• Blog
  • >
  • EAD
  • Insights
  • Curva do esquecimento: como atrair mais alunos no seu EAD?

Curva do esquecimento: como atrair mais alunos no seu EAD?

Curva do esquecimento: o segredo para atrair mais alunos no seu EAD

Olá, tudo joia?

A pior sensação de um investimento é saber que não se obteve retorno. Imagine que você dedicou incontáveis horas para estruturar o seu curso, desenvolver conteúdo para o seu ensino à distância e definir uma plataforma EAD, e que tudo será em vão se seus alunos não aprenderem e não forem capazes aplicar as habilidades aprendidas à longo prazo.

Neste artigo, você vai encontrar tudo que você precisa saber sobre a curva de esquecimento e como aumentar a retenção de memória aplicando a “Prática distribuída” para agregar valor ao seu curso ,atrair alunos e assim vender mais.

A curva de esquecimento em e-Learning

Foi Hermann Ebbinghaus – psicólogo experimental alemão, nascido em 1.850 – que nos ajudou a perceber esse fato (sobre o esquecimento), após extensa pesquisa, traçando seus resultados utilizando a ‘curva de esquecimento “- um gráfico que revelou a relação entre esquecimento e tempo.

O termo “curva de esquecimento” relaciona-se com o declínio da memória dos seres humanos ao longo do tempo, e o gráfico mostra como a informação é perdida ao longo do tempo, se não for praticada através de reforços ou revisões.

 Curva do esquecimento: o segredo para atrair mais alunos no seu EAD

Vale ressaltar algumas conclusões significativas segundo a pesquisa do Dr. Ebbinghaus que nos ajuda a aprimorar os cursos e treinamentos à distância:

 Os alunos aprendem de forma mais eficaz quando a absorção de informação é distribuída ao longo de um período de tempo, em vez de aprender tudo de uma vez.

 Quanto maior a quantidade e complexidade do material de aprendizagem, maior o tempo que de absorção e prática envolvidos.

 Como regra geral, os alunos são mais suscetíveis a reaprender informações do que aprender um assunto pela primeira vez. Além disso, a cada revisão, o tempo de esquecimento diminui.

 É mais fácil para os alunos a memorizar novas informações que se ligam em situações do mundo real ou dia a dia. A informação também devem ser relevantes e significativas, se não elas tendem a ser esquecidas mais rapidamente.

Também com base na pesquisa, os alunos terão esquecido uma média de 90% do que eles aprenderam durante o primeiro mês. No entanto é preciso levar em conta a natureza do assunto, o perfil do aluno, a força de sua memória e uma variedade de outros fatores.

Amplie sua sala de aula: Samba Class chega ao mercado para criar educação sem distância.

Estes pontos têm grande significado para os profissionais de aprendizagem durante o desenvolvimento do seu curso. Há técnicas para diminuir o impacto das questões acima, como tornar materiais menores, fáceis, relevantes, poderosos, e, portanto, memoráveis.

No entanto, a fim de ajudar os alunos a superar a sua limitação no que diz respeito à sua memória, Prática Distribuída é a estratégia instrucional mais eficaz recomendada.

CTA-MEIO---Passo-a-passo-p-vender-cursos-online

A Prática Distribuída

É uma estratégia em que a aprendizagem ou a prática é dividida em uma série de sessões curtas distribuídas ao longo de um longo período de tempo. Isto é absolutamente contrário o método tradicional “prática em massa” onde a aprendizagem é transmitida com a ajuda de treinos mais longos dentro de um curto período de tempo.

O efeito de espaçamento que essa metodologia propõe, ajuda a reforçar e melhorar a memória. de longo prazo.

Harry - Curva do esquecimento: o segredo para atrair mais alunos no seu EAD

Harry Bahrick, há 70 anos Pesquisador e Expert em memória humana pela Ohio Wesleyan University.

O espaçamento é uma das melhores e mais antigas práticas já documentadas na histórias do aprendizado e estudo da memória.

Os 5 passos para a Prática Distribuída em EAD

Então como aplicar essa estratégia de ensino no meu EAD? Aqui estão os passos para se aplicar:

1. Identificar principais fatos e idéias para o estudo distribuído

O primeiro passo consiste em identificar os principais conjuntos de fatos e idéias que você mais quer que seus alunos se lembrem daqui a vinte anos, e no próximo seguinte.

Vamos usar exemplos simples como: em uma aula de história brasileira, o conjunto de idéias pode incluir como D. Pedro emancipou politicamente o Brasil. Na ciência, uma ideia poderia ser como a eletricidade funciona. Na matemática, poderia ser de adição e subtração.

Depois de identificar as principais chaves, você pode usar as próximas quatro estratégias para envolver seus os alunos em estudos dessas ideias em várias ocasiões ao longo de vários dias ou módulos do seu curso. A primeira, desenvolver a tarefa.

2. Desenvolvimento de tarefas práticas

De longe a melhor maneira para se praticar, é desenvolvendo pequenos “deveres de casa”.  No desenvolvimento das tarefas, você deve incluir matérias e informações que foram ensinadas em módulos anteriores do seus curso ou treinamento.

Por exemplo, no final de uma determinada unidade, atribua uma de lição de casa, que inclua questões relacionadas com à matérias já vistas, sempre relacionada às principais ideias e fatos que identificamos no primeiro passo.

3. Desestimule o estudo para provas

Considere cuidadosamente a prática em que o aluno estuda para as provas um dia antes e depois, deixa de rever a matéria ou acha que já a aprendeu.

Quando chega a hora de um teste, a grande maioria dos alunos estudam apenas um dia antes e assim aprendem menos. Na prática distribuída, você pode fazer uma série de pequenas provas para incentivar o estudo constante e assim estimular a memória do seu aluno. As aulas e os testes tornam-se uma série de oportunidades práticas.

Além disso, atente para incluir matérias módulos e unidade anteriores do seu curso em cada prova, principalmente materiais em que muitos alunos não se saíram bem anteriormente.

Desta forma os alunos saberão que eles precisam continuar trabalhando no material que eles acham desafiador e que não serão capazes de fugir apenas chutando questões nas provas e assim deixa-las para trás.

Hoje, há plataformas LMS (learning management system ) que conseguem acompanhar o desempenho do aluno por matéria, módulo ou curso. Exibindo GAP’s de aprendizagem para que o mentor do curso saiba como guiar os seus conteúdos.

Leia antes de prosseguir: Como uma estrutura profissional pode alavancar seu EAD.

4. Quebre grandes idéias em pequenos pedaços que podem ser facilmente praticados

Após a introdução de tópicos e conteúdos para que os alunos compreendam as ideias-chave, quebre todo o raciocínio por trás da ideia em pequenos pedaços que podem ser praticados de várias maneiras como: grupos de discussões, pequenos questionários, deveres de casa, e jogos.

Por exemplo: para aprender como dirigir um carro, primeiro é necessário saber os sinais de transito e como funciona um carro. Quebre os conhecimentos que são pré-requisito em pequenos módulos de estudo, seguidos de pequenas tarefas e as distribua num período de tempo.

5. O segredo

Esta é o melhor segredo para melhorar a memória do seu aluno, a experiência de aprendizagem e deixá-los satisfeitos.

Distribua as tarefas em intervalos. Na verdade, os alunos podem achar que irão gastar menos tempo utilizando a velha máxima de “estudo na última”, quando na verdade a tática mais efetiva para gastar menos tempo, aprender mais e esquecer menos, é distribuir práticas a longo do tempo.

Você enquanto professor ou aluno de um curso, pode determinar de forma fácil e clara quando as tarefas deverão ser entregues ou quando serão revisadas.

Após o primeiro contato com o novo conhecimento, é indicado uma revisão 1 dia após o primeiro contato, depois uma revisão 2 dias após o segundo contato, depois 3 dias após o terceiro contato até que se tenha dominado a matéria.

Veja o gráfico abaixo para entender melhor:

gerson1


Conclusão

Em muitos casos de estudo com a curva de esquecimento e da prática distribuída, é visto de imediato os seus benefícios para aumentar a retenção de alunos e de conhecimento adquirido. Por isso, é essencial que você adote essa estratégia e que seja bem elaborada no momento de estruturação seu curso.

Agora que você aprendeu sobre a curva de esquecimento, suas implicações na aprendizagem e na estruturação de um curso, você já pensou qual será o valor que o seu curso vai oferecer e como vendê-lo?

Até a próxima.

Curva do esquecimento: o segredo para atrair mais alunos no seu EAD

Por: Samba Tech

A Samba Tech é uma das empresas mais inovadoras do mundo, segundo a Fast Company, e é referência no mercado de vídeos online. Nossa empresa garante infraestrutura de alta qualidade para venda, distribuição, gerenciamento e armazenamento de vídeos e ajuda pessoas e empresas a terem mais sucesso, independentemente do seu objetivo.

Contribua com este post nos comentários