Por Em Em julho 20, 2017

Cursos livres: como ganhar dinheiro com seu conhecimento

Com a crise econômica pela qual o Brasil tem passado, e a dificuldade cada vez maior de conseguir um espaço no mercado de trabalho formal, a maioria das pessoas está em busca de especializações para se destacar perante aos concorrentes. E isso aumenta a procura por um tipo de negócio específico: os cursos livres.

Diante desse cenário, se você possui algum conhecimento específico ou entende muito sobre um assunto, essa pode ser a sua hora de investir em seu próprio curso – e também de encontrar uma excelente alternativa às concorridas vagas de trabalho comuns, tendo seu próprio negócio.

Hoje, com alguma experiência e conhecimento, qualquer pessoa pode dar aulas sobre diferentes assuntos e ganhar dinheiro na internet. Basta ter um bom conteúdo, algum cuidado com a parte técnica e uma boa estrutura de vendas.

Os cursos livres em vídeo hoje estão entre os mais populares. Eles são mais fáceis de compreender, exigem menos esforços em termos de aprendizado – se comparados à leitura de um livro, por exemplo – e são muito mais atrativos. Além do mais, eles são simples e rápidos de produzir: hoje qualquer um com um bom smartphone consegue produzir vídeos de boa qualidade que podem ser comercializados.

Portanto, se você quer aprender como montar seu próprio curso livre, continue lendo este artigo. Aqui você vai aprender o que é um curso livre, porque investir neles, quais as leis sobre esse tipo de ensino e como criar e vender seus próprios conteúdos.

Vamos lá?

E antes de começar, talvez você também queira dar uma olhada em como as pessoas estão produzindo e divulgando vídeos hoje. Confira nossa pesquisa para embasar seu projeto!

O que são cursos livres?

Antes de começar, é necessário entender o que são cursos livres e qual sua diferença para outros tipos de cursos online.

Cursos livres, basicamente, são especializações altamente pontuais, que visam profissionalizar e qualificar alguém para uma determinada tarefa ou trabalho. Exatamente por serem tão pontuais, é possível encontrar uma enorme variedade de cursos livres – desde técnicas de costura à aulas de mecânica. Portanto, essa modalidade não tem uma duração determinada, como acontece com cursos técnicos ou superiores. Aqui, as aulas podem ser consumidas em poucas horas, dias ou até meses – tudo depende do conteúdo e sua profundidade.

Outra característica que define um curso livre é sua desvinculação com o MEC ou outros órgãos educacionais, apesar de seu reconhecimento Legal. Isso acontece exatamente pelos cursos livres não terem a responsabilidade de seguir cronograma ou carga horária específicos, não exigirem níveis de escolaridade dos alunos, e não emitirem diplomas profissionais. Essa modalidade de educação, portanto, não é reconhecida como possuindo o mesmo nível de um ensino superior, profissionalizante ou técnico.

Cursos livres são apenas um meio de capacitação e aperfeiçoamento das habilidades de uma pessoa. Portanto, eles nunca devem ser feitos pensando-se em adquirir ou oferecer uma formação profissional. Eles são apenas uma forma de alguém se especializar rapidamente sem gastar muito.

Porque investir em cursos livres

Os motivos pelos quais alguém procura por cursos livres são os mesmos pelos quais você deve investir neles. Confira:

Flexibilidade e Praticidade

Você com certeza já deve ter passado por uma experiência em que correu para a internet atrás de conhecimento, não é? Pesquisas de receitas, matérias escolares, línguas estrangeiras… as possibilidades de busca online são infinitas e esse é um dos principais motivos do sucesso dos cursos livres. Totalmente online, eles entregam conteúdo de qualidade, na hora que você mais precisa, no dispositivo que você quer, e sem exigir conhecimento prévio ou outras experiências educacionais.

Custo benefício

E justamente por serem totalmente online e mais pontuais, os cursos livres normalmente são muito mais baratos que outros tipos de cursos – tanto para quem ensina, quanto para quem aprende. E nesse caso, o baixo preço não significa baixa qualidade: dá para aprender muito com esses cursos e aplicar o conhecimento de forma rápida no dia a dia – que é o que a maioria das pessoas busca.

Variedade

Como já citamos, é possível encontrar cursos livres que abordam diversos assuntos – desde culinária básica até física quântica. Portanto, não importa qual a sua especialidade: com os investimentos certos em divulgação, você sempre terá público para seu conteúdo.

Para te ajudar nessa parte, você pode ler este material aqui, que fala sobre nichos de mercado e definição de público. Vale a pena! 

Aprendizado facilitado

Por serem mais curtos, de fácil consumo e predominantemente em vídeo, os cursos livres facilitam o aprendizado e a absorção do conteúdo. Com eles, os alunos conseguem compreender o conteúdo mais rapidamente e logo já podem aplicar as lições no dia a dia. Isso é excelente para quem precisa dominar um tema rapidamente e não tem tanto tempo para uma pesquisa mais aprofundada.

O que a legislação diz sobre cursos livres? Eles precisam ser regulamentados pelo MEC?

De acordo com a Lei nº. 9394/96, os cursos livres não precisam ser regulamentados por nenhum órgão de educação para funcionar. Portanto, eles também não precisam ter uma carga horária ou dias de estudo fixos.

Por isso, eles não são considerados profissionalizantes e nem podem ser tratados como cursos técnicos. Além do mais, eles não têm autorização para emitir um diploma profissionalizante ou com autorização para atuação técnica – apenas um certificado de conclusão ou participação no curso pode ser emitido. De acordo com a Lei, os cursos livres se encaixam na categoria de Educação Profissional Básica e devem ser feitos para fins culturais, de conhecimento ou atividades curriculares.

Já que não há nenhuma obrigação em termos de nível do conteúdo, carga horária, materiais e outros pontos, tudo  isso deve ficar claramente acordado entre o vendedor do curso e o aluno na hora da compra, através de um contrato ou termo de adesão. Isso ajuda a evitar constrangimentos posteriores e a manter o ensino democrático e livre.

Como montar um curso livre?

Agora que você já entendeu mais sobre o conceito dos cursos livres, porque as pessoas procuram por eles e a legislação por trás dessa atividade, já pode pensar em montar o seu próprio curso livre. Veja o passo a passo do que você precisa para fazer isso:

1. Domine um assunto

Nós já falamos um pouco sobre esse ponto e ele é realmente o mais importante quando se trata de montar um curso livre. Afinal, se você pretende ensinar alguma coisa à alguém, precisa dominar o assunto e ser um especialista no que fala.

Por exemplo, se você é um professor de física, pode criar um curso livre para reforçar matérias relacionadas a esse tema. Se você é um profissional de marketing com muita experiência no mercado, pode criar um curso sobre esse assunto. Se você toca um instrumento, pode dar aulas para iniciantes que queiram aprender. As opções são infinitas! Portanto, pense no que você é bom e em como isso pode se tornar um curso.

2. Entenda o público

Ok, eu já pensei sobre minha especialidade e sei como transformá-la em um curso. Mas afinal de contas, para quem eu vou vender isso? Quem é que vai querer comprar meu conteúdo?

Essa é uma dúvida que muitas pessoas tem na hora de criar seus cursos, e ela pode ser resolvida de uma forma bem simples: com estudo e a definição de personas para seu negócio. A partir da escolha do tema do seu curso, pense em quem poderia consumir esse conteúdo e crie grupos de público. Feito isso, pegue cada grupo, estude sobre eles, levante suas principais características e monte personas para seu negócio.

As personas são representações do público ideal de um empreendimento e podem te ajudar muito – desde a produção do conteúdo até a divulgação. Portanto, capriche nessa etapa!

3. Planeje o conteúdo

Com as personas definidas, é hora de começar a produzir seu conteúdo, certo? Quase. Antes, é preciso que você planeje seu curso e cada um dos vídeos que pretende criar. Isso é importante porque, caso contrário, você corre o risco de se perder durante a gravação e atrasar sua produção.

Portanto, antes de começar, pense em quantas aulas você terá em seu curso, qual será a duração de cada uma delas, qual será o assunto, quem participará de cada aula, e mais. Então, anote essas informações, faça um cronograma com tudo de forma organizada e só então comece a produzir.

4. Faça bons conteúdos

Hoje em dia, criar conteúdos em vídeo é extremamente simples e qualquer um pode fazer isso. Porém, lembre-se de que você está pretendendo comercializar esses vídeos e, por isso, eles devem ser bons o bastante para que alguém pague por eles.

É importante garantir algumas coisas básicas: uma boa iluminação, uma boa qualidade de som e imagem e algumas edições simples. Apenas isso pode deixar seus vídeos muito mais profissionais e, ao contrário do que pode parecer, é bem simples investir nesses pontos. Leia os artigos a seguir e veja como ter bons resultados sem gastar muito!

Roteiro de vídeo simples: como montar para suas produções

Iluminação para vídeos: como acertar

Como escolher a melhor câmera para gravar vídeos

Como gravar áudio para seu vídeo com qualidade profissional

15 programas de edição para usar em suas produções

E caso queira montar seu próprio estúdio caseiro, vale a pena ver também este material aqui, que conta tudo sobre o assunto: 

montar um home studio e escolher um aplicativo para gravar videos

5. Tenha uma boa plataforma de vendas

Com os conteúdos prontos e uma estratégia traçada, é hora de colocar tudo no ar e começar a ganhar dinheiro com a venda. E para isso você não precisa de montar seu site do zero e montar toda a estrutura tecnológica: você precisa apenas escolher uma boa plataforma de venda de conteúdo.

Com ela, você já tem um ambiente totalmente pronto para vender seus cursos e não precisa se preocupar em produzir algo do zero – o que é um problema, principalmente para quem não entende de programação e design. Basta subir seu conteúdo, escolher se vai vender de forma pontual ou por assinatura, e começar a ganhar dinheiro.

Só não se esqueça de, ao contratar a plataforma, garantir que ela possui uma estrutura completa e capaz de garantir o sucesso de seu negócio, incluindo pontos como personalização, segurança, estabilidade dos conteúdos e um sistema de pagamento confiável.

Este artigo aqui te conta um pouco mais sobre como escolher a estrutura adequada para vender seus conteúdos. Vale a pena conferir e até usar como um checklist! 

E caso queira uma sugestão, nós indicamos que você conheça o Samba Play – uma plataforma completa para a venda de cursos e conteúdos. 

6. Aposte no marketing digital

Por fim, com os conteúdos prontos e já no ar, é hora de divulgá-los! Invista bastante no marketing digital e sempre pense em como você pode atingir o seu público ideal – aquele mesmo que você definiu lá na segunda etapa.

Invista em redes sociais, faça anúncios, crie uma base de contatos, envie e-mails, trabalhe o SEO e sempre procure por formas de tornar sua divulgação mais eficiente.

Este outro material aqui pode te ajudar muito neste ponto:

marketing digital para plataforma de vendas


Pronto para ter seus próprios cursos livres?

Agora que você já viu o passo a passo básico para montar um curso livre, é hora de começar. Escolha seu tema e comece a ganhar dinheiro apenas transmitindo o conhecimento que você já tem!

É simples e, além de ser um ótimo negócio para você, pode ajudar milhares de pessoas que estão em busca de aprendizado.

Por fim, caso você queira entender mais sobre como pode criar seus cursos online, leia nosso guia clicando no banner abaixo! Vai te ajudar muito.

cursos online como ideias para vídeos

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 19, 2017

Como a Samba ajudou a Stefanini a ter uma comunicação empresarial mais eficiente

Uma empresa que não investe em uma boa comunicação empresarial, pode colocar todo o seu negócio em risco e acabar tendo que lidar com prejuízos em diversos níveis. Afinal, mais do que necessária para manter a corporação integrada e alinhada, uma boa comunicação também é capaz de garantir a eficiência da empresa em seus projetos, evitar custos desnecessários e atrasos em entregas.

De acordo com uma pesquisa da PMI (Project Management Institute Brasil), 76% das empresas do Brasil, quando sofrem com falhas em seus projetos, atribuem essas falhas à problemas de comunicação. Além do mais, quando não há um bom repasse de informações internamente, seja de cima para baixo ou de baixo para cima, toda a operação da empresa pode ficar comprometida e isso coloca em risco até mesmo a credibilidade e confiabilidade da empresa.

Portanto, encontrar formas de tornar a comunicação mais eficiente em uma empresa é essencial e vai ser um diferencial para seu sucesso. E não é à toa que muitas corporações já têm pensado tanto sobre este ponto e investido em soluções para contorná-lo, indo além do tradicional email e dos quadros de avisos. A Stefanini é um grande exemplo disso e, utilizando tecnologia da Samba Tech, hoje tem uma excelente comunicação empresarial.

Entenda mais sobre a história da Samba com a Stefanini e veja como a sua empresa também pode melhorar a circulação de informações internamente.

E aproveite também para conferir nosso Guia para alinhar sua Comunicação Interna:

alinhe sua comunicacao interna como a stefanini

A Stefanini

A Stefanini nasceu há três décadas e, desde então, cresceu tanto, que hoje é a maior multinacional de Tecnologia do Brasil. Com profissionais altamente capacitados, a Stefanini presta serviços de TI a empresas de diversos setores e preza pela excelência em todos os projetos que desenvolve.

Por isso, hoje com 22 mil colaboradores em todo o mundo e cerca de 12 mil apenas no Brasil, a Stefanini precisava buscar uma forma de manter sua equipe alinhada e de fazer com que todos, em seus 88 escritórios, tivessem acesso às informações estratégicas do negócio. Afinal, diante deste cenário, ferramentas como e-mail, memorandos e banners já não eram tão eficientes.

Era necessário fazer com que toda informação fosse transmitida rapidamente de uma ponta a outra da empresa de forma rápida e estável. Além do mais, era necessário ter um feedback sobre o envio dessas informações, sobre como os colaboradores a estavam recebendo, e era preciso garantir total segurança nesse processo, uma vez que se tratavam de informações confidenciais e sigilosas da corporação.

Então, como a Stefanini encontrou uma solução para este problema? Simples: utilizando vídeos e a tecnologia de distribuição da Samba Tech.

Por que a Stefanini resolveu usar vídeos em sua comunicação?

Vídeos são uma das formas de comunicação mais utilizadas hoje em diferentes contextos e, nas empresas não poderia ser diferente. Vídeos são mais fáceis de compreender, são mais didáticos, aproximam o emissor do receptor e geram mais engajamento com a mensagem transmitida.

Com os vídeos, você não precisa mais fazer diversos encontros presenciais com sua equipe, mas ainda assim consegue manter a proximidade e a dinamicidade em sua comunicação. Portanto, essa também é uma forma interessante de reduzir custos com eventos e deslocamentos, sem perder nada em eficiência comunicacional.

Por essas e outras, os vídeos estão sendo cada vez mais adotados como uma ferramenta de comunicação empresarial e corporações que decidem investir nele, saem na frente no mercado e se destacam no cenário tecnológico atual.

Esse foi o caso da Stefanini. Ciente de que precisava de formas de melhorar a interação dentro da empresa e torná-la mais eficiente reduzindo custos, ela investiu em vídeos. E para que eles fossem entregues com total qualidade e segurança, a Samba entrou no negócio.

Como a Samba ajuda a Stefanini a ter uma comunicação empresarial mais eficiente?

Vídeos são uma das formas de comunicação mais interessantes que uma empresa pode adotar hoje. Porém, no contexto corporativo, é necessário que os vídeos sejam distribuídos com cuidado e excelência, a fim de garantir resultados positivos para quem os utiliza.

Por isso, a Samba é a empresa responsável por toda a tecnologia por trás da comunicação da Stefanini e garante que sua estratégia seja totalmente funcional. No vídeo a seguir, o CMO da Stefanini, Eliezer Silveira Filho, conta mais dessa parceria. Confira:

Entenda mais sobre tudo o que oferecemos:

Estabilidade e qualidade de entrega

Imagine que você precisa de um conteúdo em um momento e que, por algum motivo, ele está fora do ar ou não pode ser acessado. Isso é bastante constrangedor, não é? Principalmente no contexto corporativo, em que informações são valiosas e precisam estar acessíveis a todo momento.

Então, uma das principais responsabilidades da Samba é evitar que isso aconteça. Com a nossa tecnologia, a Stefanini garante que seus conteúdos estarão sempre no ar e que poderão ser consumidos com alta qualidade, sem travamentos e problemas de carregamento, independente do número de pessoas acessando o vídeo ao mesmo tempo.

Além do mais, com a Samba você tem a garantia de que seus materiais poderão ser consumidos em qualquer dispositivo (móvel ou desktop), sem diferenças de qualidade ou recursos.

Segurança

As informações trocadas pelas pessoas dentro de uma empresa normalmente são sigilosas e totalmente estratégicas. Portanto, é necessário garantir que ninguém sem autorização terá acesso à essas informações.

E isso a Samba faz com maestria. Nossa plataforma oferece uma série de recursos de segurança, desde proteção de conteúdo por senha até encriptação, que fazem com que as mensagens cheguem apenas a quem elas realmente deveriam chegar – sem desvios e interceptações.

Esse é um ponto estratégico, sem o qual toda a estratégia da empresa poderia ser comprometida.

Feedbacks e análises

Além do mais, com nossa tecnologia, a Stefanini consegue ter dados estratégicos sobre o consumo de vídeos dentro da empresa. Com a estrutura da Samba é possível, por exemplo, mensurar pontos importantes sobre o engajamento dos colaboradores, saber até qual minuto os vídeos estão sendo mais assistidos, qual tipo de conteúdo tem feito mais sucesso e muito mais.

Isso tudo permite que as estratégias de comunicação dentro da empresa sejam aperfeiçoadas e se tornem cada vez mais efetivas, alcançando mais pessoas.

Comunicação externa

E como ponto extra, além de poder trabalhar muito bem a sua comunicação com o público interno, utilizando a tecnologia da Samba, a Stefanini também passa a ter mais recursos para trabalhar também em sua comunicação com o público externo.

Afinal, nossa plataforma oferece diversos recursos – como o coletor de leads –  que podem ajudar a engajar o público geral e a gerar mais oportunidades de negócios para a empresa. Interessante, não?!


Poder contar com boas ferramentas e soluções de comunicação empresarial é imprescindível para uma empresa que quer ter bons resultados e um crescimento constante, como a Stefanini. Para nós da Samba é uma honra poder fazer parte da história dessa empresa e poder contribuir para seu sucesso 🙂

E você? Já investe na comunicação do seu negócio? Então experimente começar a trabalhar com vídeos! Eles podem te ajudar a reduzir os gastos com reuniões presenciais e deixar sua comunicação muito mais simples e dinâmica.

E nisso, a Samba pode te ajudar. Afinal, você precisa de uma boa infraestrutura tecnológica para garantir que seus conteúdos serão entregues com qualidade e segurança.

Converse com um de nossos consultores! Assim poderemos encontrar a melhor solução em comunicação para o seu negócio. Clique aqui ou preencha o formulário abaixo que em breve um especialista da Samba entrará em contato com você.


Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 18, 2017

Cultura empresarial: a alma de um negócio

Tudo começou em 2007. Estava com 19 anos no 3º período de faculdade e minha rotina basicamente era ir pra PUC assistir aula até umas 11h, jogar bola na hora do almoço, chegar em casa, almoçar, dormir na frente da TV assistindo video show e acordar pra ver Malhação. Cansei. Tomei vergonha na cara e fui procurar um estágio.

Como todo moleque que faz Publicidade fui visitar algumas agências: grandes pequenas, offline e online. E foi muito bom, porque foi aí que eu tive a certeza de que não era isso que eu queria. Comentei com o Pedrokinha (grande amigo, advogado brilhante) esse meu dilema, e então ele falou que a empresa em que ele estava trabalhando estava contratando estagiário. O nome dessa empresa na época? Samba Mobile.

No dia seguinte estava eu com a cara lavada, sem ter noção do que era uma entrevista de emprego, conversando com o Gustavo, dono da empresa. Conversamos por 20 minutos numa sala de 20m² e no final ele chegou para mim e falou: “você começa na semana que vem no nosso novo escritório”.

De lá pra cá são mais de 9 anos (oficiais): 1/3 da minha vida. E durante essa jornada algumas coisas me motivaram e me marcaram.

Ciclos e desafios

Sempre fui movido a metas e desafios. Não me acho melhor ou pior que alguém por causa disso, mas essa foi a forma que eu encontrei de sempre buscar coisas novas e melhorar. A Samba sempre me proporcionou isso: oportunidades de crescer, mexer com coisas novas, experimentar. Passei por todos os momentos, transformações, erros, conquistas, times e mudanças que tivemos e tenho um orgulho enorme disso. É muito legal ver a flexibilidade e o poder de transformação que a empresa tem. Ter a oportunidade de trabalhar com vários projetos e saber que cada um deles tem um ciclo com princípio, meio e fim, sempre me ajudou e me motivou ao longo dos últimos anos.

Trabalhar com gente f*da

É impressionante o time que a Samba conseguiu montar. Desde sempre a gente contou com profissionais fora da curva e pessoas realmente diferenciadas: tanto no lado técnico quanto no comportamental. Isso faz a diferença! Atrair e reter talentos é uma arte e a Samba sempre fez isso bem. Me arrisco a dizer que se não fossem as pessoas brilhantes que temos (e tivemos) ao longo da nossa história, não teríamos chegado aonde estamos.

No material abaixo, você pode aprender um pouco a desenvolver talentos também em sua empresa. Baixe e confira:

desenvolvimento de lideres como parte da cultura empresarial

Cultura empresarial

É impossível não notar a aura, o clima e a energia da Samba quando você pisa no nosso escritório. Se você já nos visitou ou viu uma palestra do Gustavo sabe do que eu estou falando. Isso nada mais é do que a materialização da nossa Cultura, algo que criamos lá atrás, lapidamos ao longo do caminho e enraizamos em todas as nossas ações. Esse, pra mim, é um dos principais diferenciais que nós temos. E é sobre isso que eu queria refletir no restante deste artigo.

Sempre que entra um novo funcionário na #FamíliaSamba a gente faz o check-in  –  processo interno em que a pessoa conversa com um representante de todas as áreas para ter uma visão global do que é a empresa: Produto, TI, Financeiro, RH, Vendas, Marketing e, é claro, Cultura.

Sou eu quem faço o check-in de Cultura desde que esse processo foi criado, ou seja, conversei com 100% dos funcionários que entraram na Samba nos últimos anos sobre nossa história e sobre a nossa Cultura. Esse é o momento de mostrar quem é a Samba, como é nosso relacionamento interpessoal, quais são nossas competências, ritos, estrutura interna, mantras, eventos, curiosidades… coisas que construímos ao longo da nossa história e que fazem parte do nosso dia a dia.

Mais do que contar a história do “celular colorido” e falar que temos Xbox e sinuca, esse é o momento de seguir o mantra “nunca se esqueça de onde você veio”.

cultura empresarial nao se esqueca de onde voce veio

Em todos os momentos da nossa história: dificuldades, conquistas, expansão, desafios, (e eu posso falar pelo menos dos últimos 9 anos, porque eu estava aqui) a gente sempre manteve o nosso clima e principalmente a nossa cultura empresarial.

Isso tudo começou lá atrás. Quando o Gustavo me contratou em 2007  – eu tinha 19 anos  –  ele chegou para mim e falou:

“Feliz, nós vamos montar um negócio inovador e de impacto, mas que a gente também possa se divertir”.

E foi essa ideologia que a gente enraizou no nosso DNA e é o que a gente sempre procura seguir aqui dentro. O Gustavo não acordou num dia, 3 anos atrás, e falou: “agora eu vou comprar um vídeo-game e a Samba vai ser descolada”. Não! Se a gente tem esse espírito descolado, jovem, descontraído, inovador, não foi porque isso foi imposto, foi porque escolhemos ser assim, desde sempre, através das nossas ações e ritos diários.

Sem dúvidas, Cultura é um dos diferenciais de uma empresa e da Samba mais ainda. Nossa cultura é a nossa alma. É a materialização do nosso cuidado com pessoas e com ambiente.

Pra vocês terem ideia do quanto a gente valoriza isso, há 3, 4 anos, o meu cargo na Samba era Culture Evangelist (sério). Tinha esse nome bonito, mas basicamente eu era o defensor da Cultura internamente e também era o responsável por romper as barreiras do escritório e mostrar pro mercado que a gente pode fazer coisas inovadoras com o nosso clima. Foi bacana por um tempo, até eu entender que isso não é uma função só minha: é função de todos na empresa.

A Samba sempre foi feita de pessoas e a nossa Cultura empresarial ajudou a gente a pensar dessa forma, mas principalmente ajudou a atrair e reter talentos. E esses talentos já entram aqui na Samba entendendo de cara o que é essa Cultura, qual o nosso perfil e o que a gente acredita. Faz parte do processo seletivo e somos rigoroso quanto a isso.

E foi justamente pensando em tangibilizar tudo isso é que resolvemos transformar toda essa aura que está nas nossas ações em um material único e oficial: o nosso Culture Book.

A Samba foi eleita a 4ª melhor empresa de TI do Brasil e a 2ª de MG para se trabalhar pelo Great Place to Work®. E nós falamos isso de peito estufado, não por vaidade, mas é porque esse prêmio chancela nosso cuidado com pessoas, ambiente e Cultura empresarial.

Eu tenho certeza que um dos maiores orgulhos que o Gustavo tem é ter construído uma empresa com alma. Esse, pelo menos, é um dos meus: ter tido a minha parcela de contribuição.

Reforçando o que eu falo em todo check-in com os novo funcionários: “se vocês estão aqui é porque a gente confia que vocês são as pessoas certas pra fazer acontecer e, se a Samba não fosse um lugar ducar*lho pra trabalhar, eu não estava aqui há 9 anos. Bora fazer acontecer?”

#Bora #VAMO!

pedro filizzola cmo da samba tech fala sobre cultura empresarial

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 17, 2017

Benefícios do Cloud Server para o seu negócio

Mudar os hábitos pode ser complicado, mas tem suas vantagens. Se você chegou aqui, acredito que está querendo migrar suas aplicações para o Cloud Server.

Existem diversos tipos de hospedagem para sua aplicação, como o servidor dedicado, a hospedagem compartilhada e as hospedagens dedicadas para a sua aplicação, como e-mail, WordPress ou Magento, por exemplo.

Para deixar claro, os servidores em nuvem são servidores virtuais que funcionam em um ambiente de computação em nuvem, também conhecidos como Servidores Dedicados Virtuais (VDS).

E porque usar cloud server?

1. Flexibilidade e liberdade

A flexibilidade é uma das principais vantagens da computação em nuvem, pelo simples fato de ser possível aumentar a capacidade da nuvem conforme a necessidade do seu negócio.

Isso funciona tanto para o aumento da empresa em termos operacionais, quanto naqueles casos em que se precisa reduzir recursos.

Essa agilidade operacional, de tomada de decisão, é um dos pontos cruciais para sua empresa sair na frente dos concorrentes e economizar tempo.

A SECNET por exemplo, trabalha com Cloud Server Gerenciado, um ambiente totalmente controlado, deixando você e seus dados seguros sem a necessidade de se preocupar com o servidor.

2. Segurança

Segurança e estabilidade também são grandes aliados do Cloud Server.

Perder dados sensíveis de clientes é um prejuízo que acaba dando muita dor de cabeça. O Cloud Server auxilia e oferece uma melhor segurança nesse quesito.

Como os dados estão em nuvem, seu computador pode não estar disponível, mas seus dados estarão.

Alguns serviços de segurança necessários para um Cloud sã0:

  • Ferramentas de detecção de intrusão;
  • Monitoramento;
  • Backup;
  • Firewall;
  • Proteção contra ataques DDoS;
  • CDN.

3. Desempenho

O serviço de computação em nuvem oferece grande flexibilidade e com isso é possível ampliar o desempenho da sua aplicação em poucos minutos, dando autonomia, flexibilidade e um melhor desempenho para o seu negócio.

As atualizações também são um fator importante para garantir um bom desempenho, já que, para deixar seus dados seguros, são feitas atualizações regularmente, de forma rápida e eficiente.

4. Custo

O Cloud Server permite reduzir o tamanho da sua infraestrutura, ou eliminá-la completamente.

A redução desse número, além do custo de softwares e número de funcionários, podem ajudar a reduzir seus custos.

5. Agilidade Comercial

Ao contratar um serviço em nuvem, a sua equipe de TI consegue entregar outros projetos em um tempo mais rápido, já que tem melhorias em diversos pontos do seu processo de trabalho.

Entregando resultados de forma rápida, com qualidade e por um baixo custo, o seu negócio começa a ganhar competitividade e agilidade.

6. Rápida implementação

Outra vantagem também é a fácil e rápida implementação. Ao contratar um serviço de Cloud, você consegue rodar uma aplicação em minutos. Claro que esse tempo pode variar de acordo com a tecnologia que será utilizada na sua aplicação.

Os tipos de serviços em nuvem: IaaS, PaaS, SaaS

Os serviços de computação em nuvem estão divididos em três categorias: Infraestrutura como Serviço (IaaS), Plataforma como Serviço (PaaS) e Software como Serviço (SaaS).

Infraestrutura como serviço (IaaS)

O IaaS (Infraestructure as a Service) é o serviço mais básico da nuvem. Você aluga um servidor, máquinas virtuais (VMs), armazenamento e redes de um provedor.

Plataforma como serviço (PaaS)

O PaaS (Platform as a Service) é um serviço de nuvem que fornece um ambiente sob demanda para desenvolvimento, entrega e gerenciamento de aplicações.

Assim como IaaS, o PaaS inclui infraestrutura, servidores, rede e armazenamento, além de gerenciamento de banco de dados, ferramentas de desenvolvimento e muito mais.

Software como serviço (SaaS)

Software-as-a-service (SaaS) é um método para entregar aplicações, sob demanda e normalmente com base em assinatura. Uma forma de distribuição e comercialização de software.

Algumas vantagens do SaaS:

Alta acessibilidade: aplicações estão disponíveis a qualquer hora e em qualquer lugar.

Facilidade de upgrade: os dados estão em nuvem, e sua aplicação também, não há necessidade de fazer download ou instalar aplicativos.

Integração simplificada: qualquer integração pode ser feita através de APIs.

beneficios-do-cloud-server-para-o-seu-negocio-secnet.png

Em uma pesquisa realizada pela Cloud Security Alliance, a segurança dos dados foi considerada a principal preocupação de 73% das empresas analisadas que migraram para o Cloud.

Mas o Cloud também possui pontos negativos, que se não corrigidos podem trazer grandes prejuízos para o seu negócio, como:

  • Problemas técnicos;
  • Má configuração;
  • Falta de proteção (segurança).

Se você gostou, compartilhe esse artigo com sua rede de contato, gerando valor para seu perfil.

E, se precisar de ajuda ou se quiser dar algum feedback sobre o artigo, deixe nos comentários.

como você pode aumentar suas vendas online


secnetArtigo produzido pela equipe de conteúdo da Secnet.

Identificamos o core business de cada negócio, validamos, organizamos e mantemos online as aplicações no data center escolhido. Trabalhamos com Cloud Server Gerenciado para aplicações de Lojas Virtuais, Servidores de E-mail, cPanel e demais serviços específicos para cada situação.

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 14, 2017

Plataforma de vendas: como escolher a melhor para cursos e conteúdos em vídeo

O consumo de vídeos online no mundo tem crescido bastante nos últimos anos e não é a toa que plataformas como o Netflix estão cada vez mais bem sucedidas. Só para se ter uma ideia, em alguns países, o consumo de conteúdos na internet já é maior do que na tradicional televisão.

Por isso, cada vez mais as pessoas estão buscando formas de ganhar dinheiro com vídeos: algumas apostam na produção de cursos, outras no licenciamento de materiais, e há ainda quem lucre com conteúdos para entretenimento. E na maioria das vezes, quem realmente quer ter retorno com seus vídeos e transformá-los em um negócio, escolhe investir na comercialização desses conteúdos – seja por assinatura, por aula ou etc – em vez de apenas disponibilizá-los em canais como o YouTube.

E para que se tenha sucesso com esse tipo de empreendimento digital, é preciso garantir que você tenha uma boa estrutura tecnológica por trás do seu projeto. Afinal, é ela que, junto com o conteúdo, será capaz de te garantir um bom retorno sobre o seu investimento. Nesse sentido, enquanto muitas pessoas resolvem criar seus próprios sites do zero, escolhendo a hospedagem, a estrutura do site, a plataforma de vídeos e outros fatores, outras preferem partir por um caminho mais simples e usar uma plataforma de vendas.

Hoje já existem muitas opções de portais prontos para que você venda seu conteúdo e não tenha que se preocupar com questões como desenvolvimento, pagamento e design. Basta subir os vídeos, escolher um preço e pronto!

Porém, é preciso ter muito cuidado na hora de escolher sua plataforma, pois, alguns pontos podem acabar transformando-a na maior inimiga do seu negócio. Não importa se você quer trabalhar com a venda de cursos, vai produzir conteúdo de entretenimento ou licenciar vídeos: você precisa de uma boa plataforma de vendas!

Portanto, para te ajudar a tomar a melhor decisão, nós fizemos uma lista completa, com tudo que você precisa para ter em sua estrutura. Continue lendo e compreenda a importância de cada ponto para o sucesso de seu negócio.

E se você quer mais dicas para estruturar seu negócio antes de escolher a plataforma, dê uma olhada em nosso Guia para Ganhar Dinheiro com Vídeos.

O que considerar na hora de escolher uma plataforma de vendas para seu conteúdo em vídeo?

1. O seu projeto

Parece óbvio, mas na hora de escolher uma plataforma de vídeos, muita gente se esquece de levar em conta o próprio projeto e suas particularidades.

Desde o princípio, é importante entender com clareza do que se trata o seu negócio e quais são suas necessidades. Afinal, é a partir desse ponto que você conseguirá tomar a melhor decisão em termos de estrutura.

Conteúdo em vídeo é o coração do seu negócio, certo? Então pense no que você precisa para fazer com que ele seja consumido da melhor forma por seus clientes e traga retorno para você!

2. Custos

Uma das primeiras perguntas que todo mundo se faz na hora de procurar por uma boa plataforma de vendas é: quanto vai custar? E isso é realmente importante! Afinal, para que você consiga ter um negócio de sucesso, é necessário que seus custos sejam menores do que os seus ganhos.

Portanto, antes de contratar uma plataforma, entenda detalhadamente como ela cobra por seu serviço. Há um valor fixo mensal? Há cobrança de alguma porcentagem sobre minhas vendas? Como é calculado o valor? Eu pago pelo número de horas de conteúdo ou pelo número de usuários? A partir disso, já é possível escolher a melhor opção para seu negócio em termos de custo.

Uma boa dica é procurar por plataformas que tenham preços personalizados para cada tipo de projeto. Isso pode diminuir bastante os seus gastos.

Nesse ponto, só não se esqueça de que todo negócio precisa de investimento e que nem sempre o retorno virá logo nos primeiros meses. É preciso ter paciência e estar disposto a trabalhar para conseguir bons resultados!

3. Retorno

Muito relacionado ao item anterior, é importante que desde o início você tenha uma noção do quanto a plataforma pode te oferecer de retorno. Afinal, é esse retorno que manterá seu negócio vivo e crescendo!

Aqui a dica é: faça contas. Tente simular algumas situações e veja, por exemplo, de quantas vendas você precisaria no mês para cobrir o custo da plataforma e ainda assim ter lucro. Leve em conta algumas variáveis – como tempo de tração do negócio e meses em que as vendas podem ser mais baixas, por exemplo. Se no final de tudo você tiver um quadro muito além da realidade, corra!

4. SEO

Hoje, quando as pessoas querem consumir um tipo de conteúdo específico, na maioria das vezes elas buscam por ele entre os 10 primeiros resultados do Google. E você sabe como um site pode aparecer entre esses resultados? Basicamente de duas formas: investindo em anúncios ou em SEO.

SEO é um conjunto de técnicas que quando aplicadas à um site ou conteúdo, fazem com que ele se torne mais atrativo para o Google e tenha mais chance de estar na primeira página das buscas. Portanto, quando for escolher sua plataforma de vendas, procure saber se ela é interessante em termos de SEO.

Veja se é possível inserir descrições dos conteúdos, personalizar suas URLs, criar categorias e coleções de materiais, adicionar tags aos vídeos, editar títulos e descrições do site e etc. Isso vai te garantir mais visibilidade na internet e, consequentemente, mais sucesso com seu negócio.  

Aqui neste artigo você pode ver mais algumas dicas para deixar seu portal de vídeos mais interessante em termos de SEO.

5. Personalização

Se você quer construir seu próprio negócio e ter uma marca cada vez mais forte na internet, precisa garantir que seu site será realmente seu e não da plataforma por trás dele!

Fortalecer o seu branding é essencial e, por isso, é importante levar em conta o que a plataforma de vendas oferece em termos de personalização. Antes de tomar uma decisão, veja se você pode trocar as cores do site, as imagens, o favicon, se pode inserir sua logo, organizar os conteúdos como quiser e mais. 

6. Suporte

Você tem que colocar um conteúdo novo no ar e está tendo problemas técnicos com a plataforma. E agora? Como você vai resolver? Vai ter um canal de contato direto com os responsáveis pela plataforma, ou vai precisar mandar email em inglês, fazer cinco telefonemas e no final acionar seu próprio técnico?

Ter a certeza de que você terá suporte sempre que necessário é essencial para o sucesso do seu negócio. Portanto, leve isso em consideração na hora de escolher a plataforma de vendas.

7. Integração com Redes Sociais

Hoje as pessoas passam muito tempo em suas redes sociais e também usam esse canal para compartilhar seus gostos e descobrir coisas novas. Portanto, é importante que seu portal de conteúdo seja integrado com as redes sociais e permita tanto o compartilhamento da página, quanto o login por meio de perfis sociais. Permitir a inserção de pixels para remarketing também é bem importante para aumentar sua conversão nas redes.

Além do mais, é interessante que ele tenha um espaço para que você insira os links das suas próprias páginas. Assim, as pessoas podem se conectar ao seu negócio e você pode melhorar sua interação com elas.  

E se você quer saber como pode aproveitar as redes sociais e outros meios para ter resultados com Marketing Digital, baixe nosso infográfico gratuito!

marketing digital para plataforma de vendas

8. Integração com analytics

Para melhorar qualquer negócio, você precisa ter dados e saber exatamente o que precisa corrigir ou em que deve investir. Nesse sentido, uma integração da sua plataforma de vendas com ferramentas como o Google Analytics é essencial.

Assim, você conseguirá saber sua quantidade de acessos, as fontes de tráfego, configurar eventos de conversão, acompanhar o fluxo de usuários e muito mais!

9. Sistema de pagamento

Outro ponto bastante importante a se considerar na hora de escolher uma plataforma de vendas, é o sistema de pagamento. Antes de tomar sua decisão, você precisa saber se a plataforma já possui um sistema de pagamento integrado e, mais importante, se ele é estável, confiável e simples de usar.

Fazer compras online ainda é um desafio para muitas pessoas, que se sentem inseguras ao fornecer dados financeiros online. Portanto, se você não tiver um sistema de pagamento que transmita confiança, pode acabar perdendo clientes.

Por isso, conheça seu sistema, saiba como ele funciona, entenda se ele é seguro o suficiente e, claro, saiba quanto ele cobra – e se cobra – por transação realizada ou se isso está incluído no preço da plataforma.

10. Estrutura tecnológica e de vídeos

Na hora de montar um portal de conteúdo, muitas pessoas ficam muito preocupadas com a estética e acabam se esquecendo de um dos pontos mais importantes: a estrutura tecnológica.

De nada adianta você ter um portal lindo se ele não consegue suportar acessos múltiplos, caí o tempo todo, ou se seus vídeos ficam travando. Se as pessoas não conseguirem consumir seu conteúdo com qualidade, você provavelmente terá grandes problemas e pode arruinar seu negócio.

Veja por exemplo, o caso da 3D Concursos e como eles quase tiveram seu projeto destruído por conta disso.

Portanto, quando for contratar uma plataforma para venda de conteúdo, veja o que ela oferece em termos de estrutura e se ela é suficientemente boa para atender às demandas do seu projeto. Além do mais, fique atento à tecnologia de vídeos utilizada e ao que ela oferece em termos de estabilidade, segurança, adaptação à diferentes dispositivos e entrega do conteúdo. Afinal, se os vídeos são seu produto, você precisa garantir que o cliente poderá acessá-lo de forma simples e prática.

11. Simplicidade de edição e administração

Um negócio na internet, assim como qualquer outro, periodicamente precisa de alterações e melhorias. E, nesse caso, não é ideal que você precise contatar um desenvolvedor um designer a cada vez que precisar trocar a cor de um botão em seu site.

Portanto, dê sempre preferência à plataformas que sejam fáceis de gerir e editar, e que você possa fazer alterações de forma rápida e descomplicada.

Além do mais, pense também em termos de gestão e administração. O ideal é que como administrador, você tenha um painel de informações simples, intuitivo e que te entregue todas as informações que você precisa sobre os usuários, caixa e mais.

12. Modelo de vendas suportado

Outro ponto para ficar atento na hora em que for escolher sua plataforma de vendas, é em relação ao modelo de vendas que ela suporta. Dependendo do seu negócio e do tipo de conteúdo que você quer oferecer, você pode trabalhar com diferentes modelos de venda. Portanto, é preciso garantir que a plataforma vai conseguir atender sua necessidade.

Por exemplo, se você tem muitos conteúdos sobre um tema, produz com uma alta frequência ou já tem uma boa audiência, o modelo de venda por assinaturas pode ser o mais adequado. Já se você produz seus conteúdos em módulos de assuntos ou cursos, possui vendas mais pontuais e produz em uma frequência menor, o modelo de vendas avulsas pode ser melhor.

13. Funcionamento em diferentes dispositivos

Hoje, muitas pessoas já transformaram os dispositivos móveis em seus principais meios de acessar a internet e consumir conteúdo. Então é necessário garantir que os vídeos em seu portal também possam ser consumidos em qualquer tipo de aparelho, sem perda de qualidade, travamentos e interrupções.

Além disso, seu site também precisa ser responsivo e se adaptar às medidas destes dispositivos.  

14. Segurança

Se você tem o trabalho de produzir seus conteúdos, escolhe sua plataforma de vendas e constrói seu portal, você sabe o quanto foi investido e tem condições de cobrar um preço justo por seu material. Porém, não é nada raro encontrar casos em que cursos e conteúdos são vendidos sem autorização, em outros meios e por preços muito mais baratos. E sabe porque isso acontece? Por causa da pirataria digital e da falta de segurança de certas plataformas.

O que acontece normalmente é: uma pessoa acessa seu conteúdo, copia ele e então vende mais barato, ficando com seus clientes e com seu lucro. E isso é uma prática que pode arruinar seu negócio, já que nem todo mundo tem noção de que isso é ilegal e acaba comprando os conteúdos piratas por eles serem mais baratos.

Portanto, é extremamente importante garantir diversas camadas de proteção para seu conteúdo. Elas podem ser encriptação do vídeo, proteção por domínio, restrição de acesso simultâneo e etc.

Antes de contratar uma plataforma de vendas, veja o que ela oferece em termos de segurança e jamais abra mão de ter seu conteúdo protegido!   

15. Domínio próprio

Por último, mas não menos importante, é preciso saber se a plataforma oferece a opção de que você use seu próprio domínio, em vez de uma opção como “www.sitedaplataforma/seunegocio“. Isso vai ajudar a fortalecer sua marca e transmitir uma maior sensação de profissionalismo por parte do negócio.

Nossa sugestão? O Samba Play!

Já deu pra perceber que é necessário considerar muita coisa antes de escolher sua plataforma de venda de conteúdo, não é? Caso contrário, você pode colocar seu negócio em risco e ter diversos prejuízos.

Fique atento à tudo que cada plataforma oferece, faça pesquisas, converse com outros usuários e veja se essa é realmente a melhor opção para você.

Como última dica, nossa sugestão é que você conheça o Samba Play: a plataforma da Samba Tech para a venda de materiais em vídeo. De 1 a 15, o Samba Play atende a todos os pontos que levantamos e é uma solução completa, que se adapta a qualquer tipo de projeto. Você já tem muita audiência, conteúdos e quer vender por assinatura como no Netflix? O Samba Play é para você. Você dá aulas, cursos e quer vender isso separadamente sem risco de pirataria? O Samba Play é para você. Você está começando um projeto de conteúdo e quer investir no mercado de vídeos? O Samba Play também é para você!

Faça o tour pela plataforma clicando aqui ou no banner abaixo!

conheça o samba play plataforma de vendas para conteúdo

Com essa solução você pode ter o seu próprio portal personalizado, com total segurança e a melhor estrutura de vídeos da América Latina – tudo isso sem precisar do auxílio de designers ou desenvolvedores. Você pode também escolher o modelo de vendas que mais se adequa a seu projeto e ainda conta com o suporte da equipe da Samba Tech – totalmente em português e pronto para te atender.

Conheça todas suas funcionalidades e faça o orçamento de seu projeto com o Samba Play. Ele pode ser a melhor solução para você!


Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 12, 2017

Treinamento e desenvolvimento: como deixar sua equipe mais produtiva e eficiente!

Você já pensou em investir no treinamento e desenvolvimento dos colaboradores da sua empresa? Essa é uma das táticas mais eficazes e fundamentais quando pensamos em aumento de produtividade, engajamento e eficiência nas tarefas propostas pela corporação.

Mas, se você ainda não vê muito valor em ações desse porte, vamos a um exemplo prático. Suponhamos que você precise realizar um trabalho, mas que as habilidades necessárias estão além do seu domínio. É muito provável que você procure se capacitar de alguma forma – seja por vídeos na internet, seja por cursos presenciais – a fim de conseguir realizar aquela tarefa de forma satisfatória.

Dessa forma, em uma próxima tarefa, quando em frente a essa mesma dificuldade, você já vai ter o conhecimento necessário para superá-la com mais rapidez, eficiência e habilidade, fazendo um trabalho ainda melhor do que o anterior.

O que queremos mostrar é que o aperfeiçoamento de habilidades que tangem seu trabalho têm o poder de transformar e melhorar sua performance, bem como o resultado final que você entrega à equipe. E se a capacitação de uma única pessoa consegue melhorar o resultado de um projeto, imagine o que a capacitação de toda uma equipe pode fazer pelo rendimento final de uma empresa!

E é exatamente sobre treinamento e desenvolvimento que vamos tratar neste artigo – assim você vai poder criar uma equipe de talentos para o seu negócio!

Antes de dar início à leitura, seria interessante que você entendesse mais sobre comunicação empresarial e sua importância para um ambiente de trabalho alinhado e estratégico!

alinhe sua comunicação interna para treinamento e desenvolvimento de pessoas

Mas primeiramente: qual a diferença entre treinamento e desenvolvimento?

Antes de seguirmos em frente, é importante que você entenda que treinamento e desenvolvimento são duas ações diferentes, mas de igual importância.

Treinamento

Quando falamos em treinamento de colaboradores, queremos dizer sobre o processo de capacitação em torno de um cargo – isto é, quando um cargo é assumido por um novo colaborador, é preciso que ele seja treinado para as responsabilidades e dificuldades que o envolvem. Ele visa, principalmente, diminuir as chances da pessoa cometer erros, ensinar os pontos que demandam mais foco e promover segurança no trabalho.

Como o treinamento, basicamente, prepara uma pessoa (ou um grupo de pessoas) para as habilidades necessárias dentro de sua função na empresa, ele acontece de forma pontual, em um curto período de tempo – semanas, dias ou até mesmo em poucas horas já são o suficiente.

Esse processo deve acontecer de forma rápida, exatamente por sua característica pontual; urgente: enquanto ele não ocorre, a empresa pode estar produzindo menos do que deveria ou pode ser que o funcionário em questão esteja propenso a causar desperdício ou se envolver em acidentes de trabalho.

Desenvolvimento

Já o processo de desenvolvimento visa o crescimento do indivíduo dentro de habilidades profissionais que seu trabalho demanda. Enquanto o treinamento olha para a antecipação de problemas do presente, o desenvolvimento se foca em antecipar os do futuro – como tendências e oportunidades de mercado, novas metas, demandas do consumidor, imagem da empresa, produtividade e inovação.

Sua duração pode variar mais do que o tempo necessário para um treinamento – aqui, dependendo do aprofundamento das ações propostas, ele pode precisar de um período maior para surtir o efeito pretendido.

Se sua empresa conta com uma equipe de Design, por exemplo, você pode procurar sempre alimentá-la com palestras e até mesmo cursos que envolvem competências da área – essa é uma forma despertar ou criar novas habilidades, garantindo a melhora do desempenho, da expertise e dos resultados apresentados pela equipe, além de novos insights para o que pode ser produzido por eles.

Outro exemplo é o treinamento de líderes, que, visando uma melhor gerência dos outros colaboradores, reflete em equipes mais bem qualificadas e, portanto, em melhores resultados finais para a empresa.

Para saber tudo sobre como a tecnologia pode te ajudar no desenvolvimento de líderes da sua empresa, é só conferir nosso guia completo clicando aqui!

treinamento e desenvolvimento de novos líderes

Recapitulando…

O treinamento é um processo rápido e prático, que resolve problemas a curto prazo, visando o preparo de habilidades necessárias para a execução das tarefas referente a um cargo. Já o desenvolvimento envolve um âmbito mais conceitual e teórico, que revela resultados a longo prazo, pois é um investimento no crescimento das habilidades do colaborador, visando o retorno de uma melhor e mais eficiente produção do que já era feita por ele.

Ou seja, apesar de enfocar no indivíduo, os processos de treinamento e desenvolvimento propostos em uma corporação acabam refletindo no crescimento e na performance da própria empresa como um todo, deixando o ambiente organizacional mais ativo, alinhado e inovador!

Como preparar processos de treinamento e desenvolvimento

Tudo bem, então agora que já conseguimos diferenciar os conceitos de treinamento e desenvolvimento e entender a importância de cada um deles dentro do ambiente de trabalho, vamos a uma parte mais prática: como planejar as ações de cada um deles!

#1 Identificando necessidades

O primeiro passo é entender seu ambiente empresarial e como ele funciona. Esse processo é importante para que você tenha clareza sobre as necessidades que ele demanda e, assim conseguir elaborar atividades efetivas para supri-las.

A partir disso, vai ser preciso que você organize essas necessidades: o que deve ser priorizado? O que demanda um processo mais longo? Quais delas envolvem mais pessoas e, portanto, um maior investimento? Perguntas como essas vão te orientar no próximo passo, onde você vai estruturar as atividades.

#2 Elaboração e aplicação

De início, é preciso que você identifique pontos-chave para que você consiga elaborar as atividades de maneira eficiente e que traga os resultados desejados. Trace seu planejamento pensando

  • no objetivo final daquela ação
  • na metodologia que será utilizada
  • na duração do treinamento
  • na data, horário e local em que ele vai ser aplicado

Quando for estabelecer assinalar essas diretrizes, é importante que você entenda que treinamento e desenvolvimento de colaboradores, por apresentarem propósitos diferentes, devem ser ministrados, também, de maneiras distintas.

Pensando em ações de desenvolvimento da equipe, deixe de lado procedimentos tradicionais de ensino: a ideia aqui é promover diálogo e exercícios, onde os membros vão poder aprender (e até mesmo ensinar), juntos, o que é proposto ali. Ao falar de treinamento, no entanto, entenda que o processo é mais direto e, portanto, pode ser apresentado de maneira mais técnica e menos flexível do que o recomendado para o processo de desenvolvimento pessoal, uma vez que visa o aprendizado rápido.

#3 Monitorando resultados

Uma parte igualmente importante dos processos de treinamento e desenvolvimento da sua empresa é monitorar os resultados – assim, você consegue ter um panorama mais amplo das ações e é capaz de julgar sua efetividade.

Exatamente por sua característica mais urgente e prática, verificar a eficácia de treinamentos é mais simples – seu impacto praticamente imediato se faz ver de forma clara. Já em termos de desenvolvimento, sua percepção de efetividade acontece mais a longo prazo – até porque cada um dos colaboradores pode internalizar as atividades de maneiras diferentes e colocá-las em prática de formas igualmente diferentes.

Quer saber mais sobre como criar treinamentos de alto impacto? A gente te ajuda! É só clicar neste link para ter acesso ao material 😉

treinamento e desenvolvimento de alto impacto

Os impactos dessa estratégia no seu negócio

Equipe mais qualificada e motivada

Você já deve ter cansado de ler nesse artigo que investir em treinamento e desenvolvimento vai tornar sua equipe mais qualificada, mas mesmo assim é sempre bom reiterar esse aspecto. Com o aumento da expertise, mais motivados os colaboradores se sentirão para exercer suas atividades e, portanto, mais inovadoras as ideias podem surgir.

Vantagem competitiva

Além disso, estudos já mostram que empresas compostas por pessoas motivadas se destacam no mercado, pois apresentam um nível maior de produtividade, competência e inovação. Ou seja, ao aplicar treinamentos e processos de desenvolvimentos dos seus colaboradores, você alcança vantagem competitiva quando em frente seus concorrentes.

Retrenção de talentos

Em um cenário onde as empresas sofrem com problemas de retenção de funcionários, ministrar estas atividades de crescimento profissional e pessoal faz com que os colaboradores vejam um valor maior na corporação e criem laços mais fortes com ela. Dessa forma, o investimento em treinamento e desenvolvimento te permite não apenas ajudar na performance, mas manter pessoas talentosas em sua empresa!


As corporações estão valorizando cada vez mais os processos de treinamento e desenvolvimento de seus colaboradores, exatamente por perceberem os impactos positivos que eles podem ter no desenvolvimento e nos resultados apresentados pela própria empresa no mercado. E, hoje, já é possível que os treinamentos da sua equipe sejam ainda mais efetivos e demandem um menor custo com o auxílio de vídeos na sua estratégia!

Para entender como incorporar vídeos online no seu planejamento de exercícios, criamos um guia completo para você! É só clicar aqui no link ou na imagem abaixo para ter acesso ao material.

treinamento e desenvolvimento por meio de vídeos

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 12, 2017

Inside Sales ou Field Sales: qual a melhor estratégia para o meu negócio?

“É hora de conhecer mais sobre os processos de Inside Sales e Field Sales.”

Durante muitos anos, a venda tradicional, de porta a porta, era a principal forma de se comunicar com o cliente e fazer negócios. Os representantes de vendas internos não tinham tanta importância quanto os consultores externos, que saíam com uma malinha na mão, vários papéis e um bom terno. Mas isso foi antes que a internet reformulasse todo o processo de vendas e a maneira como os compradores e consultores interagem entre si.

Uma dúvida que surge quando se inicia um negócio, é: como irei vender o meu produto ou solução para o meu cliente? E para responder essa dúvida, a primeira coisa que deve-se fazer é entender quais as diferenças entre Inside Sales e Field Sales.

Inside Sales

O método Inside Sales se baseia na venda realizada dentro da própria empresa, sem a necessidade de se deslocar até onde o seu possível cliente está, utilizando ferramentas que agilizam o processo de vendas. As abordagens de vendas são feitas por telefone ou online e a demonstração do produto ou solução pode acontecer por meio de vídeos ou calls com compartilhamento de tela.

Field Sales

Já o método Field, como o próprio nome já diz, é aquela venda realizada no campo, face-to-face, com aperto de mão e olhando no olho. É o modelo mais tradicional de vendas B2B (business to business) e, na maioria das vezes, exige deslocamento e um tempo maior de negociação com o cliente.

Não existe método certo ou errado, mas o mais certo a se fazer é identificar o que é melhor para o seu negócio. As duas maneiras de vender tem seus prós e contras e utilizar as melhores práticas de cada uma delas é o seu papel como empreendedor. Afinal, é isso que vai fazer sua empresa prosperar.

Negócios baseados na internet – F.A.T.O.

Um fato que ninguém pode negar é que a cada ano que passa, a Internet e os robôs vem participando cada vez mais do processo de vendas, tendo papel importantíssimo na geração de novos negócios. Um estudo feito na Universidade de Oxford, em 2014, mostrou que nos próximos 20 anos, 92% do trabalho de vendas será feito por robôs. Uma outra pesquisa pesquisa feita pela consultoria A.T. Kearney, afirmou que 64% dos brasileiros já preferem comprar online do que em lojas físicas. E é bem simples identificar exemplos de compras que realizamos na internet, sem sequer conversar com um vendedor: Netflix, Spotify, ingressos de jogos de futebol com sistemas de sócio torcedor, e outras que envolvam e-commerce em geral.

E é por essas e outras que o Inside Sales vem tendo uma participação cada vez maior dentro das empresas. Mas é claro que não se deve abrir mão do método porta a porta logo de início e que o modelo de vendas vai depender muito do que se está vendendo.

Para começar, é necessário calcular quanto custa um novo cliente para a empresa que trabalha com consultores externos e quanto custa esse mesmo cliente para uma que trabalha com consultores internos. Vendas Field geralmente saem mais caras, já que contemplam viagens, gastos com hospedagens, quando necessário, deslocamentos e salários. Por isso, é preciso ter um ticket médio maior para cobrir os gastos dessa venda.

Digamos que você possui um produto mais simples com baixo custo de venda. Assim, você precisa ter um custo de aquisição de cliente (CAC) baixo e consequentemente, deve focar em estratégias de inside sales. Nesses casos, fortalecer o marketing de conteúdo é essencial para atingir um maior volume de possíveis clientes e permitir que eles cheguem até você. Por outro lado se você possui um produto um pouco mais complexo, que demande um certo grau de consultoria para que a venda seja realizada, como ocorre em grandes transações B2B, talvez você tenha que investir um pouco mais na aquisição desse cliente, e é interessante integrar táticas de atração via inbound (com investimento em marketing de conteúdo, por exemplo) com táticas outbound (prospecções cold call ou cold mail). Tente realizar uma venda consultiva, entenda as dores do seu lead, e só depois escolha a melhor estratégia, o melhor discurso. Lembre-se que cada processo de venda trará um custo e é muito importante avaliar se esse custo é sustentável ao seu negócio.

Acessando o material abaixo, você pode entender mais sobre como o Marketing Digital e o Inbound podem te fazer mais. Confira!

marketing digital inside sales

Sempre que for possível realizar a venda via inside, faça-o!

Como vimos anteriormente, o custo de um cliente é importantíssimo para a sustentabilidade do seu negócio, e vendas Inside possuem alguns benefícios que vendas Field não possuem:

Redução de custos operacionais

Sem a necessidade de deslocamento, a venda Inside é uma alternativa para empresas que desejam reduzir custos do time comercial, crescer sua receita e manter o negócio em expansão. Como disse anteriormente, a venda Inside também tem um CAC (custo de aquisição do cliente) bem menor, permitindo um maior lucro sobre sua venda.

Dados levantados pelo site Viverdeblog.com, nos mostram que uma venda Inside pode ser até 62% mais barata do que uma venda Field e 275% é o ROI (retorno sobre investimento) médio produzido através de estratégias de vendas Inside.

Escala

Segundo o portal InsideSales.com, as vendas Inside estão crescendo 300% mais rápido do que as vendas Field.

Além disso os consultores atuam em conjunto com estratégias como marketing de conteúdo (Inbound Marketing), utilizando e-books, webinars, artigos e materiais informativos, que são disponibilizados gratuitamente com o auxílio de landing pages. Assim, você irá atingir um número muito maior de pessoas e ao mesmo tempo captar informações dos seus possíveis clientes.

Aumento da produtividade individual dos consultores

O uso de tecnologia poderá elevar a produtividade dos seus consultores e auxiliá-los no alcance das metas. Isso acontece em grande parte pelo uso de boas ferramentas, como: CRMs para acompanhar o fluxo de vendas; e Linkedin e Sales Navigator, para encontrar seu possível cliente.

Outros recursos como o MP3 Skype Recorder, permitem que você grave as ligações de seus consultores e identifique os melhores discursos para replicar para todo o time. Além do mais, com ele você pode também identificar os discursos que não geraram uma conexão tão boa, treiná-los e corrigir erros específicos para tornar seu time muito mais assertivo e afiado no processo como um todo.

Mais um ponto positivo é que, enquanto um consultor que vai pessoalmente até o cliente atende cerca de 2 ou 3 clientes, no máximo, por dia, um consultor inside pode atender de 4 até 6, com a mesma qualidade.

Quer conhecer outras ferramentas que podem te ajudar no quesito produtividade? Dê uma olhada neste artigo aqui.

Venda consultiva é mais assertiva

Um consultor interno tem muito mais informações sobre o seu lead. Como dito anteriormente, ao disponibilizar material na internet, você consegue “trocar” seu conteúdo por informações essenciais que irão ajudá-lo na conversão do seu lead em cliente. O tipo de material consumido também te informa sobre o que seu lead tem interesse de saber/aprender, e qual é a principal dor dele.

Ainda segundo o Viver de Blog, empresas que utilizam blogs conseguem 97% mais links apontando para seu website e, consequentemente a chance do seu lead já conhecer sobre sua empresa quando o consultor for abordá-lo se torna muito maior.

Aumento da qualidade de vida do time de vendas

Por fim, um benefício que o consultor inside terá frente ao Field, é a possibilidade de trabalhar remoto. Assim, ele pode viajar e não perder um atendimento, poderá estar em dois lugares ao mesmo tempo, fazer reuniões com os pés na areia, acordar um pouco mais tarde e não ter que enfrentar nenhum trânsito, entre outros benefícios.

Assim, você sempre terá consultores mais dispostos, mais motivados, com uma qualidade de vida maior, trabalhando no seu ritmo, sempre com metas e entregas pré estabelecidas.

Trabalhar com vídeos também pode ser excelente para suas vendas. Confira o material abaixo e veja como a Samba dobrou suas oportunidades de vendas com essa técnica!

vendas online inside sales


Tenha um tipo de venda específico para seu negócio.

Sendo assim, analise sempre o tipo de negócio que está em suas mãos. Se você acredita que seu produto é escalável, objetivo e simples, invista em conteúdo, marketing, foque no nível de qualificação, estabeleça uma conexão e relacionamento com o potencial cliente e seus consultores sempre terão bons leads para gerir novos negócios.

Entretanto, se você trabalha com produtos e soluções mais complexas, projetos mais elaborados, com vários detalhes a serem definidos, que envolvam a atenção contínua de várias áreas, talvez o formato de field sales seja a melhor opção para você garantir ao cliente a importância da realização desse negócio.

Outra informação bem importante é que o ticket de venda nesse modelo, geralmente é bem maior que o de venda Inside e pode representar uma boa parcela da receita final da empresa e por isso não pode, nem deve ser deixada de lado. Por isso, o ideal, é avaliar qual o modelo traz mais resultados para seu negócio, e se especializar, tornar-se melhor a cada dia. Quem sabe até a prática dos dois modelos de vendas não caberia dentro da sua empresa e funcionaria bem?

Conheça muito bem do seu negócio e mercado para fazer a melhor escolha! 😉

inside sales e field sales matheus pires samba tech

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 10, 2017

Como estabelecer uma Comunicação Empresarial eficaz e melhorar sua corporação

As empresas hoje, mais do que simples aglomerados de pessoas buscando lucro através de uma atividade, são como um organismo vivo, formado por diversas partes diferentes e interdependentes, que trabalham em conjunto. E nesse novo contexto, a comunicação empresarial é extremamente importante.

Em uma época em que a própria comunicação é tão valorizada, com a popularização da internet e, principalmente das redes sociais, as empresas não podem mais adotar o tipo de relacionamento frio e distante com os colaboradores e o público externo que era tão normal há algum tempo.

Para que a corporação funcione, tanto em termos operacionais, quanto na parte de clima empresarial, a comunicação empresarial é fundamental. É ela que vai garantir que os colaboradores trabalhem de forma conjunta e alinhada aos objetivos da empresa, e ainda fazer com que eles se sintam pertencentes a ela, implicando em aumento de desempenho, inovação constante e criando defensores da sua marca.

Ao longo desse artigo você vai entender de forma simples e detalhada o que é essa comunicação empresarial, como ela acontece, sua importância e como estabelecê-la de forma efetiva em sua empresa.

Veja tudo que você pode aprender e navegue a vontade!

O que é comunicação empresarial?

Comunicação empresarial X Comunicação organizacional

Evolução da comunicação empresarial

A ABERJE

Os desafios da comunicação empresarial

Fluxos da comunicação empresarial

A quem se destina a comunicação empresarial

Por que é tão importante ter uma boa comunicação empresarial?

O que faz uma Comunicação Empresarial realmente efetiva? – Com depoimento de Gustavo Caetano

Comunicação Empresarial e vídeos online – Com depoimento de José Augusto Schincariol

Os novos desafios e possibilidades da comunicação empresarial

Conclusão

 Antes de começar, você também pode aprender com testes e dicas a se comunicar melhor em todas as ocasiões. É só baixar o material!

poder comunicacao


O que é Comunicação Empresarial?

Comunicação empresarial é uma ferramenta estratégica utilizada por empresas de todos os portes para atingir objetivos como aumento de credibilidade, melhoria da imagem da corporação e de seus resultados e crescimento nos lucros.

Com o passar do tempo e fatores como a popularização da internet, as novas tecnologias e aumento da concorrência em todos os setores, a comunicação empresarial vem se transformando, expandindo, e ganhando novas formas, cada vez mais criativas, simples e eficientes – como os vídeos.

A comunicação empresarial, ao contrário do que muitos pensam pelo senso comum, não é uma forma de manipulação das organizações para favorecer sua imagem ou simplesmente uma maneira de espalhar coisas boas e esconder as ruins. A comunicação empresarial é algo bem mais amplo e se relaciona diretamente com a sobrevivência e manutenção da empresa, tanto interna, quanto externamente.

Diversos profissionais são envolvidos nesse processo de comunicação empresarial, como jornalistas, publicitários, relações públicas, e, principalmente, os gestores e pessoas estratégicas da empresa, uma vez que conhecimentos específicos da área e da corporação são essenciais para uma boa comunicação empresarial.

Comunicação Empresarial x Comunicação Organizacional

Apesar da similaridade do nome e da maioria das pessoas considerar esses dois conceitos como sinônimos, é importante ressaltar, apenas para conhecimento, que alguns acadêmicos entendem que é preciso fazer uma distinção entre comunicação empresarial e comunicação organizacional.

Para algumas pessoas, a comunicação empresarial estaria mais relacionada a práticas diretamente voltadas para o lucro ou benefício – seja financeiro, social ou de imagem – da própria empresa, enquanto comunicação organizacional seria um conceito mais amplo, relacionado a diferentes ações e com a capacidade de beneficiar não só a empresa, mas também pessoas e instituições externas a ela. A comunicação organizacional, diferente da comunicação empresarial, poderia ser aplicada até mesmo em empresas sem fins lucrativos, como ONGs e associações.

Além do mais, em alguns países esses conceitos também podem ter interpretações diferentes. Em certos países da América Latina, por exemplo, comunicação organizacional é um sinônimo de Relações Públicas, enquanto nos Estados Unidos o termo está mais relacionado a comunicação e eventos internos na empresa.

Evolução da Comunicação Empresarial

Se antes as empresas só se preocupavam com sua imagem externamente, perante a comunidade ou figuras de influência, hoje, com a evolução da tecnologia, o conhecimento cada vez maior dos colaboradores sobre seus direitos e o aumento da importância do caráter humano das corporações, elas precisam trabalhar sua comunicação empresarial de forma integrada e ampla, dando atenção tanto ao externo quanto ao interno.

E atualmente o que não faltam são meios para que as empresas se comuniquem e atinjam seus públicos de interesse de forma efetiva e é importante saber usar cada um deles de forma eficiente e adequada.

A comunicação empresarial, que antes se apoiava em memorandos, murais de aviso e notas nos cantos dos jornais, foi potencializada e hoje conta com meios muito mais efetivos e abrangentes. Enquanto há alguns anos você conseguia atingir colaboradores e clientes de forma lenta e fragmentada, hoje, com alguns cliques você garante que pessoas do mundo inteiro vejam sua mensagem com qualidade total e quase em tempo real.

Por isso investir em tecnologias para comunicação empresarial é cada vez mais importante e pode fazer toda a diferença no modo como sua empresa se relaciona com os colaboradores e é percebida pela comunidade.

A ABERJE

A Associação Brasileira de Comunicação Empresarial é, como ela própria se descreve, “uma organização profissional e científica sem fins lucrativos que tem como principal objetivo a discussão e promoção da comunicação corporativa e organizacional em uma perspectiva global e local como uma função administrativa, política, cultural e simbólica para a gestão estratégica das organizações e para o fortalecimento da cidadania.”

A ABERJE foi fundada em 1967 e, desde então, vem tendo papel fundamental no que diz respeito a elevar a comunicação empresarial a um patamar estratégico e funcional dentro das empresas.

Sua missão é fortalecer o papel do comunicador e da atividade de comunicação empresarial oferecendo conhecimento e materiais de qualidade relacionados a este assunto.

Os desafios da Comunicação Empresarial

Estabelecer uma boa comunicação empresarial nem sempre é uma tarefa fácil. Existem uma série de barreiras, de ordem física e pessoal, que podem acabar prejudicando o bom funcionamento desse processo e dificultar o andamento de outros.

Portanto, é importante conhecer os principais desafios que a comunicação empresarial pode enfrentar e estar preparado para lidar com eles.

Barreiras Semânticas

As barreiras semânticas ocorrem quando alguém tenta transmitir uma mensagem a outra pessoa ou grupo em uma linguagem que não é comumente utilizada por eles.

Em termos práticos, imagine, por exemplo, se colocássemos um advogado formado para conversar com um estudante de ensino médio e, durante a conversa, o profissional usasse termos extremamente formais, complicados ou jargões da profissão. Provavelmente existiria aí uma barreira semântica, uma vez que o estudante dificilmente entenderia o significado daquilo que está sendo dito, mesmo que no fundo fosse algo realmente simples.

Portanto, para evitar esse tipo de barreira na comunicação empresarial, é importante que o receptor tenha sempre claro em sua mente o tipo de público com o qual ele está lidando, e adapte a mensagem para que ela seja compreendida de forma fácil e eficaz.

Barreiras Psicológicas e Pessoais

Esse tipo de barreira na comunicação empresarial ocorre por fatores intrínsecos às pessoas e aos seus sentimentos, preconceitos e personalidade.

Nós temos uma barreira pessoal quando, por exemplo a pessoa vai trabalhar estando de mal humor e então não consegue aceitar bem as opiniões alheias, ordens ou chegar a um acordo com seus colegas.

As barreiras pessoais são as mais difíceis de se eliminar, uma vez que dependem apenas da própria pessoa para existir ou não. Porém, com conversas e os incentivos certos, você pode ajudar seus colaboradores a lidar melhor com problemas pessoais, com seus defeitos, e a manter um bom clima na empresa como um todo.

Já as barreiras psicológicas na comunicação empresarial estão mais relacionadas com os preconceitos e os sentimentos de uma pessoa em relação a outra ou a um grupo.

Por exemplo, imagine que o setor de tecnologia de uma empresa não compreende o papel das pessoas do marketing e acha seu trabalho irrelevante e desnecessário para a corporação como um todo, e que essas pessoas do marketing acham o setor de tecnologia chato, complicado e distante. Se em alguma ocasião você precisar colocar os dois times para trabalharem juntos, de forma direta, vai ter problemas na certa, gerados por essas barreiras psicológicas e pelo preconceito de cada pessoa em relação a outra área.

Portanto, para evitar esse tipo de barreira e dificuldade na comunicação empresarial e entre os times, é necessário que cada área tenha pelo menos um conhecimento superficial sobre o trabalho do outro e que todos tenham acesso aos resultados de cada setor, para que vejam que todos são importantes de alguma forma e trazem coisas boas para a empresa.

Barreiras Físicas e Geográficas

Por fim, a comunicação empresarial também sofre com fatores físicos e geográficos como distância, interrupções, ruídos e dificuldade de deslocamento.

Principalmente no caso de empresas com atividade em mais de uma cidade ou país, ou em que os funcionários precisam viajar constantemente, pode ficar bem difícil estabelecer uma comunicação eficaz se ela for feita apenas de forma presencial ou por emails e mensagens de texto.

Portanto, é importante que sua empresa tire o máximo proveito de todas as ferramentas tecnológicas disponíveis hoje, como os vídeos online e as videoconferências, para tornar a comunicação empresarial mais próxima, completa e eficiente e não ter prejuízos em nenhum nível operacional.

Fluxos da Comunicação Empresarial

A comunicação e a troca de informações que ocorre internamente, entre os próprios colaboradores da empresa, segue alguns fluxos que podem definir seu tom, linguagem, e abordagem.

Fluxo descendente

Em uma empresa com forte hierarquia, é quando a comunicação ocorre das posições mais altas, dos cargos mais importantes, às mais baixas.

Nesse tipo de comunicação empresarial, o emissor deve tomar cuidado para não soar autoritário, ou agir de uma forma que possa desgastar sua relação com o receptor.

Fluxo ascendente

É exatamente o contrário do descendente. Nele, a comunicação empresarial ocorre das posições mais baixas às mais altas.

Aqui também é importante tomar cuidado com a abordagem usada na comunicação, já que nesse caso o emissor está se dirigindo a alguém, teoricamente, com mais poderes do que ele.

Fluxo horizontal

Este, como o nome já diz, é o fluxo que ocorre em um mesmo nível dentro da empresa, ou seja, entre colaboradores na mesma posição ou com a mesma importância.

Este tipo de comunicação empresarial tende a ser mais leve e dinâmica, mas ainda assim, é importante levar em conta fatores como o assunto e a realidade da sua empresa na hora de se comunicar.

Fluxo transversal

O fluxo transversal se dá em todas as direções e permite que pessoas de todos os níveis participem da comunicação empresarial e possam intervir em outros níveis ou áreas.

Este tipo de comunicação facilita a interação e aproxima pessoas de diferentes setores, porém deve ocorrer de forma minimamente organizada, para que não haja conflitos entre pessoas com especialidades diferentes.

Fluxo circular

Este tipo de comunicação é mais comum em empresas informais, uma vez que abarca todos os níveis e não segue as direções tradicionais.

No fluxo circular, a comunicação empresarial é mais dinâmica, o que pode favorecer a efeciência no ambiente de trabalho.

A quem se destina a Comunicação Empresarial

A comunicação empresarial ocorre em diversos níveis e atinge pessoas diferentes, com personalidades, crenças e necessidades diferentes. Por isso é importante conhecer seus públicos e elaborar, de forma adequada a cada um deles, uma comunicação que seja eficiente.

Público interno

Um dos principais públicos a quem a comunicação empresarial serve e se dirige, é o público interno, ou seja, os colaboradores, fornecedores, parceiros e formadores de opinião da própria empresa.

Esse é um dos públicos mais importantes, uma vez que toda sua empresa depende do bom trabalho dele para sobreviver. Afinal, não adianta nada você se posicionar de forma maravilhosa para as pessoas lá fora se os próprios funcionários não vestirem a camisa da empresa e trabalharem em prol dela.

Portanto, investir na comunicação empresarial interna, apresentando resultados, pedindo sugestões, sendo transparente e prezando pelo trabalho em conjunto, é uma das melhores formas de fazer sua empresa crescer e prosperar.

E aqui neste material você pode conferir dicas valiosas para deixar sua comunicação interna impecável.

comunicacao interna comunicacao empresarial

Público externo – Sociedade e Consumidores

O público externo talvez seja o mais difícil de trabalhar, uma vez que você precisa lidar tanto com seus consumidores e simpatizantes, aqueles que estão satisfeitos e compram sua marca, tanto com aqueles que não gostam de forma alguma de sua empresa, seja por seu serviço, produto, posicionamento ou por causa da concorrência.

É importante saber se posicionar frente à comunidade, utilizar a comunicação empresarial para passar suas mensagens da forma certa e saber lidar tanto com as pessoas que amam, quanto com as que odeiam sua marca, entendendo que, às vezes, tudo que o público quer é atenção. Ser ouvido e ter seu problema levado em conta pode valer mais do que a solução no fim.

Autoridades e Sindicatos

Por fim, sua empresa precisa prestar contas com as autoridades, o governo, e outros orgãos como sindicatos de trabalhadores.

Portanto é importante estar preparado para esse tipo de situação e adequar sua comunicação empresarial, mensagem e linguagem ao contexto exigido.

Por que é tão importante ter uma boa Comunicação Empresarial?

A comunicação empresarial, mais do que apenas desenvolver o lado humano da empresa, faz com que ela ganhe benefícios em diversos níveis. Confira:

Uma boa comunicação empresarial evita rumores e fofocas

Quando você mantém todas as informações da sua empresa presas nos setores mais altos e não informa seus funcionários do que realmente está acontecendo, de forma transparente, você acaba abrindo espaço para que se criem especulações, teorias, fofocas e rumores dentro da organização.

Com uma boa comunicação empresarial, você consegue ter uma interação efetiva com seus funcionários e os mantêm informados sobre a realidade da situação da empresa, evitando essas especulações e fazendo com que eles estejam mais conectados à ela.

Aumenta o sentimento de pertencimento do funcionário

Um funcionário que não tem identificação nenhuma com o local que trabalha, ou que não possui orgulho de fazer parte da realidade da empresa, dificilmente dará o seu melhor em qualquer tarefa, buscará melhorias ou defenderá a empresa em um momento de crise.

Por isso, manter uma comunicação empresarial constante e verdadeira com seus funcionários, é essencial para evitar esse tipo de coisa e fazer com que eles se sintam mais importantes e reconhecidos como peças chave dentro da organização. Com a abordagem e os incentivos certos, logo eles perceberão que são fundamentais para a empresa e estarão mais dispostos a dar o seu melhor por ela.

Abre espaço para dúvidas e sugestões

Com uma boa comunicação empresarial, os colaboradores irão se sentir mais valorizados e importantes dentro da organização e, consequentemente, irão ter mais liberdade para tirar suas dúvidas e propor melhorias na empresa como um todo.

Isso é extremamente importante, uma vez que pode ajudar a empresa a se desenvolver e ter inovação de forma constante.

Melhora a imagem da sua empresa

Se você se comunica de forma eficaz tanto com o público interno, quanto com o externo, com certeza também sai ganhando em quesitos como credibilidade e autoridade.

Uma empresa que aparece, se posiciona, é aberta e transparente quanto a suas políticas e atividades, ganha mais respeito e destaque frente aos colaboradores e também aos clientes e à comunidade.

Por isso é sempre importante ouvir as pessoas, de qualquer setor, área ou comunidade e usar a comunicação empresarial para dar respostas mais humanas e satisfatórias a elas.

Aumenta o alinhamento e a produtividade

Em uma empresa na qual os colaboradores conversam, entendem as atividades uns dos outros e trabalham em conjunto para garantir o crescimento e a sustentabilidade da empresa, com certeza a produtividade será muito maior e, realizar tarefas e processos cotidianos, será muito mais fácil e seguro.

Portanto, investir em uma boa comunicação empresarial internamente é uma ótima forma de manter sua equipe alinhada, motivada e muito mais produtiva.

Melhora o clima organizacional

Funcionários que se entendem, entendem a realidade da empresa, confiam nela e em suas atividades, se sentirão muito mais motivados para realizar suas tarefas e terão muito mais disposição para ajudar colegas e trabalhar em equipe.

Portanto, a comunicação empresarial faz com que o clima organizacional fique muito melhor, mais leve, e que as pessoas se sintam mais a vontade com seu trabalho e mais felizes com a empresa.

Quer saber como a cultura empresarial também pode ser fortalecida? Acesse nosso Guia de Cultura empresarial clicando aqui ou na imagem abaixo. 

O que faz uma Comunicação Empresarial realmente efetiva?

Nosso CEO, Gustavo Caetano, diz que em conversas com grandes diretores, presidentes e colaboradores de empresas, uma das questões mais levantadas quando se trata de garantir eficiência organizacional, é como garantir uma comunicação empresarial realmente eficaz.

Portanto, com essa questão em mente, ele levantou pilares que, se trabalhados em conjunto, são facilitadores para qualquer empresa atingir esse objetivo. Confira:

Gustavo Caetano#01 Agilidade

“Quanto tempo é necessário para levar aquela diretriz estratégica quentíssima até os colaboradores? 30 longos dias até o material ficar pronto? Bom, esqueça o sucesso disso. É preciso ser ágil ao tirar a mensagem do planejamento e levá-la até o quadro de funcionários.

Ao usar vídeos na comunicação empresarial, por exemplo, não basta apenas acreditar nesta estratégia e ponto final. É preciso fazer com que esse vídeo chegue rápido e com qualidade a cada destino traçado, a cada pessoa que precisa ser atingida.”

#02 Interatividade

“Seu funcionário está conectado, usa Dropbox, Twitter, Linkedin, Spotify e Netflix. Ele quer interagir. Não trate suas redes internas (ou mesmo externas) como uma via de mão única e sem qualquer charme de design. Repito: ele utiliza as principais redes sociais e apps do mercado e quer uma experiência positiva também na empresa.

Mais do que apenas receber informações e conteúdo, as pessoas querem ser ouvidas, querem atenção. E, por isso, é importante que você dê isso a elas: um canal de comunicação funcional em através do qual elas tenham voz e visibilidade.

A comunicacão empresarial não pode ser mais de mão única.”

#03 Mobilidade

“Lembra que mencionei que as pessoas estão conectadas? Pois é, e elas estão em dispositivos móveis boa parte do tempo. Uma pesquisa recente mostra que 4 em cada 5 usuários de internet possuem um smartphone e que 47% dos entrevistados têm um tablet. Não dá para deixar o mobile de lado na hora de fazer uma comunicação empresarial eficaz, certo? 

Você precisa garantir que sua mensagem será acessível também desse tipo de dispositivo ou corre o risco de perder muito em sua estratégia e resultados.”

#04 Capilaridade

“Aqui a coisa começa a ficar ainda mais séria. Adianta você atingir apenas os funcionários de uma unidade ou de uma cidade? Provavelmente não, já que isso vai representar uma falha no alinhamento da equipe, no repasse de informações e na sua própria comunicação empresarial.

É preciso utilizar a tecnologia para fazer com que sua comunicação alcance o maior número de lugares possíveis e o maior número de pessoas também. Pode até haver restrições de acesso nesse caminho, segmentações e direcionamentos, mas sua empresa precisa ser capaz de entregar a mensagem onde quer que seja e com qualidade máxima!”

#05 Engajamento

“Talvez essa seja a palavra mais falada do momento. Sua empresa vai ficar alheia a isso? Espero que não.

Um caso de uso inteligente é dar ao colaborador a chance de ter papel ativo nesse processo de comunicação empresarial. Dessa forma, uma pessoa do comercial pode contar para o restante do time quais técnicas de venda são mais eficazes ou qual discurso tem melhor apelo. Isso é fundamental para trabalhar uma gestão do conhecimento compartilhada e tirar da empresa o papel único de gerador de informação qualificada.”

#06 Monitoramento de Resultados

“Você pode fazer todos os passos anteriores e não ter a menor ideia do que está acontecendo e dos resultados que sua comunicação empresarial está trazendo. Aí, sinceramente, não adianta nada.

É fundamental compreender quem está acessando suas mensagens, de qual dispositivo ela está, a qual área da empresa ela pertence, sua faixa etária, e até mesmo cruzar esses dados com avaliações de desempenho e produtividade de cada colaborador. 

Só assim é possível validar o seu projeto e realmente entender se sua comunicação empresarial é eficaz e eficiente.” 

#07 Transparência

“Por fim, mais do que de uma tecnologia de ponta e de uma mensagem bem produzida, você precisa ser sincero e transparente em sua comunicação empresarial. 

Ficar tentando maquiar a imagem e o posicionamento da sua empresa frente ao público, ou sua verdadeira situação frente aos colaboradores, só vai enfraquecer sua marca e impedir que ela receba feedbacks verdadeiros de quem mais importa.”

Gustavo Caetano – CEO e Fundador da Samba Tech 

Comunicação Empresarial e vídeos online

Com o avanço da tecnologia e o acesso cada vez mais fácil e democrático das pessoas à internet, investir em formas de comunicação que utilizem desse meio, pode ser a melhor solução para simplificar, dinamizar e deixar sua comunicação empresarial ainda mais eficiente.

Com os vídeos online, por exemplo, você consegue facilitar uma série de processos e manter sua equipe sempre alinhada e integrada sem nem sair da cadeira em seu escritório e sem ter gastos absurdos com deslocamento, hospedagem e a própria reunião de toda a sua equipe.

Em uma conversa sobre a importância dos vídeos na comunicação empresarial e na realidade das corporações atuais, José Augusto Schincariol, ex-membro do conselho de administração da cervejaria Schincariol e atualmente parte do Advisory Board da Samba Tech, destacou seu papel como facilitador e como uma forma mais próxima e eficaz de estabelecer a comunicação.


José Augusto Schincariol“A tecnologia está cada vez mais presente no dia a dia das empresas.

Tanto nas pequenas, quanto nas grandes corporações, às vezes os gestores não têm agenda ou tempo hábil para falar com os colaboradores pessoalmente e, então, o vídeo tem se mostrado a ferramenta mais eficaz e também mais próxima e pessoal para passar mensagens ou informações estratégicas.

O vídeo é uma ferramenta muito importante e que tende a se tornar cada vez mais relevante dentro das empresas, crescendo de uma forma extremamente segura, devido a confidencialidade das informações. 

Hoje todo mundo tem um celular, tablet e, então, a comunicação digital, principalmente por vídeo, vai ser cada vez mais importante na vida das pessoas e, principalmente, das empresas.”

Confira mais alguns benefícios de utilizar vídeos online em sua comunicação empresarial e considere investir nessa ferramenta para sua corporação.

Derrubada das barreiras geográficas e redução de custos

Um dos desafios da comunicação empresarial, como já citamos, são as barreiras geográficas.

Principalmente para empresas que têm mais de uma unidade, pode ser custoso, tanto financeiramente quanto pessoalmente, manter a equipe alinhada apenas realizando reuniões presenciais e com trocas de e-mail.

Porém, utilizando vídeos online, você troca o espaço físico pelo virtual e consegue reunir toda a sua equipe em uma mesma sala sem precisar gastar com deslocamento, hospedagem, lanches, e sem desperdiçar tempo planejando essas reuniões.

Você pode criar um canal de conteúdo seguro para distribuir informações, treinamentos, repassar conhecimento, ou então usar um software de videoconferência para falar com toda a sua equipe em tempo real de onde quer que você esteja.

Além do mais, na comunicação empresarial com o público externo, utilizar vídeos online é muito mais efetivo do que fazer campanhas na TV, por exemplo. De acordo com a Nielsen e o IAB, mudar da TV para o vídeo online aumenta o alcance da sua campanha, além de reduzir os custos.

E que tal descobrir como a sua própria empresa pode investir em uma TV Corporativa? Acesse o material abaixo e veja que é bem simples.

tv corporativa na comunicacao empresarial

Flexibilidade na comunicação empresarial

Com os vídeos online você não precisa mais de horários marcados para falar com sua equipe ou que todos estejam online em um momento específico para ter acesso a um conteúdo.

Com os vídeos online, você pode gravar um comunicado de onde quer que esteja, enquanto espera um avião ou se desloca para uma reunião e enviar essa mensagem para todos os seus colaboradores, que podem assistí-la no momento, ou um pouco mais tarde, de modo que não atrapalhe suas atividades.

É muito mais rápido, dinâmico e aumenta o engajamento da equipe como um todo!

Equipe mais alinhada e produtiva

E como já vimos, uma comunicação empresarial bem estruturada e que realmente funciona, resulta em benefícios operacionais como mais alinhamento, motivação e, consequentemente, mais produtividade da equipe.

Trabalhando em conjunto, de forma organizada e em contato constante, sua equipe evita mal entendidos, erros nos processos, consegue trabalhar de forma mais eficiente e sem perdas financeiras ou de tempo.

Além do mais, isso ainda resulta em melhora no clima organizacional e deixa os colaboradores mais satisfeitos com a empresa.

Comunicação empresarial mais próxima e simples

Nesse momento, você pode estar se perguntando: por que utilizar vídeos se eu posso fazer isso tudo com meus e-mails e mensagens escritas?

E a resposta é bem simples: empatia!

Vídeos são a forma de comunicação empresarial que mais se aproxima da presencial, por misturar elementos visuais e sonoros, e por isso, a que também gera mais emoção, empatia e proximidade entre o emissor e o receptor da mensagem. Isso ajuda a deixar a mensagem mais humana e transforma o modo como ela é recebida e aceita.

Além do mais, alguns assuntos, principalmente explicações mais técnicas e detalhadas de processos, se tornam muito mais simples quando explicados através de um vídeo, com o auxílio de gestos, expressões e a fluidez da linguagem oral.

As pessoas estão cada vez mais familiarizadas com os vídeos e essa pode ser uma ótima oportunidade para começar a utilizá-los em sua comunicação empresarial, tanto interna quanto externa.

  • De acordo com a Cisco e a Revista PEGN, 70 milhões de brasileiros assistiram vídeos online em 2014 (35% da população), 13% a mais do que em 2013. Em 2018 serão 149 milhões (72% da população).
  • Conteúdo em vídeo aumenta o engajamento dos consumidores em 65%, segundo a Fast Company.

Grandes empresas como a Uptime, já estão apostando no poder dos vídeos online para transformar sua comunicação empresarial e os resultados são extremamente satisfatórios. No caso da Uptime, por exemplo, que usa os vídeos principalmente para o treinamento de novos franqueados, essa ferramenta contribuiu para que eles fossem eleitos três vezes como a melhor franqueadora do país.

Você pode entender mais sobre como a Uptime usa os vídeos e ver os resultados obtidos pela empresa assistindo o vídeo abaixo:

Os novos desafios e possibilidades da comunicação empresarial

Ao mesmo tempo que a tecnologia e a grande circulação de informações representam um avanço para a comunicação empresarial, elas podem acabar sendo também um desafio para sua marca frente ao mercado e ao público de forma geral.

Hoje qualquer pessoa com acesso a internet pode se comportar como formadora de opinião e isso pode ser tanto uma oportunidade, quanto um risco para sua empresa.

Em tempos de “comentaristas de redes sociais”, qualquer mínimo deslize, mal entendido ou boato sobre sua empresa pode acabar se espalhando de forma assustadora e tomar proporções que vão além do contexto online.

Por isso, mais do que nunca, é necessário investir em uma boa comunicação empresarial, que seja feita com responsabilidade e de forma estratégica, para não prejudicar seu negócio ou acabar caindo nas armadilhas dos relacionamentos modernos.

Lembre-se de que as pessoas tem o poder de atingir milhares de outras com apenas alguns cliques e, portanto, seja solícito, atencioso e não deixe nenhuma situação sem resposta. Afinal, na maioria das vezes, um consumidor que reclama e tem uma resposta que não resolve seu problema em definitivo, fica chateado, mas o consumidor que reclama e não tem resposta nenhuma, fica revoltado.

Use o poder da internet a seu favor e cuide para que as pessoas, tanto dentro, quanto fora da empresa, tenham sempre informações verdadeiras e precisas sobre sua marca, evitando boatos, especulações e difamação.


Apesar de toda a modernização dos processos empresariais e da eficiência cada vez maior alcançada por máquinas e outras técnicas, a comunicação empresarial ainda é fundamental para que uma equipe produza mais e a organização mantenha sua credibilidade, o engajamento dos funcionários e o respeito e interesse do público externo.

Sem uma boa comunicação empresarial, as corporações estão sujeitas a uma série de prejuízos, tanto de ordem financeira quanto de imagem e reputação.

Portanto, é importante ter profissionais qualificados que cuidem dessa questão e, para além disso, oferecer meios para que ela seja facilitada, sem perder em eficiência, praticidade e segurança.

Investir em vídeos online pode ser uma ótima alternativa para utilizar a tecnologia a seu favor quando se trata de comunicação empresarial e a Samba Tech tem as melhores soluções para te ajudar a encontrar a implantação e modelos perfeitos para sua empresa. Entre em contato, apresente seu cenário e nossos consultores tirarão todas as suas dúvidas e lhe apresentarão a melhor solução para a sua empresa.

Fique a vontade para deixar também suas dúvidas, comentários e sugestões aqui nesse post e não deixe de conferir nosso material para entender como a tecnologia pode te ajudar a se comunicar melhor.

Tecnologia-na-comunicacao-corporativa

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em julho 7, 2017

Como vender cursos online e conteúdos em vídeo

Com a popularização da internet e a busca cada vez mais constante do público por um consumo com mais comodidade e facilidade, muitos negócios têm se expandido para o meio online – quando não se fixam apenas nele – e fortalecem o que hoje chamamos de empreendedorismo digitalNesse contexto, vender cursos online e conteúdos OTT se tornou um dos tipos de negócio que tem tido mais destaque e crescimento.

Essa expansão pode ser facilmente explicada pelo fato das pessoas estarem sempre em busca de adquirir conhecimento de forma rápida e simples para se manterem atualizadas, ou de opções de entretenimento baratas e práticas. Exatamente por disponibilizarem esse tipo de material, portais focados em oferecer e vender cursos online e conteúdos de nicho variados são extremamente eficientes e valorizados.

E o melhor é que esses são negócios que não exigem grandes investimentos para se concretizar e que podem rapidamente ganhar relevância, gerando lucros e um retorno altamente positivo. Com plataformas como o Samba Play, por exemplo, em poucos passos você pode colocar seus conteúdos no ar e começar a ganhar dinheiro com vídeos.

Você trabalha com conteúdos, cursos online ou está em busca de uma forma de expandir seus negócios ou começar a empreender? Então pense em investir na venda inteligente de vídeos online.

Você é um vlogger e já tem audiência no YouTube? Então veja aqui também como começar a ganhar dinheiro de verdade com seu conteúdo.

Nesse artigo, a gente vai te explicar direitinho como você pode começar a vender cursos online e conteúdos e também tudo que você precisa em termos de material e estrutura para realizar essa atividade. Vamos lá?

Fique a vontade para ler o conteúdo por inteiro ou navegue pelo artigo!

. Como vender cursos e conteúdos online

01. Escolha um modelo de venda de cursos e conteúdo online

02. Produza ou selecione os conteúdos e cursos para venda

03. Crie um portal de vendas

04. Tenha certeza de que sua estrutura de vídeos é confiável

05. Adote um sistema de pagamento online

. Uma sugestão para simplificar esse processo e transformar 05 passos em 02

. Divulgue, divulgue e divulgue

. Bônus: consultoria gratuita sobre venda de cursos e conteúdo online

Guia completo de monetizacao em videos para vender cursos online


Como vender cursos online e conteúdo?

Para vender cursos online e conteúdos, o primeiro passo é investir em um bom planejamento. Desde o início do projeto é necessário definir seus objetivos e ter materiais e uma estratégia que contribuam para que eles sejam alcançados.

Além de bons vídeos, para que se consiga comercializar cursos e conteúdos, você precisa de uma série de outros fatores que vão desde estrutura tecnológica a uma boa estratégia de vendas e marketing.

Porém, ao contrário do que pode parecer, não é complicado começar ou manter esse tipo de negócio e a venda de conteúdo pode ser bastante lucrativa. Continue lendo o artigo e entenda como vender seus materiais e cursos online.

01. Escolha um modelo de venda de cursos e conteúdo online

Possuindo ou não os conteúdos prontos, uma das partes mais importantes é definir como eles serão oferecidos ao público. Atualmente, quando se trata de vender cursos online e conteúdos no formato de vídeo, empresas e marcas de todos os tipos e tamanhos estão preferindo adotar os formatos de assinatura ou de venda pontual.

Confira mais alguns detalhes desses modelos e suas vantagens:

O modelo de vendas por assinatura e seus benefícios

Assim como no famoso Netflix, optando por um modelo de vendas por assinatura, você oferece a seus clientes a possibilidade de assistir quantos conteúdos quiserem e quantas vezes quiserem, mediante apenas ao pagamento de um valor fixo mensal.

Esse modelo é extremamente indicado para quem tem conteúdos voltados para um nicho específico, de fácil consumo, e em boa quantidade para oferecer. Ele é também um dos mais estratégicos hoje e não é a toa que é o modelo utilizado por grandes empresas como, além do Netflix, o Spotify, a HBO, a Globo e a Apple.  

Com o modelo de assinatura, a coisa toda é muito simples: você precisa vender uma vez só e continua recebendo de forma recorrente de cada cliente que adquirir. Além disso, você não sofre com sazonalidades financeiras, já que o valor cobrado não pesa tanto no bolso e, como a pessoa já está pagando pelo serviço, ela não tende a cancelá-lo. Sendo assim, mesmo que você não consiga muitos novos assinantes, você já tem pessoas consumindo e não sofre com as baixas desse período.

E não são só os grandes negócios mundiais que estão adotando esse tipo de venda, mas também produtores que estão muito próximos da nossa realidade. Um grande exemplo disso é o Professor Jubilut, do Biologia Total. O professor oferece aulas de biologia para diversas situações em seu canal e cobra por assinatura. Ele é um sucesso total e além dos seus alunos recorrentes, tem milhões de admiradores nas redes sociais, em que também dá lições valiosas de biologia e ajuda as pessoas a passarem nas principais provas do país.

O modelo de vendas pontual e suas vantagens

Outra forma de vender seus conteúdos é por meio da venda pontual. Esse modelo é indicado principalmente aos produtores que fazem vídeos sobre diferentes assuntos e que, não necessariamente, precisam ser consumidos juntos. Essa opção te dá a oportunidade de separar os conteúdos em diferentes pacotes e, assim, o cliente pode consumir de acordo com sua necessidade.

Se você é um professor de português, por exemplo, pode usar o modelo de vendas pontual e desmembrar o assunto das aulas em tópicos, de modo a vender separadamente as aulas sobre movimentos literários, gramática e produção textual. Assim, se um aluno tem interesse em apenas consumir o conteúdo a respeito da literatura barroca, ele pode.

Esse modelo é vantajoso na hora de vender cursos online, pois dá à pessoa uma maior autonomia na hora do acesso aos vídeos. Dessa forma, você consegue atender aos clientes que deixariam de pagar uma assinatura mais cara para ter acesso a conteúdos diversos, mas se interessa em pagar por aulas específicas.

E agora que você já sabe porque esses são os melhores modelos de vendas, vamos ao próximo passo.

02. Produza ou selecione os conteúdos e cursos para venda

Uma vez que você já se convenceu que os sistemas de vendas por assinatura e pontual são as melhores opções, é hora de selecionar os conteúdos que você irá oferecer ou, se eles ainda não estão prontos, de começar a produzir esse material.

Lembre-se que todo o conteúdo disponibilizado por você deve ser bem produzido e ter alta qualidade em pontos como imagem e som. Afinal, não adianta nada você ter um ótimo material em termos de conteúdo se as pessoas não conseguirem compreendê-lo por causa de ruídos no áudio ou uma imagem ruim.

Quer mais dicas para produzir um conteúdo realmente atrativo? Confira aqui!

Não é que você precise ter um estúdio profissional ou contratar uma produtora toda vez que for fazer seus vídeos (apesar de que, se houver verba, esse caminho é o mais indicado), fique tranquilo. Porém, é necessário que você tenha alguns equipamentos básicos – se possível, um home studio – e ao menos uma noção de gravação e edição de vídeos e na hora de produzir seus materiais, tome cuidado com pontos como iluminação, qualidade do áudio, duração dos vídeos e roteiro.

Há muito material disponível na internet que pode te ajudar com essa tarefa, e aqui mesmo, em nosso blog, você encontra conteúdos completos sobre produção e edição de vídeos. Nos artigos abaixo listados você pode aprender sobre pontos cruciais para uma gravação. Vale conferir:

03. Crie um portal de vendas

Com os conteúdos prontos e organizados de acordo com o modelo de vendas, você precisa de um canal ou ambiente digital em que possa comercializá-los.

E graças aos avanços em termos de tecnologia para vídeos, agora você não precisa mais contratar um desenvolvedor ou uma empresa para criar seu site ou media center. Existem diversas opções disponíveis para que você comece a ganhar dinheiro com vídeos a partir de um baixo investimento inicial.

Na hora de escolher seu portal de distribuição, só é importante levar em conta alguns pontos:

Responsividade

Um site responsivo é aquele que se adapta a diferentes tamanhos de tela. Sendo assim, ele pode ser facilmente acessado por vários dispositivos, como smartphones e tablets, sem interferir na qualidade de navegação do usuário ou dificultar seu acesso aos conteúdos.

Facilidade de edição e gerenciamento

Seja qual for sua escolha, é importante que seu portal de conteúdos possa ser facilmente modificado e que você consiga, com certa autonomia, gerenciar suas informações e conteúdo. Afinal, não é ideal que você tenha que contar com um programador a cada vez que quiser trocar um título em seus vídeos.

Ele seja otimizado para busca no Google

É importante que quando as pessoas buscarem por temas relacionados a seu portal, no Google, ele apareça como um dos resultados mais relevantes e ter um site otimizado é um diferencial. Trabalhe com hierarquia de conteúdo, use bem os títulos e descrições de cada vídeo, tenha URLs amigáveis, imagens otimizadas e mais. Se quiser entender mais sobre SEO, vale acessar esse material desenvolvido pela Rock Content.

04. Tenha certeza de que sua estrutura de vídeos é confiável

Se você vai vender cursos online ou seus conteúdos em vídeo, deve garantir que seu público conseguirá acessar esses materiais independente do dispositivo que use ou da quantidade de outras pessoas que estejam acessando o material naquele momento. Você também precisa ter certeza de que apenas as pessoas que pagaram vão ter acesso ao conteúdo do portal e que ele não vai ser distribuído indevidamente em outros canais sem a sua supervisão.

E só o que pode lhe oferecer isso tudo é uma boa estrutura de vídeos. Sem investir nesse ponto, você pode estar expondo não só seus conteúdos, como também sua marca, a um risco enorme.

Isso porque, primeiramente, você pode ser plagiado e ter seu conteúdo vendido de forma não autorizada em outros canais, prejudicando seus ganhos financeiros e o sucesso da sua estratégia. Além do mais, você coloca toda a reputação e credibilidade da sua empresa em risco, uma vez que seus materiais podem sair do ar, sofrer com travamentos e inúmeros outros problemas.

Portanto, fique atento ao que você utiliza em termos de player, estrutura tecnológica e ao que você pode obter quanto ao suporte dos serviços que utiliza.

05. Adote um sistema de pagamento online

Você já está quase pronto para começar a vender cursos online ou conteúdos. Por fim, mas não menos importante, é necessário que as pessoas consigam pagar pelo seu curso ou conteúdo sem precisar recorrer a meios físicos ou esperar muito para começar a assistir os vídeos. Portanto, você deve ter um bom sistema de pagamento online integrado a seus conteúdos.

Um bom sistema de pagamento deve ser seguro, estável e passar credibilidade e confiança aos usuários, uma vez que eles precisarão fornecer dados pessoais para concretizar as transações e isso pode assustar um pouco. Além do mais, é necessário que o sistema seja rápido, eficiente e capaz de concretizar a compra em poucos segundos, liberando o acesso dos usuários ao conteúdo de forma quase instantânea.

Escolhido e contratado o sistema de pagamento, você só precisará estabelecer valores para a assinatura dos seus conteúdos.

Uma sugestão para simplificar esse processo e transformar 05 passos em 02

Você pode ter conferido todo esse artigo e achado este processo meio complexo. Criar um site, investir em estrutura de vídeos, contratar e integrar uma plataforma de pagamento e ainda produzir o conteúdo… Ufa! Parece complicado, não é?! Mas pode ficar extremamente simples. Se antes você precisava seguir 05 passos para começar a vender cursos e conteúdos, investindo uma grande quantidade de tempo e dinheiro, agora você pode fazer isso passando apenas por 02 etapas que são: produzir o conteúdo e escolher o Samba Play como sua solução para venda de cursos e conteúdos.

Isso porque com o Samba Play, você tem uma estrutura pronta para a divulgação e comercialização de vídeos, incluindo o media center, a integração com sistema de pagamento e a melhor estrutura para gerenciamento e distribuição dos seus conteúdos.

E como funciona?

É muito simples. Você se cadastra para usar a plataforma; cria seu próprio media center personalizado, com suas cores e marca; carrega seus conteúdos, dividindo-os por categoria, colocando descrições e títulos; define um valor para a assinatura mensal do canal e pronto! Já pode começar a ganhar dinheiro com seus vídeos. E o melhor, com qualidade e segurança totais.

Isso porque o Samba Play já tem templates personalizáveis e totalmente focados em conversão, possui um sistema de pagamento integrado à plataforma, através do qual os usuários podem realizar a compra do conteúdo, e também oferece toda a qualidade da Samba Tech em termos de segurança dos materiais, estabilidade e distribuição.

E outra vantagem é que você não precisa se preocupar com questões jurídicas relacionadas a termos de compromisso, cancelamentos e reembolso. A Samba cuida de tudo para você.

Então, com um baixo investimento inicial e muita facilidade você já pode ter seu próprio canal de vídeos, seu Netflix, e vender seus conteúdos com alto retorno.

Conheça mais sobre essa solução aqui neste artigo e faça o tour pela plataforma clicando no banner abaixo.


  conheça o samba play e comece a vender cursos online 

Bônus: Divulgue, divulgue e divulgue

Com tudo pronto, é hora de mostrar ao mundo seu negócio e fazer com que as pessoas tenham interesse em consumir seus conteúdos. Portanto, será necessário investir em divulgação!

Use as redes sociais, invista em anúncios online e físicos, estabeleça parcerias, estruture uma boa estratégia de marketing e mostre às pessoas porque consumir seu conteúdo é tão importante.

Não se esqueça, apenas, de fazer toda sua divulgação sempre pensando no público que você quer atrair para seu canal. Afinal, não adianta nada impactar pessoas que, no final das contas, não trarão lucro para você.

Aqui você pode conferir um Guia Básico para divulgar seus vídeos de forma eficiente. Acesse!


Com as pessoas buscando cada vez mais por conteúdo de qualidade com flexibilidade e comodidade, vender cursos online ou conteúdos é uma ótima opção para começar seu próprio negócio online e lucrar!

Escolha seu modelo de vendas, crie um portal seguro para vender seus materiais, escolha uma plataforma de vídeos confiável, integre o sistema de pagamentos, divulgue muuuuuito e prepare-se para fazer sucesso com seu negócio na internet. Ou então, simplifique isso tudo e utilize o Samba Play! É a forma mais simples de trabalhar com video business e ter alto retorno com a venda de conteúdo, a partir de um investimento pequeno.

Nesse material você pode ver mais algumas dicas sobre a monetização de conteúdos e nesse artigo, você vai encontrar mais algumas dicas valiosas para estruturar seu negócio na internet e fazer sucesso com seus cursos e conteúdos.  

E se você já tem um projeto ou alguma ideia nesse sentido, precisa de mais dicas para tirar seu negócio do papel, quer uma consultoria completa com nossos especialistas em venda de conteúdo, ou quer saber mais sobre como o Samba Play pode ser perfeito para você, preencha o formulário abaixo e solicite nosso contato! Vamos adorar conhecer e ajudar você 😉


Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.