O que é API e porquê ela é tão importante para seu negócio

Você pode não até não ver, mas se você consome o mínimo de tecnologia e tem o costume de navegar pela internet, provavelmente já fez uso das APIs. Da tradução de “Interface de Programação de Aplicações”, elas são um facilitador entre integrações de sistemas e vem ajudando muitas empresas por aí a otimizar processos.

O acrônimo API é antigo no universo da computação, mas só pelos anos 2000 que ela começou a ser protagonista das gigantes do business tecnológico e se expandiu para o dia a dia das pessoas. Se antes, havia um enorme esforço de tempo, conhecimento e custos para integrar um sistema ao outro, hoje, com as APIs esse processo se tornou mais eficiente, dando a possibilidade de as empresas descartarem uma série de atividades repetitivas e aumentar sua produtividade e eficiência.

Mas, afinal, o que é API?

O conceito de uma API é relativamente simples. É um padrão que faz com que dois sistemas, softwares, aplicativos ou banco de dados semelhantes ou diferentes possam conversar e entregar uma experiência única para as pessoas.

O mais legal é que ela permite oferecer dados ou funcionalidades desenvolvidas e executadas em um sistema, sem que o usuário precise acessá-la diretamente. Por exemplo, quando você procura uma lista de músicas no Spotify, o app usa uma API para buscar e retornar com essa listagem, sem que você tenha que ir até lá.

Outra vantagem é a possibilidade de integrar dois sistemas com uma curva de esforço relativamente baixo. Uma empresa com uma grande base de dados, por exemplo, se desejar modificar seu software, não precisará começar tudo do zero, pois eles poderão conversar entre si, graças as APIs.

Segundo o nosso Devops Engineer, Geidivan Brito, a API é como um menu de restaurante. Aquela lista que te auxilia a saber o que pedir e te deixará tranquilo quanto ao que será servido.

Continuando a analogia, ela é uma documentação que você publica e, quem quiser integrar, acessa aquele cardápio. Para que isso aconteceça, as empresas precisam liberar suas APIs para que os desenvolvedores (ou clientes) possam criar novos aplicativos ou integrá-los a outros já existentes.

As maiores empresas integram seus sistemas a aplicativos via API. A Kroton, por exemplo, possui o sistema próprio há anos. Imagina quanto tempo se levaria para integrar o Samba Vídeos nele? É aí que entram as APIs, que possibilitam que nosso player rode facilmente no software usado pela empresa.

Como usamos a API no dia a dia?

São inúmeros os exemplos de aplicação de uso das API em nosso dia a dia. A Google é um grande case mundial de utilização delas. Seja para utilizar a ferramenta do seu calendário, traduções ou os vídeos do Youtube.

Dentre as principais APIs que a empresa oferece, um dos destaque é o Google Maps. Ele dá às empresas a possibilidade de integrar mapas aos seus próprios sites, incorporar versões 3D do endereço, adicionar informações sobre sua marca e até incluir endereços relevantes para levar o cliente pelo caminho mais rápido.

Uma das aplicações mais populares de API e que facilita muito nossa rotina é o login social. Com certeza você já entrou em algum site que dava a possibilidade de compartilhar algo ou fazer seu login “com sua conta no Facebook”. Essa funcionalidade encurta o caminho dos cadastros, trazendo um facilidade que muitas vezes nem nos damos conta. Por outro lado, as empresas que utilizam, também saem ganhando, afinal, a rapidez do cadastro torna o engajamento entre a empresa e o público muito maior.

Como a Samba utiliza a API?

Todas as aplicações da Samba possuem uma API, seja públicas ou privadas. Ela ajuda os nossos clientes a realizarem diversas ações com nossos produtos, como por exemplo, para logar e compartilhar nas redes sociais no Samba Play. Nossa parte de estatistica, legendas, lives e monetização por DFP do Samba Vídeos também utilizam o recurso. É possível, através  de uma API, fazer upload em um vídeo e, depois, subir para o Youtube, devido a integração com o sistema deles.

O que é API Rest?

As APIs RESTful nos permite desenvolver funcionalidades de forma desacoplada das nossas interfaces gráficas, o que nos torna capazes de criar um mesmo conjunto de regras de negócios para vários dispositivos. É como se fosse um protocolo de comunicação entre as APIs em que são definidos padrões para ajudar os desenvolvedores.

Por isso, ao criar uma API, a empresa precisa estar atenta a documentação. Segundo Geidivan Brito, “é preciso seguir o padrão open api de mercado, com endpoints bem construídos, para que qualquer pessoa que tenha acesso entenda e consiga utilizá-la”. A Samba possui uma Central do Desenvolvedor na qual se encontram as informações de nossas APIs.

Dicas para utilização:

Confira algumas dicas esclusivas dos nossos desenvolvedores para criar uma API:

  • Fique atento à quantidade de latência esperada;
  • Defina em quantos segundos você irá responder às chamadas dessa API;
  • Tenha em mente a quantidade média de usuários esperados;
  • Defina como será a autenticação da API.

Se você for um cliente Samba Vídeos vale a pena utilizar o webhooks. Webhook é um conceito que está se tornando bastante popular e aplicável. Ele nada mais é que uma forma de recebimento de informações em tempo real quando um evento entre duas APIs acontece.

Ele é importante para otimizar os uploads no Samba Videos. Isso porque, ao subir uma mídia, enquanto ela é carregada, temos o costume de verificar com frequência o status do processamento, o que pode acabar acarretando em várias chamadas para as redes. Com a integração entre o Samba Vídeos e sua empresa, o webhook enviará um  aviso quando o upload estiver concluído, melhorando sua experiência com o produto.

https://suporte.sambatech.com/knowledge/como-inserir-legendas-no-samba-v%C3%ADdeos


Por: Mariana Vasconcellos

Formada em Jornalismo, especialista em Marketing Digital, trabalha na Samba na automação e estratégia de e-mail e Marketing de Produto.

Contribua com este post nos comentários