• Blog
  • >
  • EAD
  • Insights
  • Certificados: quem pode emitir e como fazer um para seu curso.

Certificados: quem pode emitir e como fazer um para seu curso.

Certificados de conclusão, por muitas vezes, são a cereja no bolo de um caminho de bastante aprendizado e novas ideias. Quem busca por aprender novas técnicas, desenvolver novas habilidades e explorar novas áreas geralmente gosta de ter um certificado para preencher o currículo e comprovar suas experiências profissionais para se destacar no mercado. Mas sempre surgem as dúvidas: “Como emitir certificado?” e “Quais certificados realmente são válidos?”

Cursos presenciais e EAD, dependendo da sua modalidade, obedecem regras diferentes e, por isso, podem ter diferentes formatos de certificação. Alguns, realmente, podem ser mais relevantes que outros, por isso é tão importante entender qual tipo de instituição educacional pode emitir certificados antes de se lançar nesse mercado. Tanto para a instituição quanto para os alunos, a certificação é parte importantíssima do modelo de negócios, pois pode ser a peça chave para a decisão dos alunos de estudar ou não naquele local.

Se você quer criar seu próprio curso mas ainda não sabe exatamente sobre a legislação deles, confira neste artigo um pouco do assunto e veja quem pode, quais são válidos e, mais importante, como fazer certificado que tenha importância no mercado. Confira:

Por que emitir certificados?

Pense no certificado como um documento que ajuda tanto a instituição de ensino quanto o aluno. Ele serve para, de certo modo, comprovar que um curso foi feito por parte do aluno e, ao mesmo tempo, comprovar que ele foi ministrado por parte da instituição. Assim, é possível trazer mais seriedade para a instituição de ensino e, também, uma comprovação de conhecimento para o aluno. No mercado de trabalho, muitas vezes será necessário comprovar todos os cursos e todas as capacitações que você fez. O certificado é a forma mais prática e usual de fazer isso.

Além disso, há também o lado emocional de cada aluno. Ao final de uma etapa, as pessoas gostam de ter um documento que celebre a conquista para que elas possam compartilhar com amigos e colegas. Pode parecer bobeira, mas esse tipo de reconhecimento pessoal é muito importante para que a pessoa continue buscando se capacitar sempre.

Então, se você está pensando em lançar o seu curso livre e não sabe bem sobre as regras de emissão e como emitir certificado de conclusão, veja só algumas dicas importantes sobre o assunto.

Quais os tipos de curso que podem emitir certificado?

Em geral são dois os tipos de curso que emitem certificado: os cursos técnicos/profissionalizantes e os cursos livres. Esses dois cursos possuem regras um pouco diferentes quanto à emissão de certificação e registro.

Cursos técnicos e profissionalizantes.

Os cursos técnicos são cursos regulamentados e geridos pelo MEC, o Ministério da Educação. Assim como cursos de graduação, eles precisam obedecer às regras do órgão para funcionarem e essas regras vão desde a exigência de carga horária mínima (entre 1 e 3 anos para cursos técnicos, por exemplo) até a exigência de comprovação de escolaridade mínima, como é o caso de cursos de graduação.

Por isso, cursos técnicos possuem duração mais longa, visam capacitar pessoas para diferentes áreas do mercado de trabalho e, por isso, toda certificação desse tipo de curso, ainda que emitida pela instituição, é validada pelo MEC.

Cursos livres

Ao contrário dos cursos técnicos, os cursos livres não passam por nenhuma regulamentação do MEC. Isso quer dizer várias coisas e, apesar de ter uma conotação negativa, muitas dessas características são bastante positivas, tanto para quem ensina quanto para quem aprende.

Cursos livres são abertos à qualquer pessoa e não necessitam de carga horária mínima. Então, em geral possuem menor duração e podem ser focados em um nicho bem específico para um aprendizado direcionado e ágil. Esses cursos abrangem áreas diversas, por exemplo: artesanato; corte e costura; gastronomia; SEO; marketing digital; fotografia; coaching e muito mais. São mais voltados para desenvolvimento pessoal e aprendizado de novas habilidades.

Ainda que não sejam regulamentados pelo MEC, os cursos livres são legais. O Decreto Presidencial N° 5.154 (2004) define que esses cursos são válidos e se enquadram dentro da modalidade de educação não-formal, possuem duração variada e existem nas modalidades presencial e a distância.

Por esses motivos, quem quer gerir um curso livre e emitir certificado pode fazê-lo sem problemas, pois não é ilegal e nem mal visto no mercado. A única diferença é que não há vínculo com o Ministério da Educação como os cursos técnicos e de graduação.

Isso quer dizer que certificado de curso livre não vale?

Não! Apesar de não terem validação do MEC, os cursos livres são bastante populares e bem vistos no mercado de trabalho. Então, um certificado de um curso livre tem validade pois mostra o desenvolvimento pessoal, habilidades adquiridas e, igualmente importante, o desejo de evolução de cada um.

E o certificado de um curso livre EAD?

Esse é um outro mito que, aos poucos, vem sendo derrubado. Muitas pessoas, por pouco conhecimento e/ou preconceito, acreditam que a educação a distância é de menos qualidade que a educação presencial, mas isso não é verdade. Tanto em cursos de graduação quanto técnicos e até nos livres o ensino a distância pode ser exatamente o mesmo que o presencial. Hoje, com a expansão do EAD e as novas tecnologias voltadas para o ensino, uma certificação de algum curso a distância pode até ser mais valorizada no mercado.

Em geral, quem estuda a distância desenvolve habilidades de independência, autonomia e organização, uma vez que o ensino é mais focado no aluno e não nos professores e na instituição. Além disso, há também a vantagem da familiaridade com ferramentas tecnológicas, que também é um excelente ponto positivo para qualquer profissional.

Então, certificação EAD não perde em nada para um certificado presencial.

Para aprofundar mais nesse assunto, você pode baixar esse e-book que te mostra porque é uma boa apostar em cursos livres para autodesenvolvimento.

como fazer certificado e porque cursos livres sao importantes

Que tipo de informação é necessária em um certificado?

Ok, agora que você já entendeu que tanto cursos livres quanto profissionalizantes podem emitir certificado, é bom garantir que todas as informações necessárias estejam nesse documento, certo? Veja só alguns itens que são imprescindíveis para um certificado de sucesso:

  • Nome completo do concluinte do curso;
  • Nome do curso;
  • Instituição de ensino que ministrou o curso (nome e logo);
  • Carga horária do curso;
  • Assinatura da instituição gestora;
  • Local, data e, se relevante, validade da certificação.

E claro, o ideal é que tudo seja feito como um texto único, não informações soltas em formato de lista. Olha só como ficaria em um exemplo de um curso fictício:

“Certificamos que ANA MARIA concluiu o curso de artesanato avançado que possui carga horária de 10 horas. O curso foi ministrado pela INSTITUIÇÃO no dia 01/01/02019 em Belo Horizonte, Minas Gerais.

________________________

Assinatura e carimbo da instituição”

Dicas: identidade visual

Uma dica importante para quem está pensando em como emitir um certificado é prestar atenção na identidade visual. Os certificados são documentos, então, precisam passar seriedade, clareza nas informações e, claro, ter uma identidade visual coerente com a sua instituição de ensino ou seu curso livre. Isso ajuda no aumento da sua autoridade por meio do branding.

Se você tem mais de um curso, também deve deixar um modelo pronto, no qual só precisa preencher as informações individuais nos espaços designados. Assim, há um padrão em todos os certificados que você emitir, independente de qual curso a pessoa completar. Além de padronizar, ainda otimiza o tempo!

Outra questão importante é: não economize no design! Principalmente se você resolver, de fato, deixar um único modelo, é essencial que você contrate um profissional para fazer o visual do seu certificado. Não adianta só aprender como emitir certificado, mas é importante também que eles sejam visualmente bonitos e transmitam seriedade, além de ser coerente com a sua identidade visual.

Como enviar certificados?

Por fim, se o seu curso é EAD, você deve pensar se irá enviar um certificado físico pelos Correios aos participantes ou se irá disponibilizar uma versão digital. É claro que a nossa dica é: fique com o certificado digital!

Além de ter custos menores, o aluno já tem a cesso a ele imediatamente e, melhor ainda, fica disponível para consultas a qualquer momento. Vantajoso para ambos os lados!


Se você chegou até aqui para aprender como emitir certificado, com certeza está pensando em tirar sua ideia do papel e lançar seu curso, especialmente curso livre, certo? Que tal então dar uma olhada nesse infográfico sobre ser professor online e ver tudo que você precisa para adaptar seu curso para a modalidade EAD! Confira:

guia do professor online para cursos livres com certificado

Por: Débora Gomes

Produtora de conteúdo no Blog da Samba. Estuda Letras na UFMG e trabalha com marketing digital com foco em atração por meio de estratégias de conteúdo e SEO.

Contribua com este post nos comentários