Qual é a importância do vídeo dentro de uma estratégia de Inbound Marketing?

Por Em Em abril 19, 2017

“Utilizar vídeo no Inbound Marketing é essencial. Descubra como trabalhar com esse conteúdo em cada etapa da jornada de compras.”

video no inbound marketing

Artigo produzido por Taynar Costa, Coordenadora de Conteúdo da Agência WCK.

Acho que é mais do que chover no molhado dizer que o consumidor mudou, certo? Ele está mais exigente, informado, crítico e, por que não, empoderado. E é por conta dessa mudança que cada vez mais o Marketing Digital, com foco especial no Inbound Marketing, tem florescido: hoje, as empresas não podem mais se comunicar e relacionar da mesma forma que há meros 5 anos atrás. Não se quiserem realmente se tornar relevantes para esse mercado.

Investir no Inbound Marketing então acaba sendo o mesmo que investir em um relacionamento com o seu consumidor em que as duas partes saem ganhando: você atrai o seu cliente, por meio de conteúdos com real valor para ele, e ele retribui essa entrega com interesse e compra do seu produto/serviço.

Tudo isso parece simples, não é verdade? Mas você precisa adicionar a essa relação o fato de que várias marcas também já perceberam isso e estão buscando novas maneiras de atingir esse mesmo consumidor. Ou seja, o seu cliente está sendo bombardeado com conteúdos de diversos lados, e os filtros que ajudarão a sua mensagem a chegar até ele devem envolver (além de conteúdo valoroso): criatividade, identificação, proximidade e facilidade de consumo, tudo dentro de um pacote visual atrativo.

Se com todas essas características você pensou em Vídeos,  está no caminho certo!

Por que usar vídeos no Inbound Marketing?

Não é segredo para ninguém que o vídeo é a menina dos olhos do

Marketing Digital. Ele oferece um meio envolvente, de fácil consumo, com senso de abordagem individual e extremamente compartilhável para atingir o seu público, sendo um importante aliado em uma estratégia com foco em atração.

Isso sem falar sobre a sua disponibilidade: os vídeos estão disponíveis para serem vistos quantas vezes o cliente quiser, no dispositivo que escolher e na hora em que for mais agradável para ele. Traduzindo: você estará entregando o que o seu cliente quer, da forma como ele escolher. E eu trouxe alguns dados que comprovam isso.

  • 90% dos consumidores afirmam que vídeos ajudam a tomar a decisão de compra;
  • O YouTube afirma que o consumo de vídeo por dispositivos móveis sobe 100% a cada ano;
  • 1/3 de toda atividade online é gasta vendo vídeos;
  • Segundo pesquisa da Hubspot, 55% dos entrevistados responderam que prestam mais atenção a vídeos do que outros tipos de conteúdo;
  • Para o Cisco, até 2020, os vídeos serão responsáveis por 82% de todo o tráfego de usuários na internet.

Ou seja, ao escolher usar vídeos dentro de uma estratégia, você está optando por se comunicar de uma maneira mais próxima e relacionável com o seu cliente, estando mais apto a conquistá-lo. Mas como usar vídeos de forma assertiva e levando em consideração cada etapa da jornada de compra do Inbound Marketing? É o que veremos a seguir.

Aqui neste e-book você também pode conferir mais detalhes sobre o uso dos vídeos no Marketing Digital e ver mais dicas para começar a trabalhar com esses conteúdos:

CTA-INBOUND.png

Como usar os vídeo no Inbound Marketing em cada etapa da jornada de compra

Você já deve ter lido muitas definições sobre a jornada de compra, mas não custa rememorar: a jornada é o caminho que o visitante do seu site (e possível comprador) percorre antes de comprar o seu produto, dividido em quatro etapas: Aprendizado e Descoberta, Reconhecimento do Problema, Consideração da Solução e Decisão de Compra.

Em cada etapa da jornada, o seu potencial cliente tem uma mentalidade diferente, logo, busca por informações e materiais diferentes. Identificar essas etapas e mapeá-las ajuda a conectar e direcionar o seu conteúdo, sendo mais assertivo nas suas ações e gerando mais resultados. É também uma forma importante de diminuir o seu ciclo de vendas (quanto melhor nutrido for o lead em cada etapa, mais rápido ele avançará até a compra).

Confira as características de cada etapa e os tipos de vídeos mais indicados para cada uma delas.

# Aprendizado e descoberta

Nesse estágio, você ainda não tem clientes, ou quiçá visitantes. Quem chega até a sua marca ainda é um estranho, que não conhece a sua empresa ou tem interesse na sua solução; esse será o primeiro contato entre vocês.

O seu objetivo nessa etapa é justamente inverter essa posição: atrair o máximo de visitantes que conseguir, de forma interessante e com entrega de conteúdo que faça sentido para o dia a dia deles – o que acabará estimulando a sua volta.

Para isso, antes de tudo, você precisa fazer o seu dever de casa e desenvolver detalhadamente a sua persona (esse desenho será o direcionamento de todo o seu conteúdo, então mãos na massa!).

Tenha em mente que na etapa da atração, seus conteúdos não são necessariamente sobre o seu produto; eles devem estar voltados para captar o interesse do seu espectador, abordando uma dor ou necessidade que ele talvez nem saiba ainda que tenha. E que você vai ajudar a descobrir!

Tipos de vídeos indicados:

  • Vídeos com conteúdos abrangentes e informativos;
  • Vídeo motivacionais e que passem a mensagem de “Você não está sozinho” (ressaltando a identificação). Nessa etapa, é hora de apostar em conteúdos mais humanizados (lembre que pessoas compram de pessoas, e não de empresas) e aqueles voltados para as principais palavras-chave do seu mercado;
  • Divulgação de novidades do mercado e dicas para melhorar o seu dia a dia;
  • Dica prática: fique atento ao visual dos seus vídeos nessa etapa, então pense com carinho em animações e efeitos atraentes. Nesse momento da jornada, prefira vídeos de até 1 minuto.

# Reconhecimento do problema

Nessa etapa, seu desconhecido virou um visitante, que já entrou em seu site algumas vezes, conhece quem você é e o que faz, mas sem muito aprofundamento. Ele, inclusive, começou a desconfiar de que tem um problema e está procurando saber mais sobre o assunto.

Agora ainda não é a hora de vender o seu produto, e sim, de mostrar como seria a vida do seu cliente sem esse problema que ele tem, então produza conteúdos mais focados na dor/oportunidade.

O grande diferencial dessa etapa é que o visitante já está disposto a fornecer informações sobre si mesmo em troca do conteúdo que você tem a oferecer (se for do interesse dele, é claro), virando um lead. Então capriche!

Tipos de vídeos indicados:

  • Vídeos educacionais e webinars com especialistas;
  • Vídeos com dados sobre a situação dele ou sobre o mercado;
  • Materiais com instruções e dicas que ele pode aplicar no seu dia a dia (Como evitar, Descubra o que fazer, X passos para melhorar);
  • Dica prática: aposte no Storytelling para contar histórias de pessoas na mesma situação em que ele está.

# Consideração da solução

Até então, você estabeleceu credibilidade e confiança, reuniu informações sobre o seu lead e já deve ser capaz de mapear o que ele está consumindo no seu site (e do que mais gosta/com que mais engaja). Ou seja, já tem informações valiosas para direcionar melhor o que oferece para esse lead.

Nessa etapa, ele já identificou sua necessidade e está procurando e avaliando as soluções disponíveis no mercado. Agora é a hora de vender o seu produto, mas calma! Isso não quer dizer criar vídeos comerciais com argumentos de venda e, sim, mostrar porque a sua empresa é a solução mais indicada. Mais do que vender um produto, você deve vender o seu conceito.

Tipos de vídeos indicados:

  • Vídeos explicativos do seu produto, mas com foco em valor para a vida do cliente e não em benefícios técnicos;
  • Conteúdos comparativos entre várias soluções do mercado;
  • Vídeos ressaltando missão, visão e valores da sua empresa e vídeos institucionais (a intenção é reforçar o seu grau de compromisso);
  • Dica prática: para mantê-lo envolvido, explore animação, whiteboard e live action, baseado no seu orçamento e no nível de complexidade do seu produto. Explore as formas que estão tendo mais sucesso, como o Stories do Instagram e o Snapchat;
  • Falando um pouco sobre distribuição: como você provavelmente já tem o e-mail desse lead, também vale enviar vídeos por esses canais.

# Decisão de compra

Ok, agora os vídeos comerciais estão liberados 😉 Estou brincando, mais ou menos!

Essa é a etapa da jornada em que você transforma o lead em cliente. Então precisa eliminar todas as dúvidas remanescentes que ele possa ter sobre seu produto. Seja direto, convincente e esclarecedor!

Mas não seja chato! Na etapa de Decisão de Compra, é importante criar materiais que reforcem o diferencial competitivo do seu produto/solução. Porém, a não ser que o seu produto seja extremamente técnico e você tenha identificado que a sua persona adora assistir vídeos de 30 minutos com especificações técnicas, fuja disso.

Apesar de ser a fase em que o seu cliente está disposto a comprar, você ainda precisa ter como premissa a atração, o envolvimento e o engajamento desse consumidor.

Tipos de Vídeos para Ação:

  • Tutoriais de produtos/soluções, demonstrações mais detalhadas (pesquise em fóruns e grupos quais são as principais dúvidas sobre os seus produtos e transforme-as em vídeos);
  • Cases de sucesso, vídeos inspiradores, vlogs/transmissões ao vivo, materiais com depoimentos de clientes contando a experiência de uso do seu produto e as melhores práticas;
  • Apresentação de novos recursos e até mesmo vlogs ou vídeos ao vivo que mostrem aspectos interessantes sobre sua empresa ou seu cotidiano;
  • Dica prática: pesquise também quais palavras-chave de cauda longa fazem sentido para o seu negócio e aposte nelas.

Transformação digital: o mercado mudou, porque você não?

Comecei o meu conteúdo falando que o consumidor mudou, certo? E com ele, todo o mercado. Mas ainda existem muitas empresas que se recusam a enxergar isso, ou que tenham a mentalidade de que investir em tecnologia/ferramentas é a solução para ter melhores resultados.

A importância de investir em vídeo vai muito além de optar por um formato. Ao escolher produzir conteúdo e se relacionar com o seu cliente por meio de vídeos, você mostra que entendeu quem é o seu consumidor (e suas necessidades e vontades) e como a internet, novas tecnologias e novas comunicações mudaram e moldaram a relação entre vocês.

Esse entendimento também reflete dentro da sua empresa, tornando-a verdadeiramente digital e com uma estratégia de Marketing voltada para previsibilidade, competitividade, inteligência empresarial e resultados reais.

Esse discussão vai longe, mas se você tem curiosidade de entender melhor essa relação e se tornar digital-first, produzimos um super conteúdo no blog da Agência falando sobre o assunto: Ser digital não é ser tecnológico: uma reflexão que poucos gestores tiveram em empresas tradicionais.


Artigo produzido por Taynar Costa, Coordenadora de Conteúdo da Agência WCK.

A Agência WCK é a parceira estratégica de Marketing e Vendas para pequenas, médias e grandes empresas.

/Comentários