Trabalho remoto, e agora? Dicas para gestão de equipes remotas.

Trabalho remoto, e agora? Dicas para gestão de equipes remotas.

Muitos de nós fomos pegos de surpresa com as novas relações de trabalho impulsionadas pela pandemia do novo coronavírus. Com a larga ampliação do trabalho remoto, diversas companhias que nunca haviam pensado nesse modelo agora se veem no meio da gestão de equipes remotas. Claro, se foram pegas de surpresa, existe uma grande chance de que essas empresas não estejam 100% preparadas para lidar com isso.

Gerir equipes remotamente não possui a mesma dinâmica de gerir equipes presenciais e essa é a maior dificuldade que empresas encontram quando começam o trabalho remoto. Porém, existem algumas dicas simples que podem ser adotadas em todas as empresas que podem facilitar e suavizar essa mudança, tanto para líderes quanto para liderados. Neste artigo você pode conhecer algumas delas:

Dicas para uma melhor gestão de equipes remotas

Toda minha empresa está trabalhando remotamente, e agora? 

O primeiro passo é deixar de acreditar que é possível apenas transferir a dinâmica de trabalho do presencial para casa, sem maiores mudanças. Esse é o maior erro que se pode cometer. Quando falamos sobre EAD aqui no blog, a principal dica que damos é sempre entender que a dinâmica de sala de aula não consegue ser replicada no ensino a distância, por isso, o EAD precisa de sua própria dinâmica e de suas próprias metodologias. No caso do trabalho remoto é possível dizer a mesma coisa.

Por exemplo, reuniões longas que acontecem facilmente em salas físicas agora podem não ser a melhor saída. Remotamente, estamos muito mais cheios de distrações e, por isso, é muito mais difícil manter a atenção por muito tempo em uma atividade só. Além disso, quando não estamos vendo as pessoas fisicamente, é muito mais difícil criar uma conexão forte com aquilo que está sendo dito. Ou seja, reuniões de 1h se tornam facilmente maçantes e cansativas, e quando mais longa, pior fica a sensação para os colaboradores.

Para driblar essas dificuldades e ficar atento às nuances específicas do trabalho remoto é possível aplicar algumas técnicas que facilitam a transição. Para começar, é bom pensar no que está sendo ‘removido’ dos colaboradores quando o trabalho sai do escritório e vai para casa e quais as pequenas mudanças que isso acarreta. O mais importante e mais óbvio é, claro, o local de trabalho físico.

Quando se transfere toda uma equipe do presencial para o remoto, é esperado que há uma demora na adaptação das pessoas. A principal acontece por não ter um local físico de trabalho, mas isso não é só pelo local em si, mas tudo que ele tem. Por exemplo, em um escritório, todos estão no mesmo local, o que torna muito mais fácil a formação do sentimento de pertencimento e de equipe. Remotamente isso pode ser um pouco mais difícil. 

Além disso, não estarem todos no mesmo lugar pode tirar um pouco da agilidade e até mesmo diminuir muito a comunicação, que pode também ser um problema para tomadas de decisão e criar mal entendidos. 

É possível também que os colaboradores estejam sentindo falta de uma comunicação mais transparente por parte dos líderes e diretores da empresa, principalmente em tempos de incerteza. 

Veja algumas dicas que podem ajudar a suavizar esses pontos da gestão de equipes remotas.

Ferramentas para comunicação rápida.

Mesmo no escritório, é essencial que as equipes tenham ferramentas que estimulem a comunicação rápida, de preferência, instantânea. Existem diversas ferramentas tecnológicas que podem ser utilizadas para esse fim, como Slack e Hangouts. Esse tipo de solução é muito mais ágil que o e-mail e pode ser utilizada para conversas rápidas e mais simples. Com isso, a autonomia e a tomada de decisão ficam muito mais efetivas.

Ações mais efetivas para reafirmar a cultura organizacional.

A cultura é parte importante de qualquer equipe e qualquer empresa. Quando estamos todos trabalhando no mesmo local fica muito mais fácil criar pequenas ações que ajudam a estabelecer a cultura organizacional. Remotamente isso fica um pouco mais complicado.

Uma dica importante é para que os setores de recursos humanos e afins façam pequenas ações que reconectem os colaboradores com a marca. Aqui na Samba, por exemplo, os colaboradores recebem ligações para conversar e passar impressões não só sobre a empresa, mas sobre o momento que estamos vivendo.

Pequenas ações não exigem muito esforço e podem trazer bastante impacto nesse momento. Mais do que nunca as empresas devem se voltar para a cultura interna!

Entenda a individualidade e a diversidade.

Não estamos vivendo um momento como outro qualquer. É extremamente importante que as empresas, por meio de seus líderes, entendam que o que está acontecendo não é simplesmente empresas passando a operar de modo remoto, é tudo muito maior que isso.

Idealmente, equipes são formadas por pessoas diferentes que contribuam para um ambiente de trabalho diverso e interessante. Para isso, diversos indivíduos estão envolvidos. Mas, claro, quanto mais individualidade, mais formas diferentes de lidar com uma determinada situação.

Os gestores, aqui, precisam mais do que nunca entender e ter paciência com o tempo e o momento de cada um de sua equipe. Algumas pessoas sabem lidar melhor com o trabalho remoto, enquanto outras vão precisar de tempo para se adaptar. E não só isso, diversos sentimentos pessoais estão envolvidos, como o medo e a ansiedade. Tudo isso vai muito além da pura e simples produtividade.

Entenda que em alguns dias as pessoas estão mais tranquilas e produtivas mas que, dentro do cenário, outros dias são mais difíceis. A melhor dica que posso dar aqui é: escute. Esteja aberto a uma comunicação sincera e escute o que os colaboradores estão dizendo, essa é a melhor forma de ter empatia e ajudar a todos navegarem esse momento.

Comunicação clara e transparente ‘de cima para baixo’.

A incerteza também pode ser uma sensação péssima nesse momento, especialmente com a situação econômica ruim se agravando pelo país. Um outro passo importantíssimo para gerir as equipes remotamente é ter uma comunicação bastante transparente sobre o momento da companhia. Muitas vezes, quando as pessoas não sabem o que está acontecendo, podem criar cenários piores dentro da própria cabeça. É uma função importante das lideranças evitar que isso aconteça.

Uma boa dica é promover encontros – online, claro – com a empresa inteira nos quais os líderes apresentam resultados e dão perspectivas do que está por vir. Não deixe que o medo e a incerteza fiquem ainda maior do que já estão. 

É um momento difícil para todos e as novas relações de trabalho são novidade para muita gente. A adaptação pode demorar, mas, acredite, existem várias formas de conduzir equipes remotas com mais leveza para que o trabalho seja melhor para todo mundo. Tem alguma outra dica que funcionou para você e sua equipe? Compartilhe com a gente nos comentários.

Por: Débora Gomes

Especialista em marketing inbound e responsável pela estratégia de conteúdo do Blog da Samba. :)

Contribua com este post nos comentários