Por Em Em abril 23, 2018

Divulgação de cursos: confira dicas de como fazer pela internet

Se você ou a sua instituição de ensino estão procurando novas formas de alcançar mais alunos, está na hora de investir em maneiras inovadoras de divulgação de cursos online.

Independente se você é representante de uma grande instituição ou um pequeno produtor individual, se o seu conteúdo é relevante, raro e de boa qualidade, você achará pessoas dispostas a pagarem para aprender com você. Aí, depois que você já está com um curso bem estruturado e bem planejado, o ponto é encontrar as pessoas certas. É para isso que você deve fazer um bom plano de divulgação de cursos online, apostando no poder da internet e, em específico, das redes sociais.

Mas cuidado, uma boa divulgação de cursos online não é simples e deve ser pensada com certa dedicação. Claro, nada que seja impossível de fazer, mas é importante lembrar que a sua mensagem deve ser voltada exatamente para o público que você quer atingir, certo? Então, confira algumas dicas que vão ajudar a divulgação dos seus cursos e vão fazer com que você alcance muito mais alunos. Vamos lá?

E antes, que tal conferir se você já fez tudo que é preciso para colocar seu curso no ar? Confira gratuitamente nesse checklist que preparamos!

checklist de divulgacao de cursos

Por que Educação a Distância?

Vários são os fatores que influenciam o crescimento constante do ensino a distância no Brasil. Entre eles podemos citar a facilidade de acesso a internet, menor preço médio, flexibilidade e diversas outras questões que são extremamente atrativas tanto para as escolas quanto para os alunos. É por isso que, no Brasil, acredita-se que, em breve, mais da metade dos alunos de graduação estarão estudando na modalidade online.

E já pensou em quantas pessoas utilizam a internet para estudos extra? Por exemplo, existem diversos mini-cursos voltados especificamente para uma área do ensino, como medicina, fisioterapia, biologia e muitos outros. Isso significa que mesmo estudantes de cursos presenciais ainda podem procurar um conhecimento extra ou especialização pela internet. A internet é um terreno fértil para os mais diversos tipos de mercado.

Então, se você já trabalha com cursos online, o ideal é fazer com que sua divulgação chegue não ao maior número de pessoas, mas sim ao maior número de pessoas certas. Para te ajudar nisso, preparamos algumas dicas para fazer uma excelente divulgação de cursos online. Confira!

Como fazer uma excelente divulgação de cursos online

Como já dissemos, o mais importante na hora de fazer a distribuição do seu conteúdo é garantir que sua mensagem chegue até as pessoas certas, não é mesmo? No modelo de publicidade em veículos tradicionais – televisão, jornais e revistas, por exemplo – não há um controle muito exato de quem irá ver sua propaganda. É claro que existem os públicos específicos de cada veículo, mas, ainda assim, não há uma forma clara de mensurar como essa publicidade está chegando até as pessoas.

Porém, se pensarmos em mídias na internet, como a maioria das redes sociais, o anunciante tem muito mais liberdade de selecionar especificamente o público que quer atingir, baseando-se em diversas características. Essa é nossa primeira dica para se fazer uma boa divulgação de cursos online: trabalhar a segmentação de mercado.

Segmentação de mercado

De forma simplificada, fazer segmentação de mercado é separá-lo em grupos específicos de características semelhantes. Por exemplo, se pensarmos no exemplo mencionado acima, um produtor de conteúdo voltado especificamente para estudantes de medicina trabalha com um nicho bem específico, então, em vez de gastar muito mais dinheiro e esforços para atingir pessoas que não são o público alvo do negócio, realizando a segmentação, é possível fazer com que a mensagem chegue a exatamente quem deveria chegar.

Por isso esse deve ser o primeiro passo para se fazer uma boa divulgação de cursos. Entender quem você quer atingir com sua propaganda te ajuda a saber, exatamente, como fazê-lo.

Entre as vantagens de se trabalhar com segmentação de mercado para fazer a divulgação dos seus cursos podemos mencionar:

  • Aumento do lucro com diminuição dos gastos: Acredite, é possível! É melhor alcançar 1 milhão de pessoas com uma propaganda mas concretizar apenas 100 vendas ou atingir 500 pessoas e conseguir vender para 300? Basicamente é esse o conceito de segmentação de mercado. Você vai gastar menos com estratégias de marketing pago, mas irá atingir um público altamente qualificado.
  • Métricas confiáveis para sua estratégia de marketing digital: Mensurar resultados é uma prática importantíssima em qualquer negócio. É a única forma de descobrir se suas estratégias estão funcionando ou não. Segmentando o mercado para a sua divulgação de cursos, você tem informações bem mais específicas de quem compra e quem não compra seu produto, como eles interagem com seus anúncios e muito mais.
  • Comunicação específica para cada grupo: Se você precisa vender para um adolescente de 18 anos ou para uma mulher de 35, você tentaria vender da mesma forma? Trabalhando com grupos específicos fica muito mais fácil se comunicar especificamente para aquele público, entendendo com qual material e linguagem eles engajam mais ou não engajam.

Se quiser saber exatamente como fazer a segmentação de mercado para seu negócio, você pode conferir nesse nosso artigo super completo e voltado especificamente para isso! Basta clicar aqui.

Utilize vídeos

Uma outra forma de fazer uma boa e efetiva divulgação de cursos é utilizando vídeos! Para ver o quanto isso é verdade é só pensar na premissa da educação a distância e das vídeo aulas. Para ensinar pela internet, é muito mais efetivo fazer uma aula em vídeo do que em texto, certo? O mesmo pode ser dito para divulgação de cursos e diversos outros produtos. Conteúdo em vídeo é mais atraente e, visualmente, chama muito mais atenção do que somente uma imagem, por exemplo.

Mas os vídeos não fazem milagres! Não basta apenas produzir qualquer conteúdo, é preciso ter um vídeo de boa qualidade para conseguir fazer com que o público engaje com eles. E quando o seu produto é seus próprios vídeos, é preciso cativar essa audiência logo de cara para passar autoridade da sua marca. As pessoas dificilmente irão assistir a videoaulas que tenham uma imagem ruim, áudio de baixa qualidade e pouca informatividade, por isso, capriche e mostre ao público que você sabe como produzir ótimos conteúdos!

Com uma boa câmera, uma excelente captação de áudio e muita criatividade, você criará conteúdos incríveis e extremamente efetivos!

Aproveite e veja, neste material, como montar um estúdio de gravação em casa, para fazer vídeos de qualidade incrível! Só clicar aqui ou na imagem abaixo.

estudio de gravacao para divulgacao de cursos

Atente-se a particularidade de cada rede

Utilizar as redes sociais tanto para divulgação quanto para branding é muito atrativo, mas é preciso tomar cuidado com alguns detalhes. Por exemplo, utilizar a mesma estratégia e formato para todas as redes sociais pode não ser efetivo, afinal, cada uma delas possui um público e uma maneira de interação completamente diferentes.

Ou seja, você não irá fazer uma postagem no LinkedIn com a mesma linguagem que utiliza no Facebook, não é mesmo? O Facebook possui um caráter mais de entretenimento e muito mais social e descontraído, enquanto o LinkedIn é uma rede mais séria e com objetivos estritamente profissionais. Então, o ideal, para uma divulgação de cursos efetiva, é adequar sua mensagem para cada meio.

Pense bem nas peculiaridades de cada rede social – Twitter, Facebook, Instagram, LinkedIn – e como deve ser a melhor maneira de atingir as pessoas certas em cada uma delas. É importante também pensar nas questões práticas, como formato e dimensões de imagens e vídeos. No Instagram, por exemplo, os vídeos possuem limite de tempo e, um vídeo que será postado no Feed deve ter o formato diferente de um postado no modo Stories, por exemplo. Dessa forma, você consegue alcançar o potencial máximo de cada uma dessas redes.

Ofereça período de testes grátis

Talvez essa seja a forma mais eficiente de divulgação de cursos. Esse tipo de conteúdo é excelente para testes grátis. A gigante do streaming Netflix oferece 1 mês grátis para que os usuários experimentem o conteúdo e, como eles possuem um modelo de negócio por assinatura, é muito difícil que os usuários cancelem após o término desse período de gratuidade. Dependendo da quantidade de conteúdo que você ou sua empresa possui, você pode definir um período grátis maior ou menor e deixar com que o usuário veja de dentro como funciona sua plataforma e aprecie seus conteúdos. Dessa forma, você mostra para ele exatamente o valor do seu serviço e porque ele deveria assinar.

A chance de uma pessoa concretizar uma matrícula em um curso que já sabe como funciona e como são as aulas é muito maior do que comprar completamente no escuro. Ajudando a diminuir a insegurança, você tem muito mais chance de conseguir vender mais.

Uma boa dica é, ao oferecer o período de gratuidade, coletar alguns dados importantes de contato, para que você possa utilizá-los em sua estratégia de marketing futuramente. Assim, você oferece a ele um valor e recebe um valor em troca.

Mostre seu diferencial

Como empreendedor, você já sabe que o mercado, hoje em dia, é extremamente competitivo. Então, um aspecto super importante é estar sempre um passo à frente da concorrência. Por isso, para ter uma divulgação de cursos efetiva, você deve mostrar porque sua empresa é diferente e como você pode ajudar seu aluno atingir o objetivo dele.

Hoje em dia, é extremamente importante se destacar e mostrar o que você pode oferecer desde início!

Realize sorteios e concursos

Fazer sorteios e concursos é muito popular hoje em dia. Já notou quantas promoções aparecem nas suas redes sociais? Esse método pode ser efetivo para divulgação de cursos online, mas é preciso ter cuidado também. Algumas redes sociais possuem regras específicas para realização deles, então é bom checar direitinho antes de planejar um sorteio, certo?

Fazer um sorteio pode ser uma excelente forma de divulgação de cursos, sobretudo os que pedem que as pessoas compartilhem a publicação. Assim, a sua publicação tem um alcance muito grande, o que fortalece sua presença digital.

Aproveite a rede de afiliados!

Você conhece e sabe como funciona redes de afiliados? Basicamente, um programa de afiliados une o produtor de conteúdo com pessoas que estão prontas para ajudar a vendê-los.

Nesse ambiente, estão os afiliados e os anunciantes. Os anunciantes disponibilizam seus cursos nessa plataforma, por exemplo, e os afiliados divulgam esse conteúdo para o público que acreditam que teria interesse. Assim, os afiliados ajudam na divulgação dos cursos e, quando as vendas são concretizadas, ganham uma porcentagem em cima do valor das vendas.

Hoje em dia existem vários programas de afiliados e todos eles se mostram extremamente efetivos na divulgação de cursos.

Então, agora que você já sabe algumas maneiras de se fazer a melhor divulgação de cursos possível, aproveite para colocar a mão na massa e tirar suas ideias do papel! O mercado do ensino a distância é um mercado tecnológico, em expansão, criativo e muito fértil, pronto para ser explorado. Aproveite esse crescimento e trabalhe com a democratização da educação e ajude pessoas a realizarem seus sonhos!

E aí, pensou em alguma outra maneira de divulgar seus cursos que não citamos aqui? Que tal deixar suas dicas nos comentários? E se você quiser conhecer uma plataforma de vídeos profissional, perfeita para seu curso online, faça um tour pelo Samba Vídeos e veja, por dentro, como ela funciona e tudo que pode te oferecer! Até a próxima. 😉

trial do samba videos

 

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em março 23, 2018

14 anos? 8 coisas que aconteceram em 2004 e vão te fazer ficar nostálgico!

Em 2004, muita coisa que hoje a gente considera super normal, ainda nem existia ou estava apenas começando a dar seus primeiros passos. A internet ainda era discada, as pessoas sonhavam em ter um Motorola WV3, o videogame mais popular era o PlayStation 2 e o YouTube ainda nem tinha nascido – acredite, ele só foi surgir em 2005.

Recentemente, as coisas têm evoluído de forma tão rápida que, mesmo um intervalo de tempo tão curto, de apenas 14 anos, parece ter separado nossa realidade atual da idade da pedra. Isso não passa de uma impressão, claro, mas  quando pensamos em 2004 realmente há muito do que se recordar. Apesar de parecer tão distante e comum, esse ano trouxe muitas coisas bacanas principalmente em termos de tecnologia e inovação, que ajudaram a construir o que temos hoje.

Então, para deixar todo mundo nostálgico, separamos em uma lista 8 coisas que aconteceram em 2004 e que fazem desse ano especial – a 8 é a mais importante e você vai entender porque estamos falando tanto desse ano!

Confira:

1. O Orkut estava sendo lançado (e a gente já considerava pakas)

Parece que foi há 100 anos, mas o Orkut nasceu em 2004 e, em pouco tempo se tornou a rede social mais popular do Brasil, tendo 70% da sua base de usuários em nosso país. Hoje a gente acha super brega, mas admita: você já lutou pelo topo dos depoimentos dos seus amigos e enviou gifs cheios de glitter em um scrap (tá perdoado)!

2. Celebridade estava sendo exibida e era uma das novelas mais populares da TV

Se hoje as pessoas se preocupam sobre quando vai sair a próxima temporada de uma série na Netflix, em 2004 o mistério que uniu o Brasil foi: “Quem matou Lineu?”. A novela Celebridade (que inclusive está sendo reprisada atualmente) era uma das mais populares na época e fez muita gente se empolgar com a rivalidade entre as protagonistas Laura e Maria Clara.

3. Netflix ainda era um serviço de locação de filme por correio

E falando em Netflix, se você acha que o serviço é recente, está bastante enganado. A Netflix nasceu em 1997 com uma proposta um pouco diferente do que é hoje: ser um serviço de locação de filmes por correio. Apenas em 2005 nasceu a plataforma de streaming, no modelo que conhecemos e antes disso a empresa ainda quase foi vendida para a – na época gigante – Blockbuster.

4. O último episódio de Friends foi exibido

Friends é uma das séries de comédia mais populares de todos os tempos e não é a toa que durou nada menos do que 10 anos/temporadas. Exibida na NBC, com episódios curtos de no máximo 25 minutos, a série teve seu último episódio no ar no dia 06 de maio de 2004 e ele foi o quarto episódio final de uma série mais assistido na história, com 52,5 milhões de espectadores. Nesse dia vários corações foram partidos ao som de “I’ll be there for you”.

5. Brasil ganhou 10 medalhas nas Olimpíadas de Atenas

Vanderlei-Cordeiro-de-Lima

Caso você não se lembre, 2004 foi ano de Olimpíadas e elas aconteceram em Atenas, na Grécia. Nessa edição, o Brasil ganhou 10 medalhas – sendo 5 de ouro – e ficou em 16º lugar no quadro de medalhas. Foi nesse ano também que o Brasil todo se emocionou por Vanderlei Cordeiro de Lima, o maratonista que, após ter sido empurrado por um espectador que invadiu a pista, perdeu a liderança da prova, mas ainda assim conseguiu a medalha de bronze para o país.

6. O Google anunciou a criação do Gmail

Assim como há pouco tempo estávamos lutando por um convite para usar o Nubank, em 2004 o que as pessoas mais desejavam era um convite para o Gmail. O serviço do Google, que foi lançado nesse mesmo ano, oferecia espaço de armazenamento de 1G e, para quem estava acostumado a ter poucos megas em qualquer tipo de coisa, isso era surreal (hoje o serviço oferece 15x mais espaço e há quem ainda ache pouco).

7. O filme Meninas Malvadas foi lançad

Se em 2004 você ainda era um adolescente (ou pelo menos uma pessoa que convivia com eles) você sabe do que eu estou falando. O filme Meninas Malvadas, com um elenco composto por Rachel McAdams, Lindsay Lohan e Amanda Seyfried foi lançado nesse ano e rapidamente se tornou um fenômeno teen. Até hoje o filme é um clássico pop – responsável por inúmeros GIFs e memes – e eternizou cenas como a apresentação de natal e a hora da confissão.   

8. A Samba nasceu!

E por fim, para nós, o evento mais marcante e especial de 2004 aconteceu bem aqui em BH, em um escritório pequeno: a Samba nasceu! Na época a gente ainda não era Tech, era Mobile, e nossos primeiros anos de existência foram dedicados à uma atividade bastante diferente da que executamos hoje, que era a distribuição de joguinhos para celular. Com o tempo, percebemos que a grande tendência para os próximos anos eram os vídeos e fizemos uma aposta certeira: mudamos nosso direcionamento para esses conteúdos e nos tornamos a Samba Tech, uma empresa especializada na distribuição de material audiovisual.

Hoje, 14 anos, muitos desafios e muitos prêmios depois, nossas soluções vão muito além e oferecemos tecnologia e estrutura para suportar diferentes tipos de negócios em vídeos. Nesse período, aprendemos muito, crescemos muito e tivemos centenas de pessoas nos ajudando a construir essa empresa. Se hoje somos referência no mercado, isso é mérito de cada um que passou por aqui.

E claro, em 14 anos nós mudamos muitas coisas, mas muitas outras também permaneceram: nossa cultura, o cuidado com as pessoas, o zelo pelos clientes e a excelência em nossas soluções. Isso não vai se perder!

Temos idade de adolescente, mas as experiências que acumulamos nesses 14 anos é que nos fizeram tão grande. Por isso, a gente espera ainda comemorar muitos e muitos anos!

E claro, não poderíamos deixar de enviar nosso muito obrigado a todos que acompanharam a Samba nessa trajetória: vocês são parte da nossa história e se crescemos tanto, foi graças à todos os clientes, amigos, colaboradores, fornecedores e parceiros.

Obrigada! Que venham os próximos 14 anos e que eles sejam de tanta evolução quanto foram esses primeiros.  


Contribua com este post nos comentários

Por Em Em abril 24, 2018

Plataformas digitais educacionais: seus impactos e desafios

Em tempos de avanços tecnológicos constantes, não é surpresa que as ferramentas digitais estejam inseridas em praticamente todas as áreas de atuação do mercado. Com a educação, não é diferente.

Por ser responsável pela difusão de conhecimento a públicos de todas as idades, este ramo talvez seja o que mais tenha inserido a tecnologia à rotina diária nos últimos anos. Quadro negro e giz foram substituídos por plataformas digitais educacionais remotamente acessíveis, facilitando o dia a dia de pais, alunos e professores.

Segundo uma pesquisa da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, em 2017, aproximadamente 70% dos jovens brasileiros utilizavam a internet como fonte de estudos.

Mas não é só isso. As plataformas digitais educacionais podem ser utilizadas para outros fins. Fins que ultrapassam o relacionamento professor-aluno dentro da sala de aula:

Para educação empresarial

Cada vez mais populares, as ferramentas EaD voltadas à educação corporativa não apenas ajudam a manter em dia as capacidades técnicas e competitivas dos colaboradores e gestores, como também os mantêm atualizados mediante o mercado de trabalho.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Delloite, já em 2016, “é crescente a intenção das empresas em priorizar essa prática nos próximos anos, apesar da crise financeira afetar investimentos em educação no curto prazo”. Em comparação com o ano de 2014, o número de empresas com equipes voltadas à educação corporativa aumentou em 42%.

Para informação de clientes

Com a expansão do marketing digital, as empresas passaram a adotar ferramentas tecnológicas para ocupar posição de destaque frente à concorrência e conquistar a atenção do público-alvo. Oferecer material digital de qualidade aos clientes passou a ser tarefa obrigatória a todos aqueles que adotam o inbound marketing como estratégia de venda.

As plataformas educacionais digitais servem para se comunicar com potenciais clientes através da disponibilização de uma série de informações pertinentes que vão muito além da venda em si.

Para comunicação com os pais

As ferramentas de ensino à distância também permitem maior interatividade entre as instituições e os pais de crianças e adolescentes. Lembram da agenda que levávamos para casa com recados e puxões de orelha? Tanto ela quanto o boletim agora podem ser enviados via web, uma forma de comunicação integrada entre pais, professores e instituições de ensino.

A metodologia permite melhor avaliação da curva de aprendizado de alunos de todas as idades, além de gerar economia e possibilitar uma análise mais prática sobre pontos que precisam de melhorias.

Para fazer conexões globais

Segundo uma reportagem da BBC Brasil, diversos países utilizam as plataformas educacionais digitais para ampliar as chances de agregar conhecimento e derrubar barreiras geográficas.

Nos Estados Unidos, por exemplo, alunos do ensino fundamental podem criar tours virtuais através do anuário escolar digital. Estudantes de uma escola da Colômbia analisaram amostras de solo e desenvolveram um projeto de proteção da bacia hídrica local utilizando tablets e aplicativos educacionais.

Com base nessas informações, é possível afirmar que os benefícios de utilização de plataformas educacionais são inúmeros – tanto para empresas desenvolvedoras quanto para usuários.

Além de quebrar barreiras geográficas, flexibilizar horários e gerar economia a longo e médio prazos, as ferramentas digitais de educação estimulam a interatividade entre as pessoas, oferecem mais autonomia aos usuários, permitem acesso a conteúdo personalizado de acordo com as necessidades dos alunos e empresas, e otimizam o uso da internet, incentivando a conexão com dados e informações advindas de fontes diferentes de buscadores e redes sociais. O projeto Globe, por exemplo, promove a interação entre cientistas e mais de 4 mil escolas distribuídas pelo mundo.

É claro que existe, também, o outro lado da moeda. Nem tudo são flores no mundo da educação web e as plataformas digitais ainda precisam enfrentar alguns desafios para poderem oferecer 100% de sua capacidade.

Desafios das plataformas digitais educacionais

01. Mentalidade conservadora

Apesar de estarmos em meio a uma revolução tecnológica, muitas pessoas ainda são avessas à utilização das soluções disponíveis online.

02. Qualidade das plataformas

A internet, por ser democrática, permitiu o surgimento de diversos negócios que, anteriormente, não tinham espaço ou oportunidades para crescer.

Ao mesmo tempo em que o grande número de opções disponíveis é vantajoso para o usuário, as chances de investir na plataforma errada são mais altas.

03. Falta de estrutura adequada

Para as empresas que disponibilizam a plataforma educacional digital, o processo de implementação pode ser demorado e cheio de adaptações. É preciso ter uma estrutura web adequada para que a ferramenta funcione adequadamente, assim como constantes treinamentos de colaboradores para a alimentação e atualização da solução.

Para os usuários, o meio de acesso às plataformas digitais de educação é um aspecto muito importante. Por funcionarem totalmente online, ferramentas desse tipo precisam de internet rápida e dispositivos atualizados. Além disso, é essencial que o aluno saiba como manusear as funcionalidades disponíveis e utilizá-las a seu favor e em sua totalidade.

Um dos principais desafios das plataformas educacionais é, sem dúvidas, conseguir acompanhar a velocidade das inovações no mundo digital. Essas mudanças acontecem a todo instante e são essenciais para o potencial competitivo das organizações.


Artigo produzido pela equipe de conteúdo do Transformação Digital.

Um portal que reune informações, notícias, dados, novidades e tendências da Transformação Digital em um único lugar.

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em abril 19, 2018

Plataforma EAD: o que é e como escolher a melhor para seu curso

O ensino a distância é uma das modalidades do meio educacional que mais cresce atualmente. Segundo dados do MEC, em março de 2016 o número de estudantes matriculados em algum curso de EAD já ultrapassava 3,8 milhões. Um estudo realizado pela Sagah estima que em 2023 a modalidade de ensino a distância irá representar mais da metade do ensino no Brasil – a expectativa é de que 51% dos estudantes estejam matriculados em cursos de EAD. E esse crescimento não é coincidência. Impulsionadas pelos preços, pela flexibilidade e pelo modelo de ensino inovador, cada dia mais, as pessoas estão procurando por cursos e certificações online.

E considerando esse enorme mercado em expansão, produtores de vídeos e especialistas em diferentes tipos de conteúdo ganham uma excelente oportunidade de negócios. Criar um curso e vender conteúdo pela internet hoje não é uma tarefa tão complicada e ela pode ser executada de diferentes maneiras e se utilizando diferentes ferramentas.

Porém, um ponto que sempre vem a tona e pode acabar gerando muitas dúvidas é a plataforma EAD. Também conhecida como LMS ou AVA, existem diversas opções dessas plataformas no mercado e é importante saber escolher uma que seja adequada às suas expectativas e às necessidades do seu projeto.

E afinal de contas, você sabe o que é de fato essa plataforma EAD e como ela pode impactar no sucesso de um negócio? É isso que vamos ver neste artigo. Aqui você vai entender um pouco mais sobre essa tecnologia e ver quando ela é mais ou menos adequada aos seus objetivos. Continue lendo!

E antes de começar, talvez você também queira entender as melhores práticas para divulgar seu EAD. Baixe o material para conferir depois!

divulgar ead

O que é uma plataforma EAD e como ela funciona?

Se você já fez algum curso online ou já cursou alguma matéria à distância (seja na faculdade ou em um curso preparatório), você provavelmente já conhece o básico sobre plataformas EAD.

Chamadas de SGA (sistema de gestão acadêmica), AVA (ambiente virtual de aprendizagem) ou no inglês, LMS (Learning Management System), as plataformas de ensino são pensadas e desenvolvidas para proporcionar um ambiente online de aprendizado completo para os estudantes da modalidade a distância – e às vezes até mesmo cursos presenciais, acabam usando esse tipo de plataforma como apoio acadêmico. Dentro delas, normalmente é possível disponibilizar conteúdos, exercícios, fazer avaliações e até mesmo criar discussões por meio de fóruns e grupos para facilitar a interação entre os professores e alunos.

As plataformas EAD são responsáveis por gerir toda parte que cabe ao ensino e ao aprendizado e, também, a comunicação entre professores, tutores e alunos.

É importante entender que raramente essas plataformas são utilizadas sozinhas. Na maioria das vezes elas precisam ser integradas a outros tipos de ferramentas e tecnologias, como um site ou media center e uma boa plataforma de vídeos.

Como escolher uma boa plataforma EAD?

Para que você faça uma boa escolha em termos de plataforma, é preciso levar em conta uma série de fatores. A seguir, vamos falar um pouco sobre três dos mais importantes:

1. Responsividade

Hoje, grande parte das pessoas já acessa a internet por meio de dispositivos móveis e usa aparelhos como smartphones e tablets para otimizar sua rotina de estudos e poder se desenvolver de forma mais simples e flexível.

Portanto, um ponto muito importante – e básico – na hora de escolher sua plataforma EAD, é verificar se ela é responsiva. Uma boa plataforma será capaz de apresentar uma boa usabilidade e entregar uma boa experiência aos usuários independente do tipo de dispositivo em que é acessada.

2. Integração com outras tecnologias

Como citamos, normalmente uma plataforma EAD não é capaz de sustentar um negócio por si só. Ela precisa ser integrada com uma série de outras ferramentas e tecnologias que sejam capazes de deixá-la mais completa e utilizável.

Exemplos de algumas dessas tecnologias são uma plataforma de vídeos, um site ou media center, sistemas de pagamento, gestão e outros.

Por isso, antes de se decidir por uma plataforma, verifique se ela atende à todas as suas necessidades em termos de integração e se isso pode ser feito de forma simples e rápida, sem que você precise de uma equipe grande ou muito conhecimento técnico. Isso vai ser essencial!

3. Personalização

Para ter sucesso com seu negócio, é importante que você fortaleça sua marca e consiga entregar uma experiência personalizada aos seus alunos. Por isso, é muito importante que sua plataforma EAD também seja customizável e permita desde as edições simples – como inserção de logo e mudanças de cor – até as mais complexas.

Esse é um outro ponto ao qual você deve ficar bastante atento, pois o ideal é que você consiga fazer essas alterações de forma simples. Afinal de contas, não é interessante que você precise contratar um desenvolvedor a cada vez que quiser mudar uma cor ou ícone em sua plataforma.

Plataforma EAD + plataforma de vídeos

Quem está criando seu curso online ou está começando a pensar em investir em EAD, deve saber que existem diferentes formas de se fazer isso em termos de tecnologia e que cada uma delas é mais adequada a um tipo de negócio.

Um dos caminhos mais comuns de quem investe em educação a distância é por meio da junção/integração de uma plataforma EAD e uma plataforma de vídeos. Nesse caso, a plataforma educacional (AVA, LMS, SGA) funciona como um espaço para gerenciar os conteúdos, alunos e receber e propor exercícios, por exemplo, e a plataforma de vídeos fica encarregada de fazer a entrega dos conteúdos audiovisuais com alta qualidade, estabilidade e, o mais importante, com segurança.

Normalmente, essa é a solução preferida de quem quer construir cursos mais formais e precisa de uma estrutura completa de gerenciamento e distribuição de aulas. Nesses casos, normalmente as aulas são sequenciais, o aluno tem prazos e um cronograma a seguir, e existe uma troca de informações constante entre ele e os tutores. Por isso, uma estrutura tecnológica robusta é essencial.

Exemplos de negócios que trabalham com essa dupla são faculdades (graduação e pós graduação a distância), alguns cursos preparatórios e empresas que oferecem treinamentos corporativos.

Aqui na Samba, por exemplo, vários dos nossos clientes, como o Biologia Total e a PUC Minas, trabalham nesse modelo e utilizam nossa plataforma de vídeos – o Samba Vídeos – integrada a um sistema de EAD para entregar seus conteúdos audiovisuais com qualidade, segurança e flexibilidade.

E se esse é o modelo com o qual você quer trabalhar em seu negócio EAD, vale a pena conferir o Samba Vídeos, que é uma das plataformas de vídeo mais eficientes e confiáveis do mercado e vai te oferecer o apoio necessário para que seu negócio cresça e prospere.   

tour samba videos

Mas é preciso uma plataforma EAD tradicional para criar um curso online?

Se você está achando toda essa questão de plataforma EAD muito complicada e fora da realidade do seu negócio (em termos de tamanho e investimento), fique tranquilo, pois a resposta dessa pergunta aí de cima é simples: não.

Em muitos casos, ter uma plataforma educacional robusta e complexa não é necessário para que você tenha sucesso com educação a distância e – pelo contrário – pode acabar até prejudicando a experiência dos alunos com o curso e o conteúdo.

Um modelo de cursos que tem se popularizado bastante e surgido como oportunidade principalmente para quem quer começar a investir em EAD, são os cursos livres. Esse tipo de curso normalmente é focado em alguma especialização ou capacitação e não precisa ser regulamentado pelo MEC – o que dá mais liberdade ao produtor e mais oportunidades de aprendizado aos alunos. Exemplos de conteúdos nessa modalidade são cursos de inglês; de costura; de confeitaria; de adestramento para cães e muitos outros.

Cursos livres não precisam ter um cronograma fixo de realização, não têm cargas horárias delimitadas, nem exigem comprovação de escolaridade e experiência prévia dos alunos. Mas não se preocupe, eles têm validade legal e inclusive é possível emitir um certificado de que o aluno o concluiu de forma adequada.

Nesses casos, o produtor do curso não precisa de uma estrutura tão complexa e robusta para começar a compartilhar seu conhecimento e transformá-lo em negócio. Com, basicamente, um site simples de gerenciar, uma plataforma de vídeos e um sistema de pagamento integrado já é possível começar a vender os cursos e levar conhecimento a quem precisa.

E o melhor é que para esse tipo de curso já existem uma série de ferramentas e plataformas prontas para que você apenas insira o conteúdo e comece a vender. O Samba Play, por exemplo, é uma delas e atende hoje negócios como o Metaflix e a Tia do Inglês.

Nessa solução, o produtor de cursos já tem seu site pronto para personalizar com suas cores, imagens e logos, tem um sistema de gerenciamento de conteúdos e alunos integrado, o gateway de pagamento configurado e uma plataforma de vídeo estável e segura. Então ele só precisa inserir seus conteúdos, escolher o preço que vai cobrar pela assinatura ou por cursos específicos e começar a vender! É o fim das preocupações com integrações e com a contratação de diferentes serviços.

Se o seu negócio se encaixa mais na condição de cursos livres e você está em busca de uma solução mais simples, barata e prática para começar a investir em EAD, deveria conhecer o Samba Play. Ele pode ser ideal para você!

tour samba play

E o futuro do EAD?

O ensino a distância já está tão presente em nossa realidade que não deve mais ser considerado o futuro da educação, mas sim o presente! Nos últimos anos, o número de pessoas matriculadas em cursos EAD quadruplicou – isso mesmo, aumentou em quatro vezes! E a tendência é que esse mercado cresça ainda mais. Por isso, se você tem uma mente empreendedora e quer começar a ganhar dinheiro com o seu conteúdo, esse é um excelente momento para começar seu negócio.

Para começar, o primeiro passo é ter uma ideia, um conhecimento que você quer compartilhar com o mundo. Depois é só seguir alguns passos básicos e ter muito planejamento e dedicação. E agora que você entende mais sobre uma plataforma EAD tradicional e também sobre as novas ferramentas voltadas para cursos livres, pode escolher a opção que mais se adequa a sua realidade e a realidade do seu negócio.

Lembre-se de que o esquema é basicamente:

Solução robusta + educação mais formal + integrações +  investimento maior = plataforma EAD e plataforma de vídeos.

Solução simples e completa + flexibilidade de ensino e aprendizado + personalização +  investimento baixo = plataforma de cursos livres.

Por fim, se você está pensando em investir em EAD, precisa entender como a pirataria pode impactar negativamente o seu negócio e, o mais importante, como se proteger dela! Acesse nosso material e confira tudo sobre o assunto.

proteger videos

Contribua com este post nos comentários

Por Em , Em abril 18, 2018

Gamification: o conceito, as vantagens e aplicação no contexto educacional

Já percebeu como situações de jogo conseguem nos engajar por horas? E não estou falando apenas em jogos tradicionais, como partidas de tabuleiros e videogames. Se um professor promove uma competição em sala de aula ou um chefe uma determinada dinâmica que envolve acumulação de pontos no trabalho, por exemplo, as pessoas tendem a se envolver muito mais do que em uma situação normal. Isso é o que chamamos de gamification! 

A verdade é que os jogos atraem e motivam as pessoas há milênios! E isso é tão evidente que há mais de 40 anos, as pessoas já começavam a pensar em formas de utilizar os games para auxiliar em tarefas cotidianas, como o trabalho no escritório ou o desenvolvimento de uma nova habilidade. Surgia aí então, mesmo sem se saber ainda, o que chamamos hoje de gamification ou gamificação.

Desde então, a lógica dos games tem sido aplicada em diferentes contextos e gerado benefícios para as organizações, e, nos últimos anos, essa estratégia ganhou ainda mais destaque e relevância — principalmente depois da palestra histórica da designer de games Jane McGonigal no TED Talks sobre o tema, em 2010

Jane fala em sua palestra sobre a importância dos jogos e sobre o poder de impacto mundial que essa estratégia pode ter. Afinal, assim como ela pontua, jogando cerca de 21 bilhões de horas por semana, seria possível encontrar soluções para problemas mundiais como a fome e a devastação do meio ambiente.

Pode parecer chocante (e até um pouco utópico), mas faz muito sentido e você vai compreender um pouco mais do porquê ao ler este artigo! Se você quer saber mais sobre gamification e, principalmente, sobre como ele pode ser utilizado no EAD, é só continuar lendo! 

Vamos lá? 😉 

O que é gamification ou gamificação?

Gamification, ou gamificação, consiste em usar técnicas, estratégias e o design de games em outros contextos que não sejam necessariamente associadas aos jogos em si. É trazer o jogo para a realidade e com isso impactar pontos como engajamento, produtividade, foco, determinação e outros, tornando mais simples atingir metas e objetivos em qualquer contexto. 

Por meio do gamification, é possível transformar rotinas de trabalho ou estudo e fazer com que as pessoas se sintam mais inclinadas a se dedicar às tarefas e desafios que cada situação exige. 

Segundo uma estimativa da Gartner, neste ano, a gamificação será um mercado de mais de 5 bilhões de dólares no mundo todo e, até 2020, 70% das maiores empresas do mundo terão pelo menos uma aplicação que utiliza esse conceito, fazendo com que ele se torne algo fundamental ao ambiente empresarial. 

E falando em ambiente empresarial, aplicar estratégias de gamification pode inclusive ajudar em técnicas de educação corporativa — e você pode aprender mais sobre aqui neste artigo!

Por que gamification é tão efetivo?

De acordo com especialistas, a experiência com os games vai muito além do fator entretenimento e passa por outros pontos básicos, como a necessidade de competição, que é inerente a todo ser humano, os feedbacks instantâneos, a possibilidade de evolução rápida, e também a busca por recompensas e prêmios tangíveis. A criação de comunidades e o senso de urgência trabalhado nos games também é algo que incentiva que se continue naquela tarefa e torna possível que os objetivos sejam atingidos.

Competitividade e recompensas

Dentro de um game, os desafios estão presentes o tempo todo e você quer mostrar que é melhor do que a máquina ou seus amigos jogadores. E por que? Por mera competitividade. A busca por competição é algo natural do ser humano e a maioria das pessoas se sente extremamente realizada de poder se afirmar como a melhor ou mais poderosa em alguma coisa. E o melhor é que nos games essa competitividade rende prêmios, reconhecimento e itens valiosos que você sabe que estarão disponíveis e que vão facilitar sua caminhada durante o jogo.

Superação

Como também é colocado por Jane em sua palestra, em um jogo você nunca recebe desafios que estejam além do que você pode superar com seu nível de jogador, e isso por si só já é um incentivo. Porém, ao mesmo tempo, para superar cada desafio, você precisa dar o máximo de si, pois eles exigirão o uso e domínio das habilidades mais extremas que você adquiriu em seu percurso e é isso que faz cada vitória ser tão prazerosa.

Em pontos estratégicos dos jogos, você acha que realmente não vai conseguir avançar e que determinada tarefa exige mais competências do que as que você já tem, como algo além da imaginação. Porém, com esforço é possível superar esses desafios e então os jogadores tem o que Jane chama de vitórias épicas, que contrariam todas as expectativas e, por isso, geram ainda mais satisfação.

Feedbacks e evolução rápidos

Além do mais, em um game, você recebe feedbacks o tempo todo e, com isso, vai aprendendo o que deve ou não fazer e consegue evoluir rapidamente. Se você faz algo certo, instantaneamente recebe as congratulações e recompensas, porém se faz algo errado, é “castigado” e perde vida, pontos, ou precisa voltar a um estágio anterior. Esse sistema facilita a evolução do jogador, o deixa mais atento aos obstáculos e determinado a conseguir superá-los, sabendo em que precisa melhorar ou quais são seus pontos fortes.

E no dia-a-dia…

Enquanto isso, nas tarefas da vida real, o avanço é quase sempre mais lento, as recompensas são intangíveis e geralmente vêm em longo prazo, não há reconhecimento por cada fase que você passa, e a evolução, assim como os feedbacks recebidos, é lenta e, algumas vezes, nem sentida. No mundo real, normalmente é muito mais difícil saber quando você está no caminho certo para atingir um objetivo e não há nenhuma certeza que ele realmente será alcançado. Falta a sensação da vitória épica.

Por isso, investir em gamification ou gamificação, é tão eficiente em diferentes contextos. Mais do que uma ótima forma de fazer com que as pessoas se engajem com determinada situação, gamification oferece incentivos para que elas se sintam empolgadas para realizar uma ação ou progredir com uma tarefa.

Quer ver um pouco da ideia de gamification na prática? Aqui neste jogo você consegue um gostinho de aprender enquanto se diverte! 

gamification - detetive

Vantagens e benefícios de utilizar gamification no EAD

E no contexto educacional, principalmente do ensino à distância, investir em gamification pode trazer benefícios diversos, em relação ao aprendizado, à forma como os alunos enxergam seus objetivos e à sua motivação e determinação. Com alunos mais motivados e empenhados, seus resultados certamente serão cada vez melhores e você dá um passo mais próximo ao destaque no mercado educacional. Confira abaixo algumas das vantagens mais evidentes de se investir em gamification no contexto educacional:

Aprendizado facilitado

Os feedbacks serão essenciais para que essa vantagem seja alcançada de forma concreta. Sabendo sempre o resultado de cada uma de suas ações e as consequências de suas atitudes, o aluno poderá corrigir a forma como estuda e assim, atingir seus objetivos de forma mais rápida e assertiva. Além do mais, com todos os incentivos trazidos pela gamificação da educação, o estudante também poderá adquirir conhecimento de forma mais prazerosa e eficiente, absorvendo os conteúdos de forma mais simples, rápida e menos dolorosa.

Evolução mais rápida

Graças aos feedbacks praticamente instantâneos de gamification, os alunos poderão corrigir suas falhas rapidamente, trabalhar seus pontos fortes e estudar visando um objetivo. Basicamente, o gamification ajuda o aluno a não fica insistindo em seus erros: ele aprende a reconhecê-los e trabalha para melhorar, conseguindo evoluir muito mais rápido. Os incentivos já citados também contribuem para que o aluno se desenvolva mais rapidamente e de forma menos traumática.

Trabalho direcionado à um objetivo

Com a gamificação o aluno fica ciente o tempo todo do nível em que ele está e de qual serão seus desafios a cada etapa, que acabarão lhe proporcionando a vitória épica. Nos sistemas educacionais gamificados, assim como nos próprios jogos, os alunos nunca receberão um desafio que supere suas capacidades, mas serão cobrados ao limite, para que possam evoluir em direção à um objetivo maior.   

Maior engajamento dos alunos com o conteúdo

Trabalhando com uma lógica de gamification baseada em um sistema de desafios, acumulo de pontos ou desbloqueio de recompensas, por exemplo, você vai conseguir fazer com que seus alunos se sintam muito mais motivados a continuar aprendendo e correndo atrás de bons resultados. O sentimento de constante evolução e a noção de competição com os outros alunos também irão aumentar sua vontade de continuar aprendendo e fazer com que o estudante queira melhorar sempre mais.

Ah, e se você quiser saber mais dicas sobre engajamento de alunos, aqui neste infográfico a gente te conta tudo! 😉 

Como implantar gamification no EAD

E se você está pensando que implantar um sistema de gamification em seu EAD é algo caro, complicado ou que exige muitos recursos, está fortemente enganado. Com algumas medidas bem simples, você consegue aplicar noções de gamification a seu conteúdo e incentiva que os alunos tenham mais engajamento, motivação e possam evoluir de forma rápida e bem sucedida. Conheça algumas delas:

Mas antes, que tal fazer um teste e entender se você já tem tudo o que é necessário para colocar o seu EAD no ar? 🙂 

gamification ead

Criando um sistema de pontuação e evolução

Uma das formas mais simples de trabalhar com a gamificação em um EAD é através dos sistemas de pontuação e evolução. Atribua pontos a cada tarefa que o aluno realizar em seu curso, como terminar um módulo, realizar uma prova ou acertar uma percentagem de questões em um desafio, e faça com que ele tenha vontade de juntar esses pontos, seja para passar de nível, trocar por recompensas ou competir com outros jogadores.

Oferecendo recompensas

Oferecer recompensas é mais um incentivo para que seus alunos busquem o aprendizado de forma mais efetiva, rápida e organizada e os motiva a querer estudar e evoluir sempre mais. Ofereça recompensas quando o aluno concluir tarefas específicas que o aproximem de seu objetivo final, ou se você usa um sistema de pontuação e evolução, quando ele atingir um número de pontos ou trocar de nível.

Estimulando a competição

Fazer com que as pessoas entrem em uma competição saudável é algo que as estimulará a aprender cada vez mais e com mais qualidade, para que possam estar sempre na frente. Portanto, crie um sistema de competição em seu EAD, seja aliado a seu sistema de pontuação ou à recompensas – oferecendo um prêmio para os cinco melhores em um simulado, por exemplo – e veja como o engajamento e aprendizado dos alunos tenderá a crescer mais e mais.

Oferecendo feedbacks rápidos e constantes

Como já citamos, os feedbacks são uma parte essencial no universo dos games e na vida real irão garantir que seus alunos evoluam de forma mais rápida e assertiva. Implante um bom sistema de feedback em seu EAD e sempre deixe os alunos cientes dos resultados de seus esforços. Por exemplo, se uma pessoa está ficando ativa em um curso por um tempo menor do que deveria diariamente, envie uma notificação avisando como isso impactará em seu desempenho. Ou se alguém fez uma prova e foi mal em questões específicas de matemática, informe-a sobre essa deficiência e envie conteúdo extra sobre a matéria para ela. Se um aluno passou de módulo, parabenize sua evolução e envie algo especial para ele, que vá ajudar na próxima etapa. Assim, você deixa o aluno sempre ciente de seus resultados, faz com que ele evolua da forma certa e aumenta a eficiência do aprendizado.

Tecnologia e gamificação

A tecnologia contribuiu bastante para que houvesse essa popularização do gamification, pois facilitou o contato das pessoas com os jogos e permitiu que eles fossem criados para contextos específicos e com objetivos pré-determinados. Por exemplo, com o acesso a internet cada vez mais democrático, as empresas puderam criar jogos online para engajar seus colaboradores com suas tarefas, para oferecer recompensas ou para fazer com que todos pensem em soluções inovadoras para o negócio. Técnicas que antes também exigiam esforço manual, como a construção e atualização de quadros de pontos para estimular a competição, agora puderam ser feitas de forma digital e ficaram muito mais simples e dinâmicas.

No contexto do EAD, em que a tecnologia sempre esteve presente de diferentes formas, é ainda mais fácil fazer com que o gamification seja funcional e se torne um diferencial. Principalmente nos casos de quem utiliza a internet para transmitir conteúdo, fazer com que diferentes materiais se encaixem em uma lógica gamificada é ainda mais simples e efetivo e pode impactar pontos decisivos para o sucesso no mercado educacional, como as taxas de evasão.  

Além disso, o mercado de EAD é um ambiente em constante evolução e, por isso, com os parceiros certos você consegue atribuir estratégias de gamification diretamente nos seus vídeos. No Samba Vídeos, por exemplo, você consegue criar uma estratégia de quizz que funciona dentro do vídeo e leva seu aluno por diferentes caminhos dependendo de suas respostas às perguntas. 

Faça um tour pela nossa plataforma e descubra como ela pode revolucionar o seu negócio EAD!

tour samba videos - gamification

Gamification e storytelling

Outro conceito que anda muito conectado ao de gamification é o de storytelling. Storytelling nada mais é do que o ato de contar histórias para facilitar a compreensão de conteúdos específicos e é uma técnica que pode (ou deve!) ser utilizada para impulsionar sua estratégia de gamification. Pense só: se você fosse fazer um curso online ou algo do tipo, não se sentiria muito mais empolgado se em vez de módulos ele tivesse fases, se você fosse enfrentando alguns chefes em vez de provas e se você assumisse um personagem durante sua evolução? E é para tornar tudo isso possível que o storytelling entra! Aliado ao gamification, ele vai guiar as pessoas pela jornada do aprendizado e tornar tudo muito mais prazeroso, simples e memorável.

O storytelling vai dar sentido e direção à seus cursos e fazer com que os alunos aprendam de uma forma muito mais divertida. Estabeleça um contexto para o ensino – uma aventura de magia, medieval ou moderna, por exemplo – faça com que os alunos possam criar um personagem no início dos estudos e os guie de forma lógica e divertida pelas etapas do curso. Faça com que eles precisem superar desafios relacionados ao tema escolhido, ofereça itens especiais, e dê feedbacks e conteúdos de forma contextual e divertida também. Isso vai aumentar não só o engajamento dos alunos com seu EAD, mas também mudar a forma como eles lidam com cada material, além de aumentar a memorização e fixação de cada conteúdo.


E então? Convencido do poder dos games e pronto para aplicar sua lógica a seu EAD, ou outros contextos? Então mãos à obra!

Como você deve ter notado, criar uma realidade gamificada é mais simples do que parece a princípio e pode tornar tarefas cotidianas massantes em algo muito mais simples e prazeroso. Comece com algo fácil, como o que citamos nesse artigo, e repare como é possível modificar pontos como engajamento, motivação e retenção de conteúdo por parte das pessoas.

E se você quiser saber mais tendências de vídeos que, aliadas à estratégia de gamification, vão te ajudar a ter resultados incríveis, é só clicar na imagem abaixo. Neste material você descobre as apostas dos maiores nomes do mercado sobre o que vai bombar no universo de vídeos online! 😉

tendencias de vídeo 2018

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em abril 13, 2018

Os tipos de vídeo que você deve evitar na sexta-feira 13 (e em todos os outros dias)

Hoje é sexta-feira 13 e, muita gente, por acreditar que a data tem tons macabros, sai de casa de branco, com o pé direito e carregando de trevo a pimenta e sal grosso pra dar sorte e afastar o mal olhado.

Também tem aqueles que nem saem de casa, pra evitar acontecimentos ruins. Afinal, melhor prevenir do que ter azar para o resto da vida, não é mesmo?!

Aqui na Samba nós também somos muito supersticiosos, mas com relação a outro ponto: os vídeos online e sua produção. Reza a lenda que existem alguns tipos de vídeo que você não deve produzir ou divulgar nunca em uma sexta treze – ou em qualquer outro dia – sob o risco de trazer azar eterno para suas atividades com vídeo.

Está sentindo a mão direita coçando, né? É dinheiro chegando! Confira nosso guia para ganhar dinheiro com seu conteúdo em vídeo e garanta sucesso com seus vídeos agora. Só clicar no link ou na imagem abaixo.

ganhar dinheiro com videos

Então, já que nenhuma história é verdadeira até ser contada, e nós queremos que você se previna quanto a esses perigos do mundo dos vídeos, nós vamos compartilhar com vocês os “vídeos do azar”, que você deve evitar a todo custo nessa data (e sempre).

Preste atenção e, caso fique assustado demais ou já tenha cruzado com um destes hoje, não se preocupe. Todo azar aqui descrito pode ser desfeito mediante algumas simpatias – ou medidas – bem simples.

Se prepare.

01. O por baixo da escada [Que pede pra ter azar]

Longe de ser o pior tipo de vídeo que você pode encontrar em uma sexta-feira 13, ele é o mais comum e já vamos explicar porque ele é o “por baixo da escada”.

Você está andando pela rua e encontra uma escada aberta como obstáculo para o seu caminho. Nessa situação, o que você deveria fazer? Apenas desviar sua rota um pouco, passar por fora da escada e evitar alguns anos do mais horrível azar, não é mesmo? Mas certas pessoas preferem ignorar essa lógica e passar por baixo da escada, mantendo o caminho que, claramente, vai gerar consequências ruins.

Pois então, é isso que acontece com as pessoas que insistem em manter o mesmo vídeo para todas as ocasiões de apresentação, e para todos os públicos, independentemente do seu perfil. Elas mantém a mesma rota, – ou nesse caso, roteiro – passam por baixo da escada e, o que acontece? Vários anos de azar.

Portanto, para evitar esse tipo de erro e continuar tendo sorte com suas produções, é essencial adaptar seu conteúdo para o público com quem você está lidando e para a ocasião em que ele está sendo apresentado.

Manter e reciclar bons materiais é uma boa estratégia, que ajuda inclusive a diminuir custos, mas é importante saber que desvios as vezes são necessários e adaptações são fundamentais para continuar por fora da escada. Não tente impressionar um grupo de empresários com um material que você produziu para adolescentes ou vice-versa. É azar na certa.

02. O Gato Preto da sexta-feira 13 [Que ninguém quer ver]

Pela superstição, muita gente já teme encontrar gatos pretos em dias comuns – bobagem, eles são uma gracinha. Porém, na sexta-feira 13, a última coisa que a maioria das pessoas quer, mesmo aquelas não tão crentes, é ver um gato preto.

Esses animais, apesar de inofensivos, são relacionados por certas crenças a um azar extremo e, neste dia em especial, muita gente acha melhor não cruzar com eles.

Por isso, nosso segundo tipo de vídeo é o “Gato Preto”. Ele está ali, existe, porém as pessoas não querem nem ver e, aparentemente sem motivo, evitam as páginas em que ele está presente e os canais em que foi divulgado.

Porém, dado que os vídeos são o formato mais quente da internet e que 86% dos brasileiros já assiste à vídeos online, se seu vídeo não está fazendo diferença nenhuma em sua estratégia ou as pessoas não querem vê-lo, ao contrário dos gatinhos pretos, seu material com certeza tem sérios problemas que precisam ser identificados e melhorados.

Esses problemas podem ser muitos, e, entre eles, seu vídeo pode estar muito longo, a linguagem pode não estar adequada para sua audiência, a imagem e o áudio podem estar ruins, ou conteúdo pode estar raso e irrelevante. É necessário avaliar cada um desses aspectos e melhorar seu material para que as pessoas voltem a ter interesse e queiram ver seus vídeos.

Investir em um bom planejamento e produção também é essencial para tirar seus vídeos da lista dos agourentos e fazer com que eles conquistem a audiência – como os gatinhos pretos já conquistaram a gente. 

03. O espelho quebrado [Dá azar por falta de cuidado]

Ok, acidentes acontecem, mas vamos combinar: é preciso ser muito descuidado para quebrar um espelho na sexta-feira 13. Tudo bem que espelhos são artefatos frágeis, mas usualmente quebram porque caíram, foram mal colocados, estavam em locais inadequados ou foram manuseados de forma indevida. Se você faz alguma dessas coisas com seus espelhos, deve estar ciente de que uma hora ou outra eles vão se partir e trazer, junto com a bagunça, um azar incontável.

Com os vídeos do tipo “Espelho Quebrado”, a lógica é a mesma. Se você produz seu material sem pesquisa, planejamento, cuidado com a produção, hospedagem, divulgação e, em alguns casos, sem preocupação com fatores como monetização e segurança, pode ter certeza de que corre o risco de ter muito mais do que 7 anos de azar com sua estratégia.  

Para manter seus vídeos – e sua reputação – intactos, invista na produção de um bom roteiro, conheça seu público, suas peculiaridades, tome o cuidado de escolher equipamentos adequados para sua produção, assim como uma boa plataforma de hospedagem, e os meios de divulgação certos.

Estes artigos aqui podem te ajudar mais do que figa da sorte nessa questão:

Dessa forma você mantém seus vídeos limpos, íntegros, com alta qualidade e refletindo aquilo que sua marca e sua empresa tem de melhor!

Para garantir que seus vídeos não vão partir espelhos por aí, você pode baixar gratuitamente nosso e-book que te ensinará tudo que você precisa saber para montar seu próprio estúdio de gravação. Só clicar aqui ou na imagem abaixo 😉

estudio de gravacao sexta feira 13

#04 O pé esquerdo [O que começa mal]

Você com certeza já ouviu alguém dizendo que começou algo com o “pé direito”, não é mesmo? Afinal, de acordo com algumas crenças populares, levantar da cama colocando primeiro o pé direito no chão, ou sair de casa e chegar a lugares com o pé direito, é uma forma de iniciar o dia ou as tarefas bem e com uma dose extra de sorte.

Porém, começar com o pé esquerdo não é assim tão interessante. Um começo de dia com o pé errado pode acabar com anos de sorte e, principalmente na sexta treze, trazer azar infinito.

Tudo bem… na vida pode até não ser assim, mas no mundo dos vídeos, começar com “o pé direito” pode ser o diferencial entre uma estratégia de sucesso e um fracasso.

De acordo com pesquisas, cerca de 20% das pessoas desiste de um vídeo nos primeiros 10 segundos e um terço o abandona em até 30 segundos. Sendo assim, quem investe em vídeos online tem mais ou menos 20 segundos para convencer de que seu conteúdo vale a pena e garantir a atenção do espectador até o final.

Concentrar esforços nesse tempo inicial do vídeo, tornando-o mais atrativo, é fundamental e você pode fazer isso investindo em estratégias simples. Se colocar no centro da ação, usar chamadas fortes, começar com perguntas ou uma questão instigante, que deixe o público curioso, já pode ser um grande passo. Assim você consegue níveis maiores de engajamento do espectador com o conteúdo, já que ele está mais atento e interessado nele, e ainda evita que seu vídeo seja do agourento tipo “Pé esquerdo”.


Apesar desses tipos detestáveis de material, viu como é simples evitar o azar no mundo dos vídeos na sexta-feira 13 e em todos os outros dias!?

Aqui você não precisa carregar ferradura, trevo ou pimenta pra tentar garantir sua sorte. Basta investir em pontos como planejamento, organização, boa produção e garantir que você tem uma estrutura adequada para distribuir e vender seus materiais.  Mas tudo bem se quiser manter a pimenta e os trevos também.

E para você que é supersticioso e, assim como nós, acredita que conhecimento é a melhor forma de afastar o azar, assista nosso minicurso gratuito para ver como produzir excelentes conteúdos com baixo orçamento. Amuleto garantido 😉

minicurso videos baixo orcamento

Contribua com este post nos comentários

Por Em Em abril 11, 2018

Como transformar slides em vídeos e enriquecer seus cursos online?

As apresentações de slides, há algum tempo, têm sido grandes aliadas dos professores em sala de aula e são conhecidas por facilitar o entendimento de diferentes tópicos, servindo como um apoio a figura do professor e à sua fala. Na era dos cursos online e do aprendizado a distância, essa ferramenta continua sendo bastante importante. Seja como conteúdo principal ou como apoio a outros materiais, uma apresentação de slides ajuda a enriquecer o curso e pode ser uma boa alternativa à grandes textos escritos e sem atratividade.

E para que essas apresentações fiquem ainda mais didáticas e fáceis de consumir, na hora de criar ou escolher os conteúdos, os professores de cursos e aulas online têm uma alternativa extra: de transformar esses slides em vídeos.

Dessa forma, é possível inserir novos e mais atrativos elementos ao conteúdo, elimina-se a necessidade de um programa compatível com o tipo da apresentação – uma vez que praticamente todos os dispositivos reproduzem vídeos – e ainda ganha-se um formato a mais de conteúdo, capaz de enriquecer os cursos online, sem tantos esforços e custos extras.

E você sabe como pode transformar seus slides em vídeos e criar materiais incríveis? A seguir vamos te mostrar algumas maneiras de fazer isso e ainda dar dicas para que você tenha um vídeo ainda mais atrativo e relevante para a sua audiência ou alunos. Vamos lá?!

E antes de começar, que tal dar uma olhada nesse material com todos os truques para ter sucesso no Instagram? Confira agora!

guia instagram

Como transformar slides em vídeo

Pelo PowerPoint

Uma das ferramentas mais conhecidas e utilizadas para criar apresentações de slides é o Power Point. Parte do pacote Office (da Microsoft) e bastante fácil de utilizar, o Power Point é a primeira opção da maioria das pessoas que precisa fazer apresentações simples e eficientes. E a boa notícia é que, dentro do próprio programa, é possível transformar esses documentos em vídeos.

Basicamente, aqui você pode fazer isso de duas formas: com narração e tempo controlados por você ou de forma automática e pré-configurada. Vamos detalhar cada uma delas.

Apresentação + narração e tempo personalizado

Dentro do próprio PowerPoint, você pode criar um vídeo que, mais do que apenas executar a apresentação, vai fazer isso de forma guiada, com sua narração e explicações detalhadas de cada slide. Aqui o tempo de passagem de cada tela será definido por você e pode variar de acordo com a quantidade de conteúdo, não sendo uniforme. Veja o passo a passo:

1. Finalizados os slides, vá até a aba Apresentação na parte superior do programa e escolha a opção Gravar Apresentação de Slides. Feito isso, você pode escolher se quer gravar do início ou a partir de um slide específico.

2. Feito isso, deve aparecer uma caixa com as opções Tempos de Slide e Narrações e apontador laser. Com seu microfone devidamente configurado, marque ambas e clique em Iniciar gravação.

transformar slide em power point

3. Pronto! Sua apresentação já está sendo gravada. Para finalizar, basta clicar com o botão direito na tela e escolher a opção Finalizar apresentação.  

4. Feito isso, para salvar o conteúdo, vá até a aba Arquivo, clique em Salvar e Enviar e, em seguida em Criar vídeo.

transformar slide em video

5. Aqui então, você deve escolher em qual qualidade seu arquivo será salvo. Quanto maior o arquivo, maior também a qualidade do vídeo. Portanto, escolha com cuidado de acordo com seus objetivos!

6. No próximo passo, já que você fez as narrações e definiu tempos personalizados para os slides, deve escolher a opção Usar narrações e Tempos gravados. Assim, seu vídeo ficará como você gravou.

transformar apresentacao de power point em video

7. Feito isso, você vai apenas clicar em Criar vídeo e salvar seu conteúdo com o nome que escolher. Pronto!

Apresentação com tempo pré-definido

Outra forma ainda mais fácil de salvar seus slides em vídeo com o PowerPoint é usando tempos pré-definidos e sem narração. Nesse caso, você deve pular diretamente para o passo 4 do tutorial anterior, abrindo a aba Arquivo, clicando em Salvar e Enviar e, em seguida em Criar vídeo. Depois:

1. Assim como no modo anterior, você deve escolher o formato em que deseja salvar seu vídeo, de acordo com a qualidade e tamanho de arquivo desejados.

2. A seguir, em vez de escolher a primeira opção, você deve clicar em Não usar narrações e Tempos gravados.

transformar apresentacao de power point em video

3. Dessa forma, você poderá escolher um intervalo de tempo padrão durante o qual cada slide será exibido. Depois, é só clicar em Criar vídeo para finalizar!

Usando uma ferramenta de captura de tela

Caso você não tenha usado o PowerPoint para construir sua apresentação e ainda assim queira transformá-la em um vídeo, uma boa alternativa é utilizar uma ferramenta de captura de tela (de screencasts).

Para fazer isso, o processo é bem simples:

1. Instale um programa de screencast em seu computador, ou encontre uma alternativa online. Aqui neste artigo nós temos várias indicações e nesse tutorial nós utilizamos o QuickTime.

fazer screencast de apresentacao de slides

Nele você tem a opção de captar ou não o áudio do microfone, com gravações, e também de enfatizar áreas de clique na tela. Escolha o que desejar!

transformar powerpoint em video

2. Inicie a gravação, abra sua apresentação em tela cheia e comece! Nesses casos, é interessante que você entenda pelo menos o básico sobre edição de vídeos, pois será necessário cortar a parte que sobrou no vídeo antes de você efetivamente começar a apresentar e também depois, quando você vai parar a gravação.

3. Cuidado com o tempo de passagem dos slides, pois como ele não é padronizado, você deve garantir que ele seja pelo menos similar em todos os slides e o suficiente para que seja feita uma leitura tranquila. Se estiver narrando, o problema é menor, pois os slides acompanharão o tempo da sua fala.

4. Finalize e salve o vídeo. Pronto!

fazer video com apresentacao de slides

Com prints ou imagens de cada slide da apresentação

A terceira e última forma mais simples de conseguir transformar seus slides em vídeo, é utilizando as imagens da apresentação (prints ou salvas) e juntando tudo isso em um programa de edição. Essa opção é indicada caso você não use o PowerPoint ou use versões mais antigas da ferramenta, que não possuem o modo de criação de vídeo. Veja o passo a passo:

1. Caso o seu construtor de apresentações tenha a opção de salvar cada slide como imagem, como é o caso do Google Presentations, o primeiro passo é fazer isso. Nesse caso, você deve clicar em File, Download as e então JPEG image.

fazer video com apresentacao de slides

No caso do Google Presentations, ele só permite que se salve um slide por vez, o que pode dificultar o trabalho. Mas outras ferramentas como o PowerPoint já têm a opção de salvar todas as telas juntas.

1.1 Caso seu editor não tenha a opção de salvar os slides como imagens separadas, você deve abrir a apresentação em tela cheia e então fazer um printscreen. Assim a imagem também será salva em seu computador.

2. Em um editor de vídeos da sua preferência – que pode ser online ou do computador – basta então abrir todas as imagens, colocá-las na ordem certa e escolher o tempo de exibição de cada uma. Se você quiser, pode aproveitar para colocar narrações e outros efeitos em seu vídeo.

3. Feito isso, basta salvar o arquivo de vídeo no computador!

Dicas para conseguir um resultado ainda melhor

E se você quer fazer ainda mais sucesso ao transformar slides em vídeo, a seguir temos algumas dicas que podem ajudar:

Inclua narrações – e cuidado com a qualidade do áudio

Como citamos, narrações são uma excelente forma não só de manter seu público engajado e interessado no conteúdo, mas também de enriquecer a apresentação e marcar seu ritmo. Portanto, não tenha medo de fazer suas próprias narrações e abuse do storytelling para encantar a audiência.

Para isso, você pode gravar um arquivo de áudio separado e inserir na apresentação com a ajuda de um editor de vídeos, ou você pode usar as dicas anteriores e gravar o áudio ao mesmo tempo em que grava a apresentação.

E uma dica importante: tome sempre muito cuidado com a qualidade do áudio! Escolha bem o local em que você irá gravar, para evitar ruídos e interferências excessivas, e aposte nos equipamentos adequados.

Coloque legendas no conteúdo

Quando há narração, incluir legendas em seus vídeos de apresentação também pode ser ótimo. Com elas, o público ganha mais uma referência para acompanhar o conteúdo e fica mais fácil tomar notas e compreender o que está sendo explicado.

Para isso, basta utilizar um editor de vídeos com suporte ao recurso de legendas e criar as suas.

Nesses casos, lembre-se apenas de tomar cuidado com o português e de sempre usar cores que tenham um bom contraste com o fundo da apresentação, para que o texto não suma. Além do mais, lembre-se de tomar cuidado para não inserir o texto da legenda por cima de textos já existentes na apresentação.

Inclua material extra que não estava na apresentação

Caso você tenha mais experiência com a gravação e edição de vídeos, outro ponto excelente é inserir material extra à apresentação. Esse material pode ser uma parte de um vídeo gravado por você, um esquema animado, uma explicação em quadro branco e muito mais! Isso vai ajudar a enriquecer seu conteúdo e a facilitar também a compreensão da audiência no caso de aulas e tutoriais.

Para fazer isso, você só precisa de criatividade e de algum estudo para conseguir fazer as edições necessárias nos vídeos.

Nesses casos, fique atento a qualidade dos materiais que você irá utilizar – som e imagem – e lembre-se de nunca utilizar conteúdos protegidos por direitos autorais!

E se você não tem nenhuma familiaridade com a gravação e edição de vídeos, não se preocupe! Aqui nesse mini-curso separamos dicas incríveis para que você comece a fazer seus conteúdos com pouco investimento. Confira!

fazer videos com baixo investimento

Quando alguém pode/deve transformar slides em vídeo?

E se você chegou até esse artigo, mas ainda não sabe se realmente deveria transformar suas apresentações em vídeos ou quais são os benefícios dessa ação, nós vamos dar alguns exemplos.

Em primeiro lugar, é um fato que as apresentações de slides são excelentes suportes para professores em sala de aula. E para que elas sejam eficientes também na educação a distância é interessante que sejam transformadas em vídeos, que podem contar com auxílio de narração, legenda, músicas e etc. Além do mais, vídeos, ao contrário de apresentações em formatos específicos, já são reproduzidos nativamente em quase todos os dispositivos – móveis e desktop – e podem melhorar a experiência do aluno com uma aula ou curso, já que eles podem ser consumidos em qualquer lugar.   

Além do mais, as apresentações em formato de vídeo podem ser utilizadas para serem transmitidas em TV Corporativas, dentro de empresas ou outros empreendimentos, e até mesmo como material de marketing.

Apresentações em vídeo são mais atrativas, engajam o público e fazem com que seu entendimento sobre determinado assunto seja muito mais amplo e simples. Em uma apresentação em vídeo, além do elemento visual, você pode usar áudios, narrações e abusar do storytelling para conseguir ser cada vez mais eficiente na transmissão das suas mensagens.  

Esse processo de transformar slides em vídeo também pode ser muito interessante para diminuir custos com produção de materiais para EAD, comunicação ou marketing, uma vez que elimina a necessidade de criar um conteúdo do zero e aproveita apresentações que já existiam, dando a elas um novo sentido.


Então? Pronto para dar um novo significado e função para suas apresentações de slides? Então comece já a transformá-las em vídeos e distribua esse material para sua audiência por meio de cursos online, canais de conteúdo e campanhas de marketing.

Aproveite também para conferir outros artigos do nosso Blog e acesse o material abaixo para descobrir também como você pode começar um negócio digital – seja ele de cursos de EAD, de comunicação ou em qualquer outra área.  

iniciar negocio digital

Contribua com este post nos comentários

Assine e receba todas as novidades sobre vídeos online em seu email.