Transmissão ao vivo: como fazer uma live em apenas 4 passos!

Você já pensou em fazer uma transmissão ao vivo, mas ficou com medo de ser muito complicado e acabou desistindo? Então esse artigo é para você: nele vamos te mostrar que, em 4 passos mais simples do que você imagina, é possível conseguir uma transmissão ao vivo de qualidade profissional!

Saber como fazer uma boa live pode te ajudar muito em diferentes ocasiões e é uma aposta quente. Sabe por que? Bom, apenas pensando no alcance da internet você já consegue ter uma ideia: com a transmissão ao vivo você deixa de depender do tamanho de um auditório, por exemplo, e passa a ter o poder de atingir um público incrível. Além disso, esse tipo de ação apresenta, em média, um tempo de engajamento 10x maior do que vídeos sob demanda.

Se você quer um exemplo da força de uma transmissão ao vivo, basta olhar para a forma como grandes marcas têm feito os lançamentos de seus produtos. A Apple, por exemplo, todo ano realiza uma live do evento em que apresenta suas novidades ao público. Assim, mais do que apenas à imprensa e à crítica especializada, a marca consegue fazer com que o mundo inteiro tenha acesso a esse momento e, assim aumenta o buzz e a curiosidade em torno dos produtos.

Outro exemplo de utilização pode ser dada pela conexão com alunos em cursos e aulas online. O Descomplica, por exemplo, site voltado para preparações para o vestibular, realiza algumas lives com a finalidade de fazer aulões, responder perguntas ou resolver exercícios. Essa estratégia aproxima ainda mais os alunos e faz daquela experiência mais agradável e completa. Não é raro também encontrarmos quem utiliza as lives no mundo corporativo, como forma de evitar inúmeras reuniões e encurtar distâncias.

E, claro, as emissoras de televisão ainda fazem parte de um dos maiores mercados da transmissão ao vivo atualmente. Visando atingir cada vez mais espectadores, a criação de aplicativos de conteúdo e transmissão ao vivo em diversas plataformas estão ficando cada vez mais comuns. Confira só o case de sucesso da Rede Minas em relação às lives:

Ou seja, a transmissão ao vivo é uma estratégia versátil, importante e que pode te dar uma valiosa diferenciação no mercado. Mas, afinal, o que você deve fazer para realmente realizar uma transmissão ao vivo?

Para fazer uma transmissão ao vivo, você precisa de basicamente 4 coisas:

1. Equipamentos para captar imagem e som

2. Um computador com conexão a internet e uma placa de captura

3. Transformar o formato do arquivo e fazer o Broadcasting

4. Página de destino para o conteúdo

Vamos explicar melhor cada um desses pontos.

E se você é quem vai ser a estrela da transmissão, dê também uma olhada neste material com técnicas de oratória para ficar mais confortável ao se apresentar!

Nova call to action


1. Os equipamentos

Para que sua live seja eficiente e tenha sucesso, o primeiro passo e é entender e investir nos equipamentos certos – afinal, eles serão grandes responsáveis pela qualidade da sua transmissão ao vivo. É claro que o sucesso de uma live não depende apenas dos equipamentos, mas é um excelente começo.

Câmera

Para fazer uma live streaming de vídeo, você vai precisar de uma câmera. Mas qual a melhor e mais indicada? Isso depende da sua estratégia, da ocasião e do orçamento disponível. É possível fazer transmissões com uma câmera profissional ou até mesmo com uma webcam.

Se você quiser investir numa captura profissional, é importante que você opte por uma câmera com uma saída HDMI limpa (clean output). Isso significa, nada mais, nada menos, que você conseguirá visualizar o vídeo tanto na câmera quanto na tela do computador e que a imagem transmitida para não terá informações técnicas da câmera (como data, hora e até mesmo o REC).

Outro quesito importante é optar por uma câmera que seja Full HD. Assim você garante que a qualidade de imagem da sua transmissão ao vivo seja alta. A seguir, fizemos uma lista de modelos de câmeras que você pode usar em sua live:

  • Sony A6000 (ou outras da série A6XXX)
  • Sony A7s II (Ou outras da série A7x)
  • Panasonic Lumix DMC-GH5 (ou outras da sére GHx)
  • Canon EOS 5D Mark III

Todas são bastante modernas, com recursos diversos que podem contribuir muito para a qualidade da imagem da sua transmissão. Falando de preço, elas podem variar de R$ 1.200,00 até R$ 10.000,00.

Mas se você ainda não está disposto a investir tanto em uma câmera profissional, uma alternativa é utilizar filmadoras com saída limpa ou até mesmo a própria webcam do seu computador – desde que ela tenha uma boa qualidade de imagem. Alguns modelos indicados nesses casos são:

  • Sony HXR MC2000
  • Sony HXR NX5
  • Logitech HD Pro C920
  • Lifecam Microsoft HD3000

Mesa de corte de vídeo

Caso você escolha fazer a transmissão ao vivo utilizando mais de uma câmera, será necessário ter também uma mesa de corte. Esse equipamento também conhecido como switcher ou mixer de vídeo é usado para selecionar a tomada ou câmera onde será realizada a transmissão ao vivo. Ações como cortes secos, efeitos especiais e corte de áudio são gerenciadas por meio da mesa de corte de vídeo. Elas são essenciais para oferecer mais alternativas de captação e exibição caso o streaming ao vivo seja realizado por diferentes fontes de captura.

Caso não seja possível adquirir ou utilizar uma mesa de corte real (física), existem alguns softwares que simulam e cumprem muito bem a função. Abaixo alguns exemplos:

  • X-Split Broadcaster
  • vMix Live
  • Vidblaster

#ficaadica: independente se a transmissão é por uma ou múltiplas câmeras, usando mesa de corte física ou virtual você ainda precisa de pelo menos uma placa de captura que vai enviar o sinal para o software de encoding.

Iluminação

Para que sua live saia perfeita, outra ponto com o qual você precisa se preocupar é com a iluminação!

Pense na experiência do usuário: se seu vídeo estiver escuro, com a imagem granulada ou, em alguns casos, até mesmo iluminado demais, há uma grande chance de que a audiência desista de te assistir. Por isso, se optar pela iluminação artificial, preze por escolher bons equipamentos, e, no caso de iluminação natural, fique atento à como a imagem está sendo exibida no visor.

Microfone

Falando em proporcionar a melhor experiência para o público, outro ponto chave na hora de começar sua transmissão ao vivo é ter certeza de que a audiência consiga te escutar com clareza. Por isso, caso você não possa contar com a própria câmera ou filmadora para fazer a captação do áudio, escolha um bom microfone e faça testes com o vídeo antes de começar a transmitir. Sem conseguir te entender, os usuários vão facilmente desistir do seu conteúdo.

O microfone que você vai usar, depende muito do tipo de situação que você vai transmitir. Por exemplo, se for uma entrevista ou um programa em estúdio, em que se quer destacar a voz de uma ou mais pessoas específicas, o ideal é usar o microfone de lapela ou o sorvete, que captam o áudio de forma direcional e minimizam as interferências externas.

Mas para que você realmente entenda tudo sobre microfones e captação de áudio, nossa dica é que você confira este outro artigo aqui. Ele tem informações completas sobre o assunto!

E, para descobrir mais a fundo como escolher os melhores equipamentos para te auxiliar na gravação, é só dar uma olhada no nosso Guia de estúdio 😉

Nova call to action

2. Computador com conexão à internet e placa de captura

Além dos equipamentos de gravação, para fazer uma transmissão ao vivo é preciso que o vídeo seja preparado para a exibição em tempo real na internet. Para isso, além de um computador com internet e a estrutura necessária, você precisará também de uma placa de captura. Vamos falar mais sobre esses pontos a seguir:

Placa de Captura

Para fazer uma transmissão ao vivo, você precisa de uma boa placa de captura, pois é justamente ela que vai efetuar a transferência da imagem + som da câmera / VCR para o computador.

Antes, as câmeras digitais necessitavam de um cabo FireWire para que fossem conectadas ao computador, mas hoje a tecnologia que deixa esse processo mais simples para você. Agora as câmeras, equipadas com uma saída HDMI, RCA ou SDI, podem ser ligadas por uma dessas conexões à placa de captura, que, por sua vez, é ligada ao computador utilizando-se um USB 3.0 ou um Thunderbolt.

“Mas meu computador não possui placa de captura nativa, e agora?” Não se preocupe, existem placas de captura externas que podem ser plugadas na câmera e no PC através da mesma entrada FireWire ou cabos HDMI.

Os modelos de placa que nós recomendamos são:

  • BlackMagic Web Presenter ou Blackmagic Intensity
  • Osprey 250
  • MyGica HD Cap X
  • Epiphan AV.io
  • AverMedia Live Gamer Portable Lite

#ficaadica: Fique atento à sua câmera, porque se ela for analógica vai demandar uma placa específica com configurações peculiares. Saiba mais.

Computador com conexão à internet

Como se trata de transmissão ao vivo na web, a internet é parte vital para que a live ocorra. É por meio da internet que o sinal será enviado aos servidores – que estão na nuvem – para que eles cuidem da distribuição do vídeo capturado.

Muitos dizem ser possível transmitir ao vivo até com internet 4G, o que não é mentira. Acontece que esse tipo de conexão está sujeita a instabilidades. Se por acaso, ela cair totalmente, por exemplo, sua transmissão automaticamente irá sofrer os impactos: buffering, “tela preta”, travamento, etc. E sabemos que, se o evento é ao vivo, é porque ele está acontecendo naquele momento em especial. Se você deixar de transmitir alguma cena, mesmo que por alguns segundos, quando a conexão se restabelecer ela já terá passado e o internauta, perdido aquele fato.

Aqui, pense mais uma vez na experiência de quem assiste: se a internet ficar cortando a transmissão e dificultando seu entendimento, é muito provável que as pessoas acabem desistindo da sua transmissão ao vivo e passem a dar atenção a outras abas da internet, fechando a sua logo em seguida. Isso pode, inclusive, fazer com que elas comentem negativamente sobre você e sua live com outras pessoas, impedindo-as de  conhecer o seu trabalho.

Dessa forma, para evitar maiores problemas e garantir estabilidade no live streaming, para uma transmissão ao vivo padrão o mais indicado é disponibilizar uma conexão de pelo menos 2MB de uplink dedicado e exclusivo para o servidor de upload – levando em conta apenas um canal de live streaming.

3. Encoding e Broadcasting

Além do acesso a internet, para que seu computador seja capaz de fazer uma transmissão ao vivo, ele precisa também realizar dois processos, chamados de encoding e broadcasting. E apesar dos nomes difíceis, eles são bem simples. Entenda:

Encoding – ou transformação do formato do arquivo

Quando a imagem é capturada pela câmera, esse equipamento gera o sinal em um formato bruto. Então, para que o som e a imagem consigam chegar até os internautas, é preciso realizar o encoding – que é nada mais, nada menos, do que a transformar o formato do sinal para um que seja adequado para a transmissão na web.

Existem diversos programas para realizar essa tarefa e nós, da Samba Tech, recomendamos o software Adobe Flash Media Live Encoder, por ser uma solução confiável, estável e gratuita. Ele vai receber o sinal da placa de captura, transformar o formato do vídeo original e enviar o sinal já prontinho para os servidores de streaming que vão fazer o conteúdo tocar no player.

#ficaadica: Todos os parâmetros e detalhes para configurar o encoder estão nesse link. E, caso você opte por usar um software de mixagem de vídeo (mesa de corte virtual), é comum que ele já tenha o encoding integrado.

Broadcasting

Para que a transmissão ao vivo se complete é preciso que o sinal, já preparado, seja transmitido na internet, ou seja, que servidores de streaming realizem a distribuição do conteúdo.

No próprio software que você utilizar para fazer o encoding, basta colocar no campo de acesso ao Flash Media Server qual a URL e qual o código de acesso “stream” que vão fazer a conexão com os servidores. Ao dar o “start” na transmissão os logs do encoder serão exibidos e o embed do player será gerado. Então é só inseri-lo no destino final onde sua transmissão irá acontecer. O script do embed já será gerado com as configurações pré-determinadas pelo encoder.

Esse talvez seja um dos pontos mais importantes de toda a transmissão. Escolher uma plataforma ou uma empresa sólida e uma tecnologia robusta pode fazer a diferença entre seu evento ser um sucesso ou virar um meme na internet.

#ficaadica: Não se esqueça de realizar testes antes de dia oficial em que o evento será transmitido. Assim você evita imprevistos!

4. Destino da transmissão ao vivo

Tudo pronto certo? Certo! Agora é só colocar o embed gerado pelo software de encoder no destino onde será realizada a transmissão. Ele pode ser seu site, um hotsite ou até mesmo o mural/fanpage do Facebook ou outra rede social.

Existem ainda algumas funções no player que possibilitam o social-sharing. Por meio dos ícones de compartilhamento é possível potencializar o alcance da transmissão dando a liberdade ao usuário de compartilhá-la no próprio Facebook, Twitter, além de copiar o link e/ou o embed.

#ficaadica: é muito importante ficar atento às restrições de Firewall, já que elas podem impedir a conexão com o Flash Media Server e assim impossibilitar a transmissão. Caso a máquina que está dando o “start” tenha esse tipo de proteção é preciso liberar as configurações de domínio e IP na rede e no computador.

No final das contas, o esquema da sua transmissão de vídeo será basicamente este:

Qual a diferença entre uma live profissional e uma live nas redes sociais por exemplo?

Por fim, vamos responder a uma pergunta que com certeza já passou pela mente de muita gente que quer começar a transmitir ao vivo: “por que eu precisaria de toda essa estrutura e preparação se posso fazer uma live no Facebook ou YouTube totalmente grátis e apenas apertando um botão?”. Nesses casos, a resposta é simples e se resume basicamente à um ponto que são as necessidades do seu projeto e o controle que você deseja ter da live.

Quem quer fazer uma transmissão ao vivo apenas por diversão, ou quer que seu conteúdo seja compartilhado de forma aberta, com todos os seguidores, pode usar as lives das redes sociais tranquilamente. Elas permitem que você transmita com uma qualidade relativamente boa, fornece alguns dados de audiência e consumo do seu conteúdo e são entregues para o público que segue sua página ou perfil.

Porém, esse tipo de transmissão não é a melhor para quem quer fazer algo mais profissional, com mais controle e qualidade. O primeiro ponto é que no Facebook ou YouTube é praticamente impossível controlar quem terá acesso à seu conteúdo e caso ele seja privado (no caso de empresas) ou você deseje lucrar com ele (no caso de cursos online), isso será bastante difícil. Além do mais, nessas redes é difícil garantir que seu conteúdo ficará estável – não sofrerá com falhas e quedas – e isso pode comprometer muito sua transmissão. A falta de controle também é outro ponto importante, uma vez que nas redes sociais você não consegue personalizar sua página ou definir como seu vídeo aparecerá para o público. Isso tudo interfere muito no caso de uma transmissão profissional e é importante ficar atento à esses pontos.

Dicas para uma transmissão ao vivo de sucesso

A escolha dos melhores equipamentos é um passo muito importante para o sucesso da sua transmissão ao vivo, mas não é o único! No momento da transmissão, existem alguns detalhes que podem garantir o sucesso da sua live. Confira algumas dicas:

Interaja com o público

As pessoas, em geral, gostam de interação, é por isso que as redes sociais são pensadas para, cada vez mais, proporcionar novas formas das pessoas interagirem entre si. No caso das transmissões ao vivo, a interação é, também, muito importante. Durante a sua live, uma boa dica é disponibilizar um canal de chat para receber e ler comentários dos espectadores, responder perguntas ou até mesmo somente ler alguns no ar. Assim, as pessoas ficarão mais interessadas no conteúdo, com vontade de participar e muito mais engajadas. Essa é uma das mais importantes vantagens de uma transmissão ao vivo, a interação em tempo real com o público.

Analise os dados

Assim como em uma estratégia de um canal de vídeos online, as transmissões ao vivo também podem gerar dados de consumo importantíssimos para análise. Com dados, é possível entender o que está dando certo e o que precisa ser melhorado para garantir que sua live seja a melhor possível.

É aí que entram as live analyticsque indicam pontos-chave da sua transmissão ao vivo.

analytics para transmissao ao vivo

A imagem representada acima é uma tela de analytics para transmissão ao vivo. Nesse caso, o gestor da live pode analisar alguns dados como a quantidade de usuários assistindo no momento, picos de acessos simultâneos, dados a respeito da localização dos usuários, dispositivos (desktop ou mobile) e origem de acesso.

Uma boa dica para interpretação dessas dados é, por exemplo, verificar o momento em que houve o pico de acessos simultâneos e entender o que foi feito naquela hora para que mais pessoas estivessem engajadas. Assim, é possível tentar reproduzir ao máximo as estratégias de sucesso do seu conteúdo.

Tome cuidado com os diretos autorais!

Lembre-se sempre que, mesmo se tratando de transmissões ao vivo, é importantíssimo tomar cuidado com conteúdo de terceiros. Por exemplo, evite trilhas sonoras que não sejam de livre utilização, pois isso pode acarretar problemas futuros, principalmente se o seu objetivo é salvar um arquivo da transmissão ao vivo e utilizá-lo depois.

Verifique alguns bancos gratuitos e selecione, anteriormente à transmissão, músicas e outros efeitos que poderão ser utilizados sem maiores problemas.

Escolha a melhor plataforma

Nada pior do que se programar e divulgar uma live e ela travar e cair diversas vezes, certo? Então, escolher a melhor plataforma para seu conteúdo é essencial para o sucesso do projeto. A dica nessas situações é que você procure uma empresa qualificada para realizar as transmissões, caso não consiga fazer isso com uma equipe interna, e que sempre escolha uma plataforma segura e estável para fornecer a estrutura tecnológica para sua live. 

A Samba Tech, por exemplo, fornece essa estrutura também todo o suporte para que suas transmissões sejam um sucesso. Além disso, ainda disponibilizamos relatórios de acesso para que você possa acompanhar como a live foi consumida e medir o engajamento dos internautas.  Você pode fazer um orçamento conosco clicando aqui ou na imagem abaixo:

Nova call to action


E agora que você já entende tudo sobre transmissões ao vivo, já pode começar a fazer as suas e aproveitar os excelentes resultados dessa prática.

Quer saber ainda mais sobre o assunto? Acesse o nosso Guia Completo para fazer uma Transmissão Ao Vivo e descubra todos os truques necessários para fazer a sua.

Nova call to action

Por: Nathália Tameirão

Coordenadora de Marketing Digital na Samba Tech e especialista em SEO e conteúdo. Formada em Publicidade e Propaganda pela UFMG, é responsável pela estratégia de conteúdo da Samba, com foco em atração e conversão.

Contribua com este post nos comentários