma ideia mais concreta sobre como o seu negócio está indo e, assim, analisar sua saúde financeira.

Dentro da sua estratégia de precificação, estabelecer uma margem de lucro pretendida vai te ajudar não somente a chegar ao preço final do seu produto ou serviço, mas também vai te orientar quando você decidir ou precisar alterar o preço do que você vende.

O único cuidado que você deve tomar ao estabelecer esse parâmetro é em encontrar o equilíbrio: preços muito baixos podem atrair clientes facilmente mas não pagar as contas, enquanto preços muito altos podem afastar clientes.

Não ignore o mercado

Por fim – mas com certeza não menos importante – você deve se preocupar em não fazer vista grossa com o mercado. Por isso, pesquise não somente sua segmentação de mercado e o preço mais adequado para ela, mas também os concorrentes, seus produtos e preços: assim você consegue chegar a um valor econômico que seja otimizado ao mercado e lucrativo para o seu bolso! 😉

Métodos de precificação

Depois de toda essa análise, chega o momento de realmente colocar um prelo no seu produto ou serviço e, para isso, você pode seguir três critérios de precificação.

Vamos passar por cada um deles agora!

Baseada no custo

Este é, ainda, o método mais tradicional e utilizado na hora da precificação.

Aqui, você escolhe o preço baseando-se no custo – ou seja, você calcula o valor necessário para tirar a sua ideia do papel (contando custos de produção e execução), adiciona a margem de lucro que pretende obter e vòila: chega ao preço final.

O único problema desse método é que ele pode cair exatamente naquele problema do equilíbrio que falamos ali em cima. Ou você pode colocar um preço muito baixo que vai atrair clientes que não são interessante para o seu negócio (uma vez não vão comprar seu produto pelo valor, mas pelo preço), ou você pode colocar um preço muito alto logo de início (o que pode acabar afastando consumidores).

Baseada no valor percebido

Quando falamos no método de precificar a partir do valor percebido, voltamos lá naquela discussão do início do texto, quando entendemos que o valor vem de qualidades que o cliente percebe naquela marca ou produto específico.

Aqui, portanto, o seu foco principal não vai ser o custo de produção, mas o impacto do seu produto ou serviço na vida ou no negócio do cliente em questão. Isso ajuda a fazer com o que o cliente passe a ver sua empresa menos como uma prestadora de bens ou serviço, e mais como um aliado de peso, que vai ajudá-la a chegar nos resultados que ela deseja.

Por exemplo, se você trabalha com coaching ou com treinamentos e desenvolvimento, ao mostrar que sua parceria reflete não apenas pessoalmente em cada um dos colaboradores, mas também na produtividade e capacidade de inovação da empresa do seu cliente, você faz com que ele construa valor na sua marca.

Baseado na concorrência

Nesse método, basicamente, você se baseia na concorrência para conseguir chegar a um preço final para o seu produto. Esse tipo de precificação é mais comum quando um o seu bem ou serviço envolve algo mais abstrato, tornando-se de difícil condensação em um valor econômico.

Por exemplo, vamos supor que você trabalha com design gráfico e faz alguns jobs isolados para empresas e pessoas que te procurem. Por ser um processo mais criativo e esporádico, talvez o método de precificação mais eficaz para o seu caso seja fazer alguns benchmarkings com outras pessoas que trabalham do mesmo modo que você. Assim, analisando e aprendendo com a concorrência, você consegue chegar a um preço para o seu trabalho de uma maneira mais fácil.


A precificação é uma estratégia mais do que necessária quando pensamos na lucrabilidade e no futuro que você deseja para o seu negócio e, por isso, você deve fazer essa análise cuidadosamente.

É claro que, sozinha, a precificação não faz milagre: outras estratégias também são super importantes para que você consiga começar a ganhar dinheiro com a sua empresa.

Pensando nesse conjunto de fatores imprescindíveis para que seu negócio consiga ter sucesso, é importante que você saiba que, principalmente no ambiente digital, o vídeo online deve ser um de seus maiores aliados! O conteúdo em formato audiovisual pode ser usado de mais maneiras do que você imagina na hora de pensar o faturamento da sua empresa. Quer saber quais são elas? Então é só baixar nosso Guia aqui em baixo! 😉

 precificação em vídeo

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.