Quais os benefícios em associar a cultura organizacional e a gestão comportamental?

Diminuir a rotatividade é um dos maiores desafios para os RH das empresas. Isso porque o turnover causa reflexos nos investimentos realizados durante todo o processo de recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento da nova contratação. Ter um procedimento eficaz, passar por conseguir associar a cultura organizacional e a gestão comportamental.

Por meio dos testes de perfil comportamental é possível mapear as características predominantes nos colaboradores da empresa. Também é possível usá-la essa análise no processo seletivo, como um mecanismos eliminatório para fazer uma contratação que esteja mais alinhada às características que a organização prega como valores.

Sabendo que a cultura organizacional demonstra os valores que norteiam o crescimento e o direcionamento da empresa, é fundamental que os novos colaboradores tenham aderência a esses princípios. Quando acontece o fit cultural, há maiores possibilidades de manutenção do colaborador na organização.

Um colaborador que está alinhado ao perfil cultural da empresa ajuda a manter o clima organizacional saudável. Quer entender mais como conseguir ter um processo seletivo mais eficaz? Continue a leitura!

O que é cultura e clima organizacional?

É importante ressaltarmos que existe diferença entre cultura e clima organizacional. Embora a segunda impacte na primeira — e vice-versa —, os conceitos têm significados e práticas distintas. A cultura é um grupo de valores os quais permeiam os caminhos da empresa, desde as ações cotidianas aos planos estratégicos anuais. Já o clima é a sensação dos colaboradores no ambiente de trabalho.

Existem alguns indícios que apontam para um ambiente de trabalho ruim: o absenteísmo, o presenteísmo, os conflitos entre colaboradores etc. Conseguir associar o perfil comportamental e o clima organizacional é uma maneira de equilibrar a disposição dos colaboradores considerando suas características, a fim de formar times de alta performance e que harmonizem o ambiente.

Um ambiente excessivamente competitivo, por exemplo, pode afetar na produtividade de colaboradores que são mais empáticos e gostam de trabalho em equipe. Por isso, entender o que é perfil comportamental ajuda nas tomadas de decisões e permite entender se o colaborador estará apto a se identificar com a cultura da empresa.

O que é perfil comportamental?

Os valores, a origem e o comportamento das pessoas são únicos. Entendê-los ajuda no respeito e na compreensão das diferenças. Isso é essencial para a boa convivência em qualquer ambiente, inclusive no trabalho. Seguindo a metodologia DISC é possível decifrar características predominantes nas pessoas.

Atualmente é possível definir quatro diferentes tipos de perfis comportamentais: comunicador, executor, planejador e analista. Há combinações variadas entre eles, assim como a predominância em níveis diferentes nas pessoas.

Cada perfil denota um conjunto de características diferentes, as quais predominam nas atitudes e na ações das pessoas. Conhecê-las ajuda a entrar em contato com as habilidades socioemocionais dos candidatos em um processo seletivo, por exemplo. Dessa forma, é possível tomar ações mais efetivas e embassadas.

É conhecendo o perfil dos colaboradores que torna possível evoluir no gerenciamento das pessoas e promover uma gestão comportamental efetiva. É possível traçar planos de ações e perceber quais são as características que se sobressaem em determinadas áreas da empresa. Essa informação é fundamental para o momento de uma contração, por exemplo.

Como relacionar a gestão comportamental com a cultura da empresa?

A gestão pautada pelo comportamento é uma maneira das empresas conseguirem elaborar times mais equilibrados capazes de alcançar a alta performance. Mas entender tudo sobre a gestão comportamental permite ir além: ao fazer uma correlação com os valores culturais é possível avaliar o desempenho dos colaboradores por meio de uma análise mais objetiva.

Para a avaliação de desempenho, existem diferentes metodologias. O 9 box com fit cultural é uma maneira de retirar a subjetividade da alta gestão e colocar critérios pautados pelos valores culturais. Sendo assim, o colaborador é avaliado em seu desempenho nas atividades e o relacionamento com os valores.

Considerar os valores culturais em um processo avaliativo é fundamental para conseguir entender o grau de relacionamento com a empresa. Quando um colaborador se identifica com a cultura, torna-se um promotor e defensor desses pilares. A sintonia entre organização e colaborador, promove engajamento e envolvimento nas atividades.

Ou seja, o funcionário fica disposto a oferecer o seu máximo para a empresa pois acredita na capacidade de transformação que a indústria promove socialmente. Naturalmente, há impacto no clima organizacional, tornando o cenário em um lugar mais agradável e otimista para desenvolver o trabalho.

A relação entre a gestão comportamental com a cultura da empresa também pode ser sentida no processo de recrutamento e seleção. A fim de reduzir a taxa de rotatividade, é possível alinhar os perfis dos candidatos aos ideais da empresa. Dessa forma, é possível selecionar um profissional que corra menos risco de tornar um turnover.

Quando um profissional não se identifica com os pilares culturais da empresa e é selecionado para contratação, a tendência é que haja um alto custo em treinamentos para convencê-lo da importância da cultura organizacional. 

Quais as 2 vantagens em investir nessa relação?

Agora que conseguimos explicar o que é gestão comportamental e o conceito de cultura e clima organizacional, podemos abordar os dois principais benefícios de manter uma forte relação entre elas.

Redução do turnover.

A rotatividade gera custos excessivos para a empresa. Contratar um profissional que não se mantém na empresa por qualquer motivo ligado ao comportamento prejudica na imagem da organização e nos investimentos.

As demissões por comportamento ainda são uma realidade na maioria das empresas. Até mesmo os profissionais mais qualificados podem se tornar um problema em caso de comportamentos desalinhados com a cultura da empresa. Evitar essa situação é fundamental.

Aumento da produtividade.

O engajamento dos funcionários é fundamental para conseguir envolvimento com as atividades. O momento em que um colaborador está disposto a “vestir a camisa” da empresa é quando ele se enxerga como parte dessa organização e se identifica com ela.

Essa relação é íntima e pessoal, mas pode ser incentivada pela empresa desde o momento de recrutamento e seleção. Ao selecionar candidatos que estão mais alinhados aos valores culturais, maior são as chances de acontecer um verdadeiro engajamento.

Como resultado desse envolvimento, temos um aumento de produtividade. O colaborador está disposto a fazer o seu melhor para conseguir retribuir à organização a oportunidade de fazer parte dela.

Associar cultura organizacional e a gestão comportamental é um mecanismo para que a empresa consiga aumentar seus lucros e reduzir os custos. Um profissional com alta capacidade técnica e bem direcionado — considerando seu perfil e o time que o contratará — torna-se um promotor da marca.

Gostou de conhecer mais essa relação? Então não deixe de conferir nosso conteúdo com tudo que você precisa saber sobre clima organizacional!

Este artigo foi escrito por Giuliano Sales, analista de conteúdo da Sólides. A Sólides é uma plataforma completa de RH com Gestão Comportamental e People Analytics.

Por: Autor Convidado

Eu sou um autor parceiro da Samba Tech :)

Contribua com este post nos comentários