• Blog
  • >
  • EAD
  • Insights
  • Segurança de vídeos EAD: saiba como proteger seu material educacional da pirataria

Segurança de vídeos EAD: saiba como proteger seu material educacional da pirataria

Infelizmente, a maioria dos negócios digitais estão suscetíveis a sofrerem com pirataria. Ainda que existam muitos esforços para impedir o roubo de conteúdo, os piratas sempre renovam suas formas de adquirir e até revender os materiais ilegalmente. Então, ao passo que sites de pirataria lucram aos milhões, as instituições de ensino, os produtores de conteúdo e outras empresas que investem na utilização desse tipo de conteúdo estão perdendo – e muito! – dinheiro.

Hoje, a pirataria de vídeos online é considerada um dos maiores inimigos da expansão do ensino a distância (EAD), por isso, é importantíssimo que instituições de ensino que investem em EAD dediquem-se, também, a segurança e proteção de vídeos online.

Pode parecer uma tarefa impossível e digna de altos investimentos financeiros, porém, muitas empresas de tecnologia que já se especializam em plataformas EAD pensam, exatamente, na proteção de vídeos online para que você não precise se preocupar com isso e possa focar no que realmente importa: o seu conteúdo!

Aproveite também para saber um pouco mais de como proteger seus vídeos da pirataria com nosso material sobre o assunto!

Nova call to action

Pirataria Digital

Provavelmente você já sabe o que é a pirataria e já se deparou com muitos produtos falsificados na sua vida. Desde CD’s e DVD’s piratas, que eram bastante populares há poucos anos, até equipamentos eletrônicos, vestimentas e muito mais. E claro, a medida que o acesso a internet e os produtos digitais vão se expandindo, também cresce a pirataria digital.

Muita gente acredita que a internet é uma terra sem leis, mas felizmente isso não é verdade.

Com a rapidez e a facilidade da troca de informações e conteúdo online, é importante sempre se lembrar que existem regras e leis, mesmo se tratando da internet. Imagens e músicas, por exemplo, possuem direitos autorais e a utilização delas sem autorização dos proprietários pode acarretar em processos e sanções. Por exemplo, se você quer fazer um vídeo e colocar no YouTube, não pode colocar qualquer música de trilha. Utilizar conteúdo de terceiros sem autorização pode acarretar muitos problemas e, nesse caso, por exemplo, seu vídeo pode ser até ser removido da plataforma e você pode ter sua conta suspensa.

Em casos mais graves, a pirataria digital pode levar à prestação de contas na justiça comum e até mesmo à prisão dos piratas. Em 2015, após investigação da Polícia Federal, um casal foi preso por operar o site pirata Mega Filmes HD, no qual eram disponibilizados diversos filmes ilegalmente, inclusive lançamentos recentes. O site chegava a render até R$70 mil por mês ao casal, que, ainda hoje, responde ao processo.

Existem, então, regras que protegem os criadores de conteúdo e artistas do roubo de seus materiais, porém, infelizmente, a pirataria digital é rápida e ainda funciona em grande escala. Mesmo com tais leis, é bastante fácil encontrar sites que disponibilizam gratuitamente filmes e séries pirateados, comercializam livros digitalizados, por exemplo, e, no caso do EAD, vendem cursos e materiais didáticos pirateados por um valor mais barato. Muitas vezes, inclusive, esse comércio acontece abertamente, em sites de ampla circulação.

Para o ensino a distância, a pirataria é um grande obstáculo que ainda há de ser superado por completo, mas já existem diversas ferramentas que garantem a segurança de vídeos EAD e ajudam as instituições de ensino navegarem nesse mercado com confiança e proteção.

Como a pirataria afeta as instituições de EAD

A expansão do ensino a distância no Brasil já é uma realidade muito clara. Cada vez mais as instituições de ensino dos mais diversos níveis estão apostando nessa modalidade e, consequentemente, contribuindo para o aumento da confiança dos estudantes e do mercado no EAD.

Um dos formatos que, dentro do EAD, mais cresce atualmente é a utilização de videoaulas. Os vídeos, em geral, são conteúdos em formato atraente e de fácil assimilação, então, auxilia o aprendizado dos alunos e, de certa forma, ajudam a suprir, ainda que parcialmente, a falta de contato face a face.

Porém, um dos empecilhos que ainda assombra alguns gestores de instituições de ensino é o medo da pirataria trazer prejuízos impensáveis para o seu negócio.

O Estratégia Concursos, uma das grandes instituições de ensino a distância no Brasil, também já sofreu muito com o roubo de conteúdo online. Em uma visita à Samba Tech, Victor Dalton, CIO da instituição falou sobre o assunto e sobre todo o prejuízo que as instituições EAD lidam em relação a pirataria digital. Você pode conferir o depoimento dele no vídeo abaixo:

Prejuízos financeiros

Apesar de muito vantajoso, colocar um EAD no ar não é fácil. O passo a passo que vai desde o planejamento do conteúdo, gravação das aulas, escolha da plataforma e planos de lançamento e divulgação é demorado e exige bastante cuidado, estudo e dedicação. Imagine então ter todo esse trabalho e esforço e ver seu conteúdo roubado e comercializado pela metade do preço. Então, um dos principais fatores que a pirataria afeta é, exatamente, no quesito financeiro.

Os cursos a distância, em geral, são muito mais baratos para os gestores e para os alunos também, e isso é considerado uma das maiores vantagens que a modalidade oferece. Se as instituições de ensino começarem a perder muito dinheiro com a pirataria, provavelmente os custos iriam aumentar e, com isso, a quantidade de alunos iria diminuir.

E se grandes instituições de ensino já perdem muito com a pirataria, esse problema é ainda maior para o produtor individual de cursos livres online. Para o pequeno empreendedor, o roubo de conteúdo pode significar a inviabilização do projeto como um todo e, consequentemente, a falência do empreendimento.

É por isso que, independente do tamanho do seu projeto de ensino a distância, a preocupação com a segurança de vídeos EAD deve sempre ser um dos pontos chave do seu negócio, especialmente na hora de escolher a melhor plataforma para seus cursos online.

Insegurança de instituições

O equilíbrio financeiro é essencial para um negócio dar certo e continuar funcionando, certo? Então, se existe algo que ameace diretamente o financeiro de um curso online ou uma instituição de ensino, é claro que os gestores e empreendedores ficarão mais inseguros na hora de investir nesse mercado.

A insegurança dessas instituições impacta, diretamente, na quantidade de alunos alcançados e, consequentemente, nas oportunidades de educação do país. Uma das vantagens mais atraentes do ensino a distância no Brasil é o tanto que essa modalidade contribui para a expansão e democratização do ensino. Quebrando as barreiras geográficas e diminuindo o custo para o estudante, o ensino a distância oferece uma alternativa para quem até então não teve oportunidade de se especializar, aprender uma nova habilidade ou até mesmo ter um diploma de ensino superior.

Desvalorização do ensino a distância

E além desses prejuízos materiais, a pirataria pode, ainda, contribuir para a desvalorização do ensino a distância como um todo.

No Brasil, a desconfiança com essa modalidade de ensino, infelizmente, ainda é realidade. Muita gente ainda acredita que um diploma de curso superior vale menos se foi proveniente do ensino a distância, ou acreditam que instituições de EAD são, automaticamente, de pior qualidade do que do ensino presencial. Mas isso não é verdade! O EAD, hoje, é tão valorizado quanto o ensino tradicional e, em alguns casos, pode ser ainda mais valorizado pelo mercado. Por ser uma modalidade de ensino que preza pela autonomia, independência e capacidade de autogestão do aluno, muitas empresas reconhecem o profissional que estudou em EAD por ter essas qualidades.

Porém, infelizmente, a pirataria pode até mesmo reiterar essa desvalorização da modalidade de ensino. Imagine que os cursos sejam encontrados facilmente para comercialização indiscriminada, sem nenhum tipo de controle, sem que haja interação entre os alunos e o professor EAD e até mesmo com a qualidade dos vídeos bem inferior? Com certeza esse movimento acarretaria grandes problemas para o EAD.

Os cursos a distância, até mesmo os cursos livres, são completos e pensados para que haja um equilíbrio entre o papel do aluno e do professor, e a interação entre eles, por mais que não esteja sempre presente, ainda é bastante necessária. Por isso, encontrar no comércio ilegal aulas avulsas e cursos desconexos com a instituição podem ajudar a perpetuar a ideia de ineficiência do EAD, uma vez que eles serão reproduzidos de forma incompleta.

Tecnologias para segurança de vídeos EAD

Para evitar que os produtores de conteúdo e os gestores de instituições de ensino sofram com as consequências da pirataria, existem, hoje, diversas maneiras de impedir o roubo e garantir a segurança de vídeos EAD. Faça um exercício mental: você já baixou algum vídeo do YouTube? Pense se foi fácil, a quantidade de programas e sites disponíveis para essa finalidade e até mesmo a diversidade de ferramentas existentes nesses sites. E na Netflix, você já conseguiu baixar algum vídeo? Provavelmente não, certo? A Netflix, assim como outras plataformas de streaming, possuem estratégias pensadas para prevenção da pirataria digital.

Essas estratégias são várias e, dependendo do tamanho e propósito do seu projeto EAD, algumas delas serão mais adequadas que outras. Conheça um pouco mais sobre as diferentes formas de segurança de vídeos EAD e entenda quais dessas são as mais indicadas para o seu curso online.

Segurança por domínio

No caso de instituições de ensino a distância, essa é uma das formas de segurança de vídeos EAD mais indicadas. Quando configurada, a segurança por domínio garante que somente sites (domínios) autorizados consigam tocar os vídeos. Então, por exemplo, você garante que somente será possível incorporar os vídeos no seu próprio site e qualquer outra tentativa de incorporação não funcione.

Esse tipo de segurança funciona lado a lado com a tecnologia de restrição de compartilhamento. Nesse caso, há, também, o bloqueio de plugins de compartilhamento em redes sociais e outros sites, por exemplo.

Unindo essas duas questões, os seus vídeos somente poderão ser tocados em sites e redes sociais autorizadas. Assim, já há a diminuição considerável da possibilidade de roubo de conteúdo.

DRM

No caso da própria Netflix e outros gigantes do streaming como Hulu, HBO Go e Amazon Prime, a tecnologia utilizada é chamada de DRM (sigla em inglês para digital rights management), que significa Gerenciamento de Direitos Digitais.

DRM pode ser considerado um termo guarda-chuva e, dentro dele, podem existir várias camadas de segurança implementadas para impedir que os vídeos sejam baixados por softwares, sites e plugins. Dessas camadas de segurança possíveis, por exemplo, podem ser implementadas encriptação dos vídeos para que não funcionem em outros players não autorizados. Hoje, DRM é a melhor forma de segurança de vídeos online.

Marca d’água

Essa é uma forma clássica de proteção de reprodução de conteúdo. A marca d’água pode não conseguir impedir o roubo, mas garante que o conteúdo seja sempre identificado com sua marca e a marca da instituição de ensino. Dessa forma, a própria identificação inibe o roubo e a comercialização ilegal do conteúdo educacional.

Bloqueio geográfico

Uma forma bastante comum de segurança de vídeos EAD é a restrição geográfica da reprodução dos conteúdos. Provavelmente você já encontrou alguma variação da imagem abaixo em algum lugar:

geobloqueio e seguranca de videos ead

Essa mensagem indica que a reprodução desse conteúdo não é autorizada para a sua localização. Sites europeus e norte americanos utilizam esse bloqueio para o Brasil com bastante frequência. Isso acontece porque, infelizmente, a pirataria digital é um problema ainda crescente no país. Então, visando evitar o acesso em determinadas localizações que você considera prejudiciais, você pode ativar o geobloqueio e restringir a reprodução de seus conteúdos.

HTTPS

O HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol Secure, ou, em português protocolo de transferência de hipertexto seguro) diz respeito a uma camada extra de segurança no HTTP. Essa camada de segurança utiliza o certificado SSL e garante que as informações serão encriptadas antes de trafegarem. Além disso, esse certificado ainda garante a verificação da autenticidade do servidor do usuário.

O chamado cadeado verde é muito utilizado não só em plataformas de vídeos e sites de EAD, mas também bastante valorizado nos e-commerces (lojas virtuais) para a proteção de dados pessoais de clientes. Então, além de ajudar na segurança de vídeos EAD, também serve para garantir que os dados de seus alunos também estão seguros de roubos, sobretudo se o seu curso online realiza vendas de pacotes em seu próprio site.

Token de segurança

Uma outra forma de garantir que somente pessoas autorizadas tenham acesso a seu conteúdo é implementando a utilização de um token de segurança. O token serve para autenticação eletrônica de sessões de login de usuários, para além da clássica senha de acesso. É como uma senha virtual. Os tokens são bastante utilizados em sites de bancos e, no caso de vídeos EAD, funciona de forma semelhante. Após acesso via senha do token, há um tempo em que essa sessão expira e faz-se necessária a inserção de nova senha, impedindo que a mídia seja reproduzida caso o token não seja utilizado.


Com a crescente do ensino a distância e tudo que ele representa para a educação do país, o combate a pirataria digital virou ponto importantíssimo para empresas de tecnologia e instituições de ensino. Para evitar que o roubo de material educacional impacte as instituições de ensino, os produtores individuais e gestores de cursos livres, diversas tecnologias podem ser utilizadas para que os vídeos só funcionem e sejam reproduzidos para pessoas que, de fato, tenham autorização para assisti-los.

Para que o ensino a distância continue a impactar a vida de centenas de milhares de brasileiros, é importante que as instituições de ensino tenham confiança o suficiente para colocarem seus conteúdos no ar, sem medo de terem seus conteúdos roubados e comercializados de forma ilegal.

E para você que está pronto para investir na área, pode assistir a esse webinar realizado pela Samba Tech e a Supremo Concursos sobre as tendências de EAD e se preparar de vez para esse mercado. Confira!

 

webinar sobre tendencias ead

Por: Débora Gomes

Produtora de conteúdo no Blog da Samba. Estuda Letras na UFMG e trabalha com marketing digital com foco em atração por meio de estratégias de conteúdo e SEO.

Contribua com este post nos comentários