• Blog
  • >
  • Insights
  • 10 motivos para ficar animado com o Super Bowl LIII

10 motivos para ficar animado com o Super Bowl LIII

Está chegando o dia mais esperado do ano para os fãs de futebol americano. O Super Bowl LIII será disputado entre o New England Patriots e o Los Angeles Rams no dia 03 de fevereiro, em Atlanta, no estado norte americano da Geórgia. O Super Bowl é um dos maiores eventos esportivos do mundo e, hoje, já é data marcada no calendário de milhares de brasileiros.

O crescimento exponencial do esporte no país é um dos motivos que faz com que o Super Bowl seja tão popular por aqui, e claro, a estratégia de vídeos e marketing esportivo da NFL é extremamente efetiva para engajar e emocionar audiências ao redor do mundo.

Para te deixar tão animado quanto a gente, olha só essa lista de 10 motivos para você se empolgar com o Super Bowl LIII!

Fonte: @NFL no Instagram

1 – O incrível estádio Mercedes Benz Stadium.

O Super Bowl, além de um jogo, é um verdadeiro espetáculo. E esse ano o estádio em que o jogo será disputado é um show à parte.

Chamado de Mercedes-Benz Stadium, o estádio é casa do Atlanta Falcons (NFL) e do Atlanta United FC (MLS). Inaugurado em 2017, o Mercedes-Benz ocupa, hoje, o lugar do Georgia Dome, que foi implodido para dar lugar à nova arena.

Um dos estádios multi-esportivos mais inovadores do mundo, o Mercedes-Benz Stadium possui um teto retrátil ultra-moderno, que além de ter um visual incrível, permite que jogos sejam disputados com estádio aberto ou fechado, dependendo das condições climáticas. O telão espetacular possui pouco mais de incríveis 5.852m² em 360° ao redor do estádio. Hoje, é o maior telão do mundo.

Além disso o estádio ainda conta com 24 bares e restaurantes que surpreendem pelo preço baixo! Ao todo, são 1.264 torneiras de chopp para atender a capacidade de 71.000 torcedores (expansível para 75.000).

Ao todo, o estádio custou aos investidores cerca de 1.6 bilhões de dólares. Confira o vídeo promocional do estádio abaixo:

2 – Transmissão especial.

Lembra de quando falei que o Super Bowl não é apenas um jogo, é um espetáculo? A NFL sabe muito bem disso. As transmissões do Super Bowl ao redor do mundo chamam atenção e, de fato, são tratadas como um verdadeiro evento.

No Brasil, a transmissão do evento começa horas antes do “apito inicial” e, já nos Estados Unidos, pode começar até mesmo dias antes.

Geralmente, a liga coloca no ar em seu canal próprio – o NFL Network, uma transmissão especial voltada para o Super Bowl, ao vivo, 24 horas por dia, durante toda semana que antecede o jogo. Essa transmissão pode até ser vista online, uma forma de alcançar fãs ao redor do mundo.

Aqui no Brasil, transmissões no cinema já são comuns há alguns anos, e em 2019, até mesmo estádios de futebol estão organizando eventos de transmissão do SB.

Além disso, toda estratégia de marketing esportivo por meio de vídeos faz com que, especialmente para esse jogo, todos os olhos do mundo estejam voltados para a NFL. A Liga aposta em distribuição de conteúdo exclusivo, como trailers do jogo no estilo cinematográfico, cenas de bastidores de treinamento dos times, visão 360° dentro de campo e até ações especiais, como colocar microfones em jogadores durante os jogos para captar as reações e conversas bem de perto.

Olha só esse vídeo, resultado dessa ação de microfonar jogadores, que mostrou as melhores reações da primeira rodada de jogos da temporada. Além de cenas de bastidores, como jogadores saindo dos vestiários para entrar em campo, ainda capta reações diretas de dentro do gramado:

3 – Entretenimento

Entretenimento para além do jogo é outro fator que chama atenção no mundo todo. Para fazer com que esse dia seja realmente uma experiência incrível para os fãs, a NFL prepara uma série de eventos para deixar fãs animados para o grande evento no domingo.

Super Bowl Music Fest

Esse ano, por exemplo, a EA Sports irá realizar o Super Bowl Music Fest em parceria com a marca de cervejas Bud Light. Serão 3 dias de shows com grandes nomes da música, em especial, alguns nativos de Atlanta, cidade sede do jogo.

Entre os artistas estão Ludacris, Migos, Aerosmith, Bruno Mars e Cardi B. Os shows começam no dia 31 e vão até o dia 2, véspera do Super Bowl LIII.

Hino Nacional dos Estados Unidos

O hino nacional, tradicionalmente executado antes de partidas dos mais diversos esportes, também é um evento especial todos os anos no Super Bowl.

Esse ano a responsável por cantar será ninguém menos que a Imperatriz do Soul, Gladys Knight.

A cantora que começou a fazer sucesso nacional justamente com a música “Midnight train to Georgia” falou à NFL exatamente sobre a honra de poder cantar o hino nacional no seu estado e, claro, tem tudo para ser uma performance memorável!

Super Bowl LIII Halftime Show

Muitas pessoas que tradicionalmente nem são tão fãs assim da NFL assistem ao Super Bowl exatamente para ver o show do intervalo. Historicamente, o Super Bowl Halftime Show convida grandes nomes da música para prepararem um verdadeiro espetáculo para o intervalo do jogo.

A NFL se encarrega de montar uma estrutura fantástica – lembra da Lady Gaga começando o show saltando do teto do estádio? – e os artistas ficam por conta do espetáculo. Tudo isso fica ainda mais impressionante se pensarmos que todo o palco deve ser montado, a performance acontecer e a estrutura desmontada abaixo de 30 minutos. Afinal, o importante aqui ainda é o jogo, não podemos esquecer.

O palco do show do intervalo, que começou recebendo bandas marciais, já chegou a ter shows de artistas como Michael Jackson, Rolling Stones, Prince, Beyoncé, Madonna, Lady Gaga, Katy Perry, Bruno Mars, Justin Timberlake (no ano passado) e muito, muito mais.

Esse ano, o Maroon 5 ficará responsável pelo show e já confirmou participações especiais do rappers Travis Scott e Big Boi, ambos da região de Atlanta.

Confira a performance da Lady Gaga no Super Bowl LI, em 2017, e veja se não é um verdadeiro show à parte!


4 – Tom Brady: melhor de todos os tempos?

Você já viu alguém dizendo que Tom Brady é o bode?

O quarterback do New England Patriots é considerado por muitos o melhor jogador de todos os tempos da NFL, e por isso, ganhou o apelido de GOAT (bode em inglês), cuja sigla significa exatamente Greatest Of All Time.

No Super Bowl LIII ele terá a chance de ganhar o sexto Super Bowl de sua longa carreira aos 41 anos de idade. Pela natureza do esporte, é raro jogadores terem uma carreira com tamanha longevidade, especialmente na posição considerada como a mais importante – e, por muito, a mais difícil. Isso é só uma parte do que faz a carreira de Tom Brady tão impressionante.

O jogador irá disputar o Super Bowl pela nona vez e se ganhar no domingo (03), terá o sexto título. Se isso acontecer, Tom Brady e o New England Patriots terão o mesmo número de títulos de Super Bowl do que o Pittsburgh Steelers, o maior campeão da história.

Isso significa que Brady, sozinho, teria mais Super Bowls do que outros 30 times da liga, considerando inclusive que 12 times jamais foram campeões e, 4 deles sequer chegaram a disputar a partida.

5 – Ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos.

Mas para que Brady se torne o maior campeão do Super Bowl e sele seu legado como o melhor jogador de todos os tempos, precisa encarar, na defesa adversária, Aaron Donald, considerado por analistas como o melhor jogador defensivo atualmente ativo na NFL.

Um lema constante no futebol americano é exatamente esse: “Bons ataques ganham jogos, boas defesas ganham campeonatos”. Então, será bastante interessante ver quem vai levar a melhor nessa, se é o melhor jogador de ataque ou o melhor jogador de defesa.

Quem você acha que sairá com o título?

6 – Jogadas incríveis

Uma partida de futebol americano reúne alguns dos atletas mais rápidos, mais fortes, mais ágeis e mais precisos do mundo dos esportes. Unindo isso a um dos maiores palcos esportivos do planeta, é claro que vai resultar em jogadas espetaculares.

Bolas agarradas com apenas uma das mãos, interceptações na end-zone, corridas que alcançam os 35 km/h e muito mais. É um espetáculo visual para os amantes de qualquer esporte, até aqueles que ainda não são tão familiarizados com a NFL.

Inclusive, ao final da temporada regular, a NFL fez um compilado das jogadas mais incríveis de cada time. Dá uma olhada no resultado:

Com o título em jogo, a expectativa é de que o Super Bowl traga ainda mais jogadas excepcionais e que seja um jogo de altíssima qualidade técnica.

7 – Resultados imprevisíveis.

“Enquanto tem bambu, tem flecha” – Everaldo Maques. ESPN Brasil.

Se tem um esporte em que realmente a expressão ‘só acaba quando termina’ é justa, esse esporte é o futebol americano. O Super Bowl, por muitas vezes, leva isso ao extremo.

Um exemplo é o SB LI, no qual os Patriots perdiam pelo placar de 28-3 do Atlanta Falcons ao final do primeiro tempo e, em uma das viradas mais históricas da NFL, levaram o jogo para a prorrogação e saíram com o título.

Independente de favoritismos, não há como prever um resultado de Super Bowl, afinal, em apenas questão de segundos o panorama de um jogo pode mudar completamente.

Entre os Rams e os Patriots, dois dos ataques mais explosivos do ano e defesas imponentes, realmente não há como dizer quem vai sair vitorioso. Lembre-se sempre: não vá dormir antes do final do jogo ou você pode se arrepender. 😉

8 – Diferença de idade.

Tom Brady, o quarterback do New England Patriots, tem 41 anos de idade. Jared Goff, o quarterback do Los Angeles Rams tem 24. Quando Tom Brady fez sua estréia como QB na Universidade de Michigan, Goff tinha apenas 2 anos de idade. Quando Brady levou seu primeiro título de Super Bowl, Goff tinha apenas 7 anos.

Bill Belichick, técnico principal dos Patriots, tem 66 anos de idade. Sean McVay, técnico dos Rams, tem exatamente a metade. Em 1976 Belichick começou sua carreira como treinador assistente no Detroit Lions. McVay sequer era nascido (foi nascer 10 anos depois!). Quando McVay foi contratado, se tornou o técnico mais novo da história da NFL, aos 30 anos. Hoje, é o técnico mais novo a disputar o Super Bowl na história da liga.

Essas narrativas estão chamando bastante atenção para o Super Bowl LIII. Os Patriots de Brady e Bellichick simbolizam uma das franquias mais vencedoras e mais tradicionais da história, enquanto os Rams de Goff e McVay representam o que há de novo e revolucionário na NFL. O estilo de jogo está mudando, o estilo de ser técnico também. Os quarterbacks jovens estão tomando a liga de assalto e será muito interessante ver, no domingo, como o embate entre o clássico e o moderno irá terminar.

9 – Fechamento de ciclo?

Muito se especula sobre a aposentadoria de Tom Brady. 19 anos de carreira, 41 anos de idade e, ainda jogando em alto nível, sempre há a dúvida se ele voltará para a próxima temporada. Esse ano esses rumores ficaram ainda mais altos quando pensamos na narrativa em si.

Se Tom Brady ganhar o Super Bowl neste domingo, será o seu sexto anel em 18 anos. O primeiro Super Bowl disputado por ele foi na temporada de 2001/2002 e ele foi campeão contra, exatamente, os Rams (na época, St. Louis Rams). É por isso que muito se fala na poesia do fechamento desse ciclo vitorioso. Além de sair ‘por cima’, o quarterback ainda tem a chance de ser campeão, pela última vez, em uma espécie de reedição de seu primeiro título. Há de se admitir a beleza dessa história, não é?

Mas é claro, não há, tampouco, de se espantar caso o quarterback anuncie que voltará para sua vigésima temporada na NFL.

10 – Comemorações

A NFL é apelidada de No Fun League (algo do tipo ‘Liga sem graça’) por alguns lá nos Estados Unidos devido a sua política de punições severas para comemorações na hora dos jogos. Sua fama de ser rígida acabava afastando diversos torcedores e também punindo severamente atletas que, na hora da emoção de uma grande jogada, comemoravam de forma considerada ‘excessiva’ por parte da liga.

A regra era simples: o jogador pode comemorar, contado que nenhum outro jogador se unisse na comemoração. Parece uma regra sem pé nem cabeça, certo?

Em 2017, porém, a liga revogou essa regra e passou a permitir comemorações em conjunto. Aí a criatividade rolou solta! Desde então, as comemorações viraram uma parte interessante dos jogos e a NFL até mesmo encoraja esse divertimento na hora do jogo. Times até ensaiam celebrações especiais para momentos do jogo e a NFL promove uma votação nas redes sociais, em uma espécie de ‘mata-mata’ das melhores comemorações da temporada.

Dê uma olhada nesse vídeo e veja a seleção da NFL para as melhores comemorações da temporada 2018/2019, sendo uma de cada time:


Tenho certeza que depois desses 10 motivos você está tão empolgado quanto eu para o Super Bowl LIII esse domingo!

Com a estratégia da NFL de levar um show único para cada torcedor, independente de onde eles estão, fica difícil não esperar ansiosamente para um dos eventos esportivos mais emocionantes do mundo.

Todos os vídeos desse artigo foram tirados do canal oficial da NFL. A liga aposta em uma estratégia de marketing esportivo bastante inovadora, que leva conteúdos em vídeo ao redor do mundo por meio das redes sociais, canais no YouTube e plataforma própria de transmissão de jogos. Isso faz com que seja possível alcançar cada vez mais fãs, rompendo barreiras geográficas e emocionando os fãs de esporte em todo o planeta.

Se você quiser ver um pouco mais sobre técnicas de marketing esportivo, pode ler esse e-book sobre o assunto e ver novas formas de trabalhar o marketing dentro do ambiente do esporte.

Boa leitura e bom jogo!

marketing esportivo da nfl e super bowl 53

Por: Débora Gomes

Produtora de conteúdo no Blog da Samba. Estuda Letras na UFMG e trabalha com marketing digital com foco em atração por meio de estratégias de conteúdo e SEO.

Contribua com este post nos comentários