• Blog
  • >
  • EAD
  • Insights
  • Curva do esquecimento: saiba como ela funciona e melhore a retenção de conhecimento de seus alunos.

Curva do esquecimento: saiba como ela funciona e melhore a retenção de conhecimento de seus alunos.

Você já ouviu falar em curva do esquecimento? Mesmo que ainda não tenha ouvido falar exatamente nessa expressão, é bem provável que você já tenha passado por momentos nos quais a curva do esquecimento apareceu em sua rotina. 

Quase metade das informações que aprendemos durante um dia de estudo desaparecem se elas não forem revisadas ao longo dos dias seguintes. Estudos realizados pelo psicólogo alemão Herman Ebbinghaus mostram a capacidade do nosso cérebro em armazenar informações aprendidas recentemente e o efeito do tempo sobre a nossa memória, resultando na curva do esquecimento. 

Neste artigo veremos algumas curiosidades sobre o tema, analisando como a curva do esquecimento impacta o aprendizado e como a transmissão de conteúdos educacionais pode ser realizada de maneira mais eficiente.

O que é curva do esquecimento? 

A curva do esquecimento faz parte de um estudo realizado pelo psicólogo alemão Herman Ebbinghaus sobre o efeito do tempo nas informações que absorvemos e aprendemos.

Na imagem abaixo é possível ver o gráfico que representa a curva do esquecimento e retenção. 

Para que você entenda melhor, vamos analisar cada ponto do gráfico acima com exemplos. Comecemos pelo ponto A.

Ponto A: 

O ponto A representa o início de um estudo em determinado dia. Suponhamos que um aluno esteja estudando para passar na última prova de matemática do semestre. Assim que começa a ler sobre o tema, fazer os exercícios e compreender a matéria estudada ele está no ponto A, que é o ponto no qual o cérebro consegue reter toda a informação útil sobre a matéria. Nesta parte nosso cérebro trabalha com um nível de retenção de conhecimento em 100%. 

Porém, com o passar do tempo, a informação que foi adquirida tende a ser esquecida pelo cérebro. Observe a curva vermelha e o eixo horizontal, que representa o tempo em dias. Quanto mais os dias passam, menor é a quantidade de informação que é retida na memória, ou seja, mais a linha vermelha se aproxima do eixo horizontal. 

Ainda olhando para a linha vermelha é possível perceber que no início dos estudos o aprendizado está em 100%, após o primeiro dia de estudo, a curva chega em cerca de 50%, quando se passam dois dias e não há revisão do que foi aprendido, a informação retida chega na casa dos 30% e quanto mais o tempo passa, mais baixa a retenção de informação fica. 

É preciso salientar que há sim outros fatores que possam modificar a maneira como diferentes pessoas lidam com a retenção de informações, sendo assim algumas pessoas podem esquecer informações mais facilmente do que outras. De toda forma, independente do indivíduo, uma coisa é certa, com revisões constantes a taxa de informação retida sempre será maior. 

Vejamos isso acontecer observando as linhas verdes, começando pelo ponto C. 

Ponto C:

Estudos realizados por Ebbinghaus comprovam que quando uma primeira revisão é feita logo após ao primeiro dia de estudo, o cérebro humano consegue recuperar o percentual de esquecimento. Isso significa que a revisão do dia seguinte é importante para ajudar a informação a ser retida de forma mais eficiente e por um período de tempo mais elevado. 

Ao continuar olhando para a linha C, é possível perceber que mesmo se não for feita uma nova revisão no dia seguinte, a perda será menor do que a do primeiro dia. Enquanto a perda do primeiro dia gira em torno de 50%, quando a primeira revisão é feita, a perda cai para 30%. 

Pontos D e E: 

Agora observe as outras duas linhas verdes, pontos D e E. A mesma lógica acontece nos dias, semanas e meses, subsequentes. Quanto mais revisões de conteúdo forem feitas ao longo do tempo, maior será a retenção do conhecimento e menos informações serão perdidas com o passar do tempo.  

Como driblar a curva do esquecimento?

Agora que você já viu o impacto da curva do esquecimento no processo de aprendizagem, é preciso aprender a melhor maneira de driblar o seu efeito na retenção de conhecimento. A resposta é simples: muita revisão! 

É preciso ter em mente as consequências da curva de esquecimento na hora de transmitir conteúdos educacionais. O seu planejamento deve levar em conta essa curva para prever maneiras de evitar que os alunos deixem de absorver os conteúdos necessários. 

Vale a pena destacar que de nada adianta jogar um monte de informações acumuladas se não houver qualidade nesse processo. É por isso que o uso de revisões sistemáticas é fundamental para elevar a capacidade de absorção do conhecimento. 

Lembre-se também que para melhores resultados, analisar as peculiaridades de cada aluno é fundamental. Cada aluno pode ter um tempo disponível diferente, um volume de matérias distinto e até uma capacidade individual de absorção de informação diferenciada. Um dos modelos mais comuns de revisão é o 24/7/30, que trabalha revisões 24h após o primeiro conteúdo ser ministrado, seguido de 7 dias depois e, por fim, 30 dias após o primeiro conteúdo. 

A ideia é que se uma matéria for ministrada hoje, ela deve ser revisada amanhã durante 15 a 20 minutos. Depois de 7 dias, é necessário fazer uma nova revisão desse mesmo conteúdo, mas dessa vez dedicando um tempo menor para isso, cerca de 10 minutos. Por fim, após 30 dias da primeira vez que o conteúdo foi ensinado, é preciso separar novamente 10 minutos para revisá-lo e assim aumentar as chances do conteúdo ser retido na mente do estudante. 


Ela pode parecer assustadora no início, mas a curva do esquecimento pode estar ao seu favor se for usada corretamente. Só de saber da existência da curva do esquecimento, já existe uma vantagem! Com isso em mente, voltar-se para o uso de revisões constantes permite que o conhecimento seja melhor absorvido. Quem revisa, grava melhor! 

Também utilize esse conhecimento na hora de criar conteúdos e transmitir conhecimento. Lembre-se de sempre aplicar constantes revisões. Com essa boa prática fazendo parte da rotina de ensino, você terá alunos que serão capazes de acumular mais conhecimento e de forma mais eficaz. 

Quer aprimorar ainda mais os métodos de ensino e aprendizado? Conheça algumas metodologias ativas de aprendizagem e veja como elas podem ser aplicadas na prática.

metodologias ativas de aprendizagem

Por: Samba Tech

A Samba Tech é uma das empresas mais inovadoras do mundo, segundo a Fast Company, e é referência no mercado de vídeos online. Nossa empresa garante infraestrutura de alta qualidade para venda, distribuição, gerenciamento e armazenamento de vídeos e ajuda pessoas e empresas a terem mais sucesso, independentemente do seu objetivo.

Contribua com este post nos comentários