OTT: o que é e como esse tipo de conteúdo está mudando o cenário dos vídeos online

Caso você esteja familiarizado com o mundo dos vídeos online, já deve ter se reparado com a sigla OTT. Pense em chegar em casa, depois do trabalho e buscar uma série para assistir na Netflix. Aprender uma receita nova em algum canal no YouTube. Alugar um filme no Google Play Filmes para ver no final de semana. Podemos apostar que você já vivenciou pelo menos um desses três exemplos!  

Esses serviços que nos permitem consumir conteúdos pela internet, sem a necessidade de um plano de TV por assinatura, por exemplo, são chamados de OTT. Neste artigo vamos falar mais sobre essa tendência de consumo de vídeos e te mostrar como você ou a sua empresa podem aproveitar o mercado dos vídeos online para criar o seu próprio OTT.

Antes de começar a entrar um pouco mais no mercado de OTT, que tal ver na prática o que você precisa para, finalmente, tirar seu projeto do papel? Confira um minicurso gratuito sobre cursos online e comece agora mesmo!

minicurso gratis para tirar seu curso online do papel e montar seu canal ott

O que é OTT?

Pense em um passado não tão distante no qual não haviam aplicativos para escutar músicas nem reproduzir vídeos. Quais eram as maneiras que você usava para consumir esse tipo de conteúdo? Provavelmente você recorria à televisão para ter acesso a conteúdos audiovisuais e aos CDs ou ao rádio para ouvir músicas.

Hoje em dia as opções de consumo de mídia são muito mais diversas e os próprios usuários podem controlar aquilo que desejam assistir ou ouvir, sem precisarem ficar dependentes de uma programação específica que era 100% controlada pelas grandes emissoras. É no meio dessa mudança que surge o conceito de OTT.

OTT é a sigla para “Over The Top”, em inglês. De forma resumida, o termo OTT diz respeito à plataformas de distribuição de conteúdos pela internet, no qual o usuário assiste sob demanda. Essa conexão é feita diretamente entre a plataforma e o usuário final, sem intermédio de outras empresas de teletransmissão, por exemplo. Alguns exemplos de plataformas OTT são a já falada Netflix, a HBO Go e o PlayPlus, da Record.

OTT e a revolução mercado de vídeos

Já vimos anteriormente que a sigla OTT é relativa a distribuição de diversos tipos de conteúdo na internet, inclusive os vídeos. E é nos vídeos que manteremos o nosso foco agora.

Pense em grandes plataformas de distribuição de vídeos como o YouTube e como a maneira de produzir e consumir conteúdo, especialmente em vídeo, tem mudado rapidamente. Agora, além de consumirmos conteúdo, nós, tanto as “pessoas comuns” como pequenas, médias e grandes empresas, somos capazes de ser produtores e distribuidores ativos de conteúdo.

Essa reviravolta no mundo audiovisual se deu principalmente pela chegada da tecnologia de streaming, trazendo a possibilidade de assistir um vídeo sem a necessidade de fazer o download dos arquivos. Foi assim que a distribuição de vídeos via internet no formato OTT começou, com a possibilidade de ver quantos vídeos quiser, em qualquer lugar do mundo e em qualquer dispositivo!

Atualmente, qualquer pessoa que possua um aparelho para gravar (pode ser o celular mesmo!) e acesso a internet, pode gerar conteúdos e distribuir os seus vídeos em plataformas de streaming, como o YouTube, plataformas pagas ou até criando a sua própria Web TV.

O mundo corporativo tem se adaptado a essa realidade e muitas empresas começaram a criar as suas próprias plataformas OTT para distribuir os seus conteúdos, seja vídeos para comunicação interna, com foco somente nos funcionários, ou para comunicações externas, com conteúdos que sejam relevantes para o seu público.

Como criar minha própria plataforma OTT?

Entendendo mais sobre essa tendência, você ficou com curiosidade para saber como você e o seu negócio podem se aproveitar das plataformas OTT?

A chegada do OTT facilitou a distribuição de vídeos e modificou a maneira como consumimos os conteúdos audiovisuais. Isso deixou o processo muito mais democrático e fácil, de forma que é possível que qualquer pessoa ou empresa crie a sua plataforma de OTT.

Mas, antes de mais nada, é preciso pensar nos seus objetivos com isso. Se você deseja fazer da distribuição de vídeos um modelo de negócios, é preciso conhecer mais sobre esse universo para estruturar uma boa estratégia. Nós te ajudamos!

Escolha o formato de vídeo OTT

Antes de mais nada, é preciso decidir com qual tipo de vídeo OTT você quer trabalhar: live ou VOD. Lembre-se que dependendo da sua estratégia a escolha pode ser por ambos. Abaixo conheça mais sobre eles:

Live

A live é uma transmissão ao vivo pela internet, sendo assim, o vídeo é gravado e distribuído em tempo real, tudo pode acontecer!

É um formato que as redes sociais estão trabalhando de forma mais ativa há poucos anos, destacando a função para os seus usuários. As lives já são bem populares em redes como o Facebook, Instagram e YouTube.

Apesar da popularidades entre influenciadores digitais, as lives podem ser usadas para diversas outras finalidades, como transmissão de palestras, cursos, webinars, shows e eventos. Além do mais, fazer uma live é uma ótima maneira de gerar interação com o seu público.

VOD

A sigla para video on demand, VOD é o vídeo que é gravado antes de ir ao ar. Sendo assim, neste formato, diferentemente das lives, podem haver edições no vídeo e regravações de algumas partes para entregar um melhor conteúdo final.

Este é o formato de vídeo mais comum, pois estamos mais habituados a consumi-lo nos filmes, séries e outros vídeos dentro da Netflix e YouTube, por exemplo.

Os vídeos on demand recebem este nome justamente porque são os espectadores que decidem o que querem assistir e quando querem assistir, sem depender de uma programação fixa.

Escolha o modelo de negócio

Agora é o momento de escolher o modelo de negócios que será usado em sua plataforma OTT para torná-la lucrativa. Veja os três tipos de modelos de negócios disponíveis para vídeos online e tente escolher o que se aplique melhor a sua realidade:

TVOD ou Transactional: este é o modelo comumente conhecido como pay-per-view, ou seja, o cliente só paga o conteúdo que consumir, sem a necessidade de uma assinatura.

SVOD ou Subscription: já este modelo funciona por assinatura, desta forma é possível fazer cobranças periódicas, geralmente feitas mensalmente, semestralmente ou anualmente.

AOTT ou Advertising: a fonte de receitas deste modelo de negócios vem da inserção de anúncios dentro dos vídeos ou dentro da plataforma.

Escolha a plataforma

Chegou a hora de pensar em como a sua plataforma OTT será estruturada. Caso você possua um bom time de desenvolvedores e conhecimento sobre o assunto, será possível criar a plataforma internamente e do zero.

Mas como essa não é a realidade na maioria dos casos, pois pode faltar mão de obra ou know-how, existem opções de plataformas no mercado que facilitam a sua missão. Nossa dica é conhecer a solução da Samba Tech para distribuição de conteúdo OTT. Quer saber mais sobre o assunto? Você pode baixar nosso ebook que mostra tudo que é preciso para criar sua web tv e entrar de ver no mercado de OTT. Confira!

como criar uma web tv e uma plataforma ott


Por: Débora Gomes

Produtora de conteúdo no Blog da Samba. Estuda Letras na UFMG e trabalha com marketing digital com foco em atração por meio de estratégias de conteúdo e SEO.

Contribua com este post nos comentários