[Infográfico] Entenda a diferença entre eLearning e mLearning

mLearning

Apesar da similaridade entre os termos e de muitas pessoas considerarem o mLearning apenas como uma subcategoria do eLearning, esses dois modelos de ensino têm diferenças consideráveis tanto em termos de entrega, quanto em conteúdo, contexto de aplicação, e abordagem.

Quando falamos em mLearning, mais do que pensar apenas em cursos, treinamentos e aulas realizadas através de dispositivos mobile, como tablets e smartphones, é necessário que se entenda que esse tipo de ensino obedece a uma dinâmica diferente dos tradicionais eLearning e que se pense em dois pontos essenciais: o conteúdo e o contexto.

Conteúdo

O conteúdo no chamado mLearning, ao contrário do que muita gente costuma pensar, não é o mesmo do eLearning, porém em uma tela menor.

Em cursos mobile, o conteúdo precisa ser pensado para a realidade mobile e para o modo como as pessoas consomem informação nesses aparelhos atualmente. A seguir, alguns fatores que você deve considerar:

  1. A tela pequena

Em dispositivos desktop, com telas grandes e de altíssima resolução, colocar muitos textos, imagens e opções de navegação em um único espaço, pode até funcionar, mas em dispositivos mobile, isso com certeza vai arruinar a experiência de seu aluno.

Fazer com que ele consiga assimilar bem o conteúdo de cada tela sem ter que ficar dando zoom para conseguir ler algo, ou para clicar em um botão, é essencial para facilitar o aprendizado e para que você consiga um curso com padrões de qualidade elevados.

  1. O tempo de estudo

Enquanto no computador ou em um notebook você consegue fazer com que uma pessoa se concentre por até 2hrs em uma lição, no celular, dificilmente você vai conseguir esse tempo de retenção.

Portanto, é necessário que o conteúdo seja trabalhado em pílulas, no formato microlearning, e que o aluno possa estudar em intervalos curtos, enquanto faz um lanche no trabalho ou espera um ônibus, por exemplo.

Contexto

Quando se trata de implantar o mLearning, é necessário realizar diferentes pesquisas que provem que seu público realmente está preparado para lidar com esse tipo de ensino e suas particularidades.

Aqui estão algumas perguntas que você deve se fazer:

  • Meus alunos tem familiaridade com aparelhos mobile e acesso a esse tipo de dispositivo?
  • Eu preciso de conteúdo durável e denso para memorização (característica do eLearning), ou quero que meus alunos o tenham sempre a mão quando precisarem (característica do mLearning)?
  • É minha intenção trabalhar meus conteúdos de forma mais interativa, lúdica e dinâmica, utilizando games e outros recursos como a câmera e o gravador do celular?

Com tudo isso em mente, você será capaz de fazer uma escolha mais acertada do seu modelo de ensino a distância e de facilitar o aprendizado e engajamento de seus alunos.


Agora que você já entende o básico que separa o eLearning do mLearning, que tal se aprofundar nessas diferenças e ter um infográfico para consultar sempre que bater aquela dúvida sobre algum ponto?

Com ele você vai compreender melhor as diferenças em termos de design, abordagem, entrega e aplicação de cada tipo de ensino. Baixe agora gratuitamente!

Abraços e até a próxima!

mLearning

Por: Nathália Tameirão

Coordenadora de Marketing Digital na Samba Tech e especialista em SEO e conteúdo. Formada em Publicidade e Propaganda pela UFMG, é responsável pela estratégia de conteúdo da Samba, com foco em atração e conversão.

Contribua com este post nos comentários